Never Can Say Goodbye MJ
Olá querido(a) Fã...
Nosso fórum vai passar por mudanças. Pretendo fazê-lor o mais rápido possível para evitar o menor desconforto.Espero que continue conosco e faça o seu cadastro. Ótimas Novidades vem por ai! Não percam!

God bless you.... Beijacksons <3
Administradora

*+ O Amor não tem fronteiras,
E a saudade nunca será um adeus +*


<3 O Amor vive para sempre <3
 
InícioInício  PortalPortal  CalendárioCalendário  FAQFAQ  BuscarBuscar  MembrosMembros  GruposGrupos  Registrar-seRegistrar-se  Conectar-seConectar-se  

Compartilhe | 
 

 Just Good Friends [+18] [Finalizada]

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
Ir à página : Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6, 7
AutorMensagem
Miss Jackson
Admin
avatar

Mensagens : 1328
Scores : 1883
Data de inscrição : 01/06/2012
Localização : Michael's House

MensagemAssunto: Re: Just Good Friends [+18] [Finalizada]   Sex Ago 02, 2013 8:00 pm

Capítulo 66



[ Música de cena ]

- Chris... Meu Deus do céu... O que foi tudo isso? Eu não... Não sei o que dizer... Ela falou segurando o choro.

- Só diz sim, baby, perdoe esse homem que só faz coisa errada, que é um egoísta que sabe que não é certo pra você, só... Volte pra mim e se case comigo, por favor.

Polly sente o chão faltar... Ela não estava sonhando. Christian estava realmente diante dela pedindo-a em casamento. Polly respira fundo e enfim responde.

- Sim... Eu aceito ser sua Mulher... A mãe dos seus filhos... Sua amante... Seu desejo... Sua eternidade, meu amor... Eu aceito tudo, só se for com você, meu Chris. - ela disse com um sorriso iluminado na face.

- Oh, Polly! - ele a abraça com força, deixando a emoção pegá-lo - Oh meu Deus, muito obrigado... Obrigado por voltar pra mim, meu amor... Por aceitar se casar comigo, eu te amo tanto! - ele exclama. - Nunca mais farei nada para te magoar, nunca mais, eu prometo! - ele diz, sentindo as lágrimas caindo.

Polly retribui, o abraçando mais forte e diz.

- Oh meu bem, esqueça isso... Esqueça! O que foi, passou e não voltará nunca mais.  Estamos aqui nos braços um do outro novamente e é isso que importa. Eu te amo muito, muito... Você também nem imagina o quanto. Só posso dizer que ele não cabe em meu coração... Por isso vou precisar do seu pra dividi-lo com você. Meu amor é seu amor!

- Meu amor é seu amor também, branquinha. Obrigada por me perdoar. - ele sussurra e a beija com amor. - Agora, me deixe colocar esse anel em seu dedo, minha noiva.

- Se você conseguir baby... - ela diz estendendo a mão pra ele -... Foram tantas surpresas lindas que não paro de tremer. - Polly riu de si mesma.



Christian sorriu pegando nas mãos trêmulas dela. Ele desliza o anel pelo seu dedo e logo depois o beija com carinho.

- Eu amo você... - ele sussurrou olhando em seus olhos.

- Amo você muito mais, minha vida... - Ela tocou o rosto dele assim como fez nas rosas - E que tal selar o pedido, meu noivo? - Polly sorriu e mordeu o próprio lábio delicadamente.

- Ah, baby... Acho uma ótima ideia. - ele sorriu.



Christian se aproximou de Polly, pegando-a em seu colo e colando seus lábios aos dela. O beijo foi romântico no inicio, mas logo se tornou ousado e exigente. A saudade tomava conta dos dois. Christian começou a subir as escadas e só parou de beijá-la quando chegou ao seu quarto. Ele se sentou na cama e colocou-a sentada encima dele:

- Faz amor comigo?- ele sussurrou em seu ouvido, beijando seu pescoço.

- Faço com uma condição. - ela disse segurando o sorriso.



- Hm... E qual seria, baby? - ele perguntou sorrindo de lado

- Quero usar um dos presentes... - Ela sorriu mordendo o lábio.

Christian morde os lábios também.

- Oh... E qual seria? Juro que nada passa pela minha cabeça. - ele murmura em expectativa

- Você não tem ideia, baby? Não estou te reconhecendo. - ela riu - Pensa um pouquinho vai... O que seria perfeito para usar agora?

Ele sorri.

- Hm... Além desse anel de noivado que ficou lindo em seu dedo, creio que tem algo que pode te deixar ainda mais perfeita... - ele chega em seu ouvido e sussurra. - Vista a lingerie, baby, quero ver a mulher da minha vida com o presente que dei a ela.

- Oh baby... - ela suspirou sorrindo - você acertou. Você poderia busca-la, por favor, ou quer que vá? Nosso beijo foi tão gostoso que me esqueci de trazê-la quando subimos. – Ela ri.

Christian sorriu e colocou-a sentada na cama.

- Ok, baby, vou lá embaixo pegar. Prometo ser rápido. - ele dá um beijo em seus lábios e saí do quarto.

Desce as escadas rapidamente e pega a caixa maior, voltando para o quarto.

- Pronto, aqui está. - ele sorri e estende a caixa pra ela

- Obrigada querido. - ela disse pegando a caixa nas mãos - Não morra de saudades tá... Volto já... - ela beija de leve a boca dele - Eu prometo.

- Então vá de pressa, já estou com saudades!

Ela riu e foi para o banheiro. Trocou de roupa rapidamente e logo depois se olhou no espelho, vendo o quão bonita ficou ao vestir aquelas peças. Sorriu confiante e saiu do banheiro. Polly vestia apenas a bela lingerie e um lindo par de saltos pretos de solado vermelho.

- Voltei... - ela diz sedutora apoiando a mão no batente da porta.

- Oh meu Deus, baby! - ele se levanta, boquiaberto e vai até ela. - Você está deliciosa... Dê uma volta... - ela sorri e deu uma volta lentamente. Quando se virou de frente, Christian pôs as mãos em sua cintura. - Eu fico impressionado... Você consegue ficar cada vez mais linda.

- Pois é sou linda mesmo. – se gabou - É minha aura sexy que te prende, baby. – Polly brinca de imita-lo.

Ele riu.

- Ah, pode ter certeza que sim, amor... Faz parte do nosso charme irresistível! - ele pisca

- Sim, mas eu sou mais irresistível... - ela diz arqueando a sobrancelha.

- Pode apostar que sim... - ele sussurra com a voz rouca e toma seus lábios em um beijo possessivo.

Christian aperta seu bumbum, trazendo-a para mais perto de si. Ao sentir o quanto ele estava excitado, Polly suspira.

- Estava com tanta saudade disso amor... - Ela diz.

- Eu também estava, meu amor... Nunca mais ficaremos longe um do outro, prometo que nunca mais lhe darei motivos pra isso. - ele disse, acariciando o rosto dela.

Ela suspira.

- Eu acredito em você baby. Agora... Me faça sua, por favor...

- Com prazer, branquinha.

Christian a envolveu em seus braços e a beijou devagar. Levou a até a cama e deitaram. Ele mordeu os lábios e se ajoelhou em frente a namorada. Se despiu lentamente, fazendo-a arfar e só parou quando estava somente de cueca. Passou os dedos pela pele da barriga dela, sentindo seus pelos eriçarem. Logo depois seguiu a mesma trilha com beijos, seus lábios molhados tocando na pele quente dela.
Ele subiu os beijos até chegar no botão frontal de seu sutiã, desabotoando-o. Tirou o sutiã dela e o jogou no chão. Sorriu sugestivamente e olhando nos olhos de sua noiva, ele beijou lentamente cada um de seus seios, sