Never Can Say Goodbye MJ
Olá querido(a) Fã...
Nosso fórum vai passar por mudanças. Pretendo fazê-lor o mais rápido possível para evitar o menor desconforto.Espero que continue conosco e faça o seu cadastro. Ótimas Novidades vem por ai! Não percam!

God bless you.... Beijacksons <3
Administradora

*+ O Amor não tem fronteiras,
E a saudade nunca será um adeus +*


<3 O Amor vive para sempre <3
 
InícioInício  PortalPortal  CalendárioCalendário  FAQFAQ  BuscarBuscar  MembrosMembros  GruposGrupos  Registrar-seRegistrar-se  Conectar-seConectar-se  

Compartilhe | 
 

 Entrevista completa da Paris para a Event

Ir em baixo 
AutorMensagem
nany jackson

avatar

Mensagens : 484
Scores : 654
Data de inscrição : 04/06/2012
Idade : 30
Localização : São Paulo

MensagemAssunto: Entrevista completa da Paris para a Event   Seg Ago 26, 2013 4:11 pm



O lar da família Jackson numa colina isolada acima de Los Angeles é uma mansão alugada em estilo mediterrâneo.

De certo modo, pelo calibre deles, é surpreendentemente simples. As portas pretas de ferro e vidro da frente tem 12 m de altura, mas um tapete esfarrapado dando boas vindas está na frente delas.


No interior, duas grandes escadas curvas longe da entrada de mármore. Nas paredes da "ala" das crianças no segundo andar estão dois retratos emoldurados gigantes do Michael Jackson e uma caricatura dele vestido como Peter Pan cercado pelos três filhos.


No quarto de Blanket, um tubarão de pelúcia sobre a cama. Um modelo complexo de nave espacial do Stars Wars quase finalizado está no chão do quarto do Prince, na frente de um aquário de vidro que abriga uma jiboia chamada Athena - esse nome, Paris Jackson depois me informa, "é em homenagem à deusa grega". Os quartos de ambos os meninos possuem lembranças - bonecos do Michael Jackson e pôsteres.


O quarto da Paris poderia pertencer a qualquer garota de 15 anos de idade. Roupas e sapatos espalhados pelo chão e uma pilha de revistas, maquiagem e dever de casa estão empilhados na mesa de cabeceira espelhada.


Mas há também quatro guitarras caras encostadas numa parede, e a etiqueta eventualmente descartada sobre uma jaqueta vintage do estilista francês Balmain. Há um coelho cinza chamado Vinny, por causa do Vince Neil, vocalista da banda 'totalmente rad'rock Mötley Crüe.


A própria Paris se esparramou no chão na minha frente, acariciando a cobra de estimação do irmão. Ela é jovial; com braços e pernas desajeitados. Ela recentemente cortou o longo cabelo escuro e adotou um corte 'punk' ousado e parece muito diferente da menina que todos nós vimos pela primeira vez no memorial do pai, quando no final, a família se reuniu no palco para fazer os discursos finais. A filha de Michael Jackson, naquele momento com 11 anos de idade, Paris Katherine, entre lágrimas disse ao público: "Desde que eu nasci, papai foi o melhor pai que alguém pode imaginar ... Eu só queria dizer que eu o amo muito ".


Agora ela diz timidamente: "Por favor, entre. Sinta-se em casa, se achar um lugar para sentar. Bem-vindo ao meu mundo".


A herdeira de uma parte considerável do espólio de $1 bilhão do pai Michael fez aniversário há poucos dias. Ela é assunto de fascínio mundial desde que nasceu.


Sua mãe é Debbie Rowe, assistente do ex-médico de Michael, com quem ele se casou em 1996, e teve Prince e Paris. Debbie renunciou seus direitos de mãe quando Paris tinha três. Blanket nasceu de uma mãe de aluguel.


A criação de Paris foi famosamente protegida ao extremo, ela e seus irmãos, muitas vezes usavam máscaras quando eram vislumbrados em público. Logo, porém, ela ficará bastante exposta, quando ela tiver que dar evidências em um impressionante processo civil de $40 bilhões que sua avó Katherine Jackson apresentou contra a AEG, promotora da malfadada turnê do Rei do Pop "This Is It" que ocorreria na Arena O2 em Londres.


Em documentos judiciais Katherine acusa a AEG de "colocar o desejo de grandes lucros da turnê na frente da saúde e segurança de Michael Jackson". Se a família ganha sequer metade dessa quantia, sua fortuna irá ultrapassar a riqueza de muitos países pequenos.


Michael, com uma boa distância, o artista popular mais famoso e bem sucedido comercialmente do mundo, morreu um mês antes dos shows começarem, em junho de 2009. Ele estava dependendo de um coquetel de drogas para ajudá-lo nos ensaios; na noite fatídica, seu médico pessoal, Dr. Conrad Murray, provocou uma overdose de um anestésico cirúrgico, o propofol, que foi regularmente usado para ajudar Michael a dormir. Um tempo depois, ele foi considerado culpado de homicídio culposo e foi condenado a quatro anos de prisão em 2011, embora ele tem sua liberdade prevista para outubro deste ano.


Paris e seu irmão Prince recentemente deram depoimentos para o caso civil que está à caminho, e é quase certo que os dois irão depor durante o julgamento, que pode durar até quatro meses. Eles enfrentarão um incômodo e longo questionamento sobre a vida pessoal de seu pai.


No entanto, a menina sensata, educada, com penetrantes olhos verdes olhando para mim, parece refrescantemente normal para uma criança que cresceu em um lugar chamado Neverland. "Eu tenho muitas lembranças do meu pai", diz Paris, tocando sua cabeça. "Fomos privilegiados porque tivemos nosso pai e pela nossa casa que a gente vivia. Nós sabíamos que ele era um cantor. Acho que me acostumei com isso. Parecia simplesmente normal para mim na época.


"Ele era um pai incrível. Nós três amávamos muito ele. Ele tinha aquela energia boa que você simplesmente não queria se afastar. Tipo, você estava sempre à vontade com ele. Literalmente cada vez que ele saía de algum lugar, eu falava "Eu te amo" porque eu tinha medo do que poderia acontecer. Sabe, eu já vi muitos filmes".
"Ele queria o melhor para nós. Ele sempre se assegurava que a gente estava na aula. Ele nos disciplinava o máximo que podia e estava sempre atento a nós. Ele era muito protetor. As máscaras foram ideia dele. Ele não queria que ninguém nos visse. Dessa forma, poderíamos ter o que ele não teve, uma infância normal".


Ela revisitou sua casa de infância, há dois anos, e observou com tristeza que a roda gigante havia sido removida. A família deixou Neverland em 2005, após o segundo dos dois bem conhecidos casos com relação a crianças que perseguiram a vida posterior de Michael.


"Eu chorei muito", Paris diz. "Lá é lindo. Tem ainda boa energia. Eu acho que deveria ser restaurada a como costumava ser para que as crianças que não puderam ter uma infância possam se divertir lá. Esse era o objetivo dele - como crianças num hospital. Eles deveriam restaurar todos os brinquedos e todo o resto. Assim que eu for adulta- ela estala os dedos- eu vou cuidar isso. Pode contar com isso".


Agradavelmente, Paris tem encanto e modos impecáveis. E, assim como seu pai, ela ganha vida na frente da câmera. Durante 48 horas que a Event passou com ela, para entrevistas e uma sessão de fotos, não houve nervosismo. Durante uma sessão, ela exibia uma guitarra e dançava sem se preocupar "Rebel Yell" do Billy Idol, cantando a letra em perfeita sincronia.


"Meu pai me ensinou a dançar. Eu sempre dançava. E, sim, ele me ensinou sim o moonwalk.


"Nosso lugar central era o quarto dele. Era só eu e os meus irmãos e ele. Não era muito grande. Era apenas o lugar que a gente dizia ser o núcleo da família, o quarto tinha uma energia muito boa e por isso era sempre mais aconchegante lá".


Muitas vezes, como ela lembra, ela e sua família estavam longe desse núcleo, viajando com seu pai. "Estávamos acostumados a estar na estrada. Ele tentava transformar os hotéis que iríamos ficar em casa. Ele tinha um projetor pequeno que ele levava, e ele pegava um lençol branco da cama e prendia no alto. Depois ele espalhava almofadas por todo o chão e a gente assistia DVDs e filmes o tempo todo. A gente tinha nosso cinema próprio em casa. Era muito legal.


"Um dos meus lugares preferidos para visitar era Tóquio. É simplesmente lindo lá, especialmente na primavera. Eu lembro de ter ido muito a Londres. Eu amo Londres, adoro estar lá. É lindo".


Quando Michael Jackson morreu, ele deixou tudo para sua mãe, Katherine e seus três filhos. Um fundo intitulado "Michael Jackson Family Trust" foi planejado de modo que os irmãos recebem uma parte da sua fortuna e comemorações marcantes, e cobre as despesas da família.

Os vizinhos aqui incluem Justin Bieber e Britney Spears. A propriedade é à prova de paparazzi-um guarda armado fica na entrada bloqueada de aço da comunidade e documento com foto deve ser apresentado. Uma longa viagem e depois uma estrada sinuosa, passadas enormes mansões atrás do gramados bem cuidados, para um segundo portão de aço alto, que é aberto com um passe apresentado pelo guarda no primeiro portão.


Quando cheguei, um homem enorme se apresentou como Trent Jackson, sobrinho de Katherine (ele é o filho do irmão do patriarca Joe Jackson, Luter). Trent é assistente de Katherine e "Man Friday"[assistente fiel, confiável], e mora na casa de hóspedes. Janelas enormes dão visão para paisagens arrebatadoras e para a piscina da casa e o "putting green"(área para a prática de golfe) particular.


A família vem vivendo na casa há 18 meses, enquanto o lar principal da família Jackson próximo de Encino passa por reformas. Tinha sido planejado como uma mudança temporária, mas Katherine está agora no processo de compra da propriedade de sete quartos arejados, que ela decorou com móveis antigos e artefatos asiáticos colecionados de suas viagens com Michael.


"Era para ser um lugar temporário, mas eu amei", diz Katherine. "É tão calmo. Encino foi onde eu criei Michael e as outras crianças. Era um lugar pequeno de um só andar, depois como ele conseguiu mais êxito ele pagou pelas modificações. É a casa da família e eu nunca vou vender, mas ela está cheia de muitas lembranças tristes. Este é um novo começo para mim e para as crianças. É muito calmo aqui".


Enquanto o mundo se deleita com as histórias de brigas e traições dentro da família Jackson, um retrato completamente diferente emerge do vínculo tocante entre Paris e seus irmãos e matriarca da família Katherine, uma senhora notável de 82 anos de idade, determinada a dar um tipo diferente de vida para seus netos da que sua própria prole experimentou.


"Michael teve uma vida tão infeliz", ela me diz. "Eu quero que Paris tenha uma infância adequada. Quero protegê-la. O problema é que há uma linha tênue entre protegê-la e permitir que ela faça suas próprias coisas e viver sua própria vida. Essa é uma linha que eu ando todos os dias.


Recentemente, Paris redecorou seu quarto e desfez o "santuário" que ela tinha feito para seu pai que dominava uma parede. "Eu tinha toda aquela colagem, mas eu tive que tirar, se eu quisesse pintar minhas paredes", disse ela. Mais tarde, Katherine gentilmente me puxou de lado e explicou: "Eu incentivei ela a não colocar de volta. Aquilo era demais. Eu não acho que seja saudável".


Todas as três crianças eram escolarizadas em casa- o que Paris não se lembra com grande carinho. Ela agora estuda numa escola privada exclusiva nas proximidades.


"Era meio chato", diz ela. "Eu ficava na mesma sala com o meu irmão todos os dias. Foi difícil a transição [para a escola], mas eu peguei bem o jeito. Eu não sou socialmente desajeitada mais. Eu costumava ser tão estranha. Oh meu Deus! Sabe aquela fase estranha que todo mundo passa? Eu usava óculos, cabelo curto, eu era gordinha".

Katherine fala por cima, "Você nunca foi gordinha, minha querida."


Paris continua, "Eu gosto de estar na escola regular. Eu quero ter uma experiência normal do ensino médio. É difícil ter uma infância normal quando você tem segurança com você o tempo todo. Estou em uma rédea curta e eu sinto que se afrouxassem um pouquinho eu definitivamente teria uma chance de uma infância normal, porque eu tenho amigos que são completamente normais, e ei - eles nem sequer pensam em mim como a filha do MJ. Eles pensam em mim como quem eu sou , sabe?


"Meu irmão Prince tem muito mais facilidade nas matérias acadêmicas. Eu não sei como ele faz isso. Elas são mais do lado esquerdo do cérebro. Eu sou definitivamente mais meu lado direito do cérebro" - ela quer dizer mais criativa -"E eu estou experimentando coisas diferentes. Eu estudei um pouco de fotografia, fui pra torcida, joguei futebol. Eu estou tentando muitas coisas diferentes, porque eu estou tentando me encontrar, descobrir com o que eu fico mais à vontade".

Prince e Blanket estão fora em La Vegas para o fim de semana em uma viagem da escola para uma convenção de robótica. Paris claramente aprecia o tempo sozinha: "É adorável e tranqüilo sem eles".


Ela diz que ela e seus irmãos realmente não têm muito em comum. "Mas quando estou com eles, jogamos bastante vídeo game. Mortal Kombat gera bastante competitividade em minha casa.


Eu e Prince somos muito diferentes. Quando a gente era mais novo, a gente era muito parecido. Agora não temos mais nada em comum".


Paris certamente parece subitamente muito mais crescida do que nas cenas do funeral. Seu penteado novo é um pomo da discórdia entre ela e sua avó.


Katherine suavemente alfineta ela por cortar o cabelo: "Mas Vovó, eu estou deixando crescer", Paris insiste. "Está realmente crescendo".


Katherine revira os olhos: "Ela acha que eu sou idiota", ela dá de ombros. "Na semana passada, ela veio da cozinha e disse:" tcham! Surpresa! "Ela foi e tingiu as pontas do cabelo de vermelho com corante alimentar. Eu não entendo de jeito nenhum essa nova geração. Era tão bonita com o adorável cabelo longo e natural que tinha. Agora olhe para isso!".


"Mas vovó - É ousado", Paris diz, para o que Katherine responde: "seja lá o que for, estava melhor antes".

Tatuagens são outro pomo da discórdia entre as duas. Katherine diz: "Eu rezo para que ela não estrague o corpo com tatuagens. Por que os jovens fazem isso?- e Piercings também. Paris tinha uns brincos no início que pareciam aqueles que esticam os lóbulos. Eu fiz ela tirar na mesma hora".


Paris,embora, tem outros planos, uma homenagem permanente para o pai dela. Ela guarda como tesouro uma nota que ele escreveu para ela no qual ele expressa seu amor eterno: "eu quero ela tatuada no meu pulso esquerdo e o nome da minha avó no meu pulso direito - quando minha idade permitir, é claro".


A música é uma paixão. Ela aponta para um toca-discos antigo e mostra uma caixa de discos de vinil : "A qualidade é melhor com o vinil", diz ela. "Apenas soa melhor.


"Eu amo tudo dos anos oitenta. Eu definitivamente nasci na era errada. Eu amo os Artic Monkeys, The Pixies, AC / DC, Mötley Crüe, Alice Cooper, The Smiths. Eu amo Nirvana também -Tenho a coleção inteira. Nós crescemos ouvindo de tudo. A gente escutava muitos clássicos, como a Motown. Papai era muito fã do Queen. Oh meu Deus, eu amo muito o Freddie Mercury".


Ela diz que sonha em ser cardiologista. "Eu quero ser atriz, mas apenas ao longo do ensino médio. Eu quero fazer medicina e me especializar em cirurgia cardiovascular. Quero ajudar as pessoas, é isso".


Paris passou o aniversário de 15 anos com sua mãe Debbie Rowe fazendo compras. As duas recentemente reacenderam o relacionamento delas. "Quando eu estou com a minha mãe, não temos seguranças com a gente", diz Paris. "O que é muito bom. Fomos às compras em Hollywood. Nós fizemos compras na Amoeba Records [uma loja grande de música], foi muito divertido".


Sua avó diz: "Paris saiu com sua mãe e por mim, tudo bem".

Como adolescentes do mundo inteiro, Paris é apaixonada por redes sociais: "Eu costumo ter problemas porque eu tuíto um monte de coisas que eu não deveria tuitar causando muito drama.


"Eu costumava ter Instagram, mas os comentários começaram a passar um pouco dos limites, então eu deletei. As pessoas começam brigas nos comentários e depois ficam com raiva de mim por eu apagar os comentários. Me xingavam. Era irritante.


"No twitter, eu costumava levar tudo para o lado pessoal quando as pessoas me tuitavam coisas [negativamente]. Então, eu pensei,"Eu preciso parar". Eu ficava muito chateada. Eu tento não olhar para as minhas mentions o tempo todo porque há tanto ódio lá, eu parei de ler. Eu tento não ler sobre a minha família".


Paris guarda alguns de seus mais duros comentários para seu vizinho, Bieber, que foi visto supostamente fumando maconha em público.


"Meninas no Twitter estavam se cortando, se auto-mutilando para chamar atenção dele para fazer ele parar. Mas eu acho que Justin não deveria fazer algo, onde ele seria pego, para que seus fãs jovens não sejam influenciados.


"Imagine quando essas meninas forem adultas e tiverem filhos e eles perguntarem:" Oh Mãe, onde você conseguiu essas cicatrizes? "Como é que elas vão responder? Quando eu tinha 12 anos meu cantor favorito fumou maconha. Eu acho que é muito irresponsabilidade dele fazer isso ".


Paris vê Kai, cozinheira, e abraça ela, e calorosamente cumprimenta Laura, sua guarda-costas. Ela pergunta se seria possível tirar uma fotografia com a avó. Katherine Jackson se senta majestosamente em uma cadeira, sua neta na beirada: "Te amo vó". "Eu também te amo, querida".


É evidente que a Sra. Jackson está fazendo um trabalho admirável na continuação do legado de seu filho e criando uma jovem legal, curiosa, inteligente, educada e sensata. Não há nada a perder. Se Paris navegar com êxito pelo processo colossal que ela está prestes a começar, e em seguida, em última análise, escapar da sombra de seu pai, ela vai precisar de cada uma das armas que Katherine possa dar a ela.





_________________
Te amo enternamente Michael Jackson


Gente vamos visita o forum da nossa amiga Mila tb ele é lindo viu!
http://carousel.ativoforum.com/


Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
 
Entrevista completa da Paris para a Event
Voltar ao Topo 
Página 1 de 1

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Never Can Say Goodbye MJ :: Fórum :: Informações e Curiosidades-
Ir para: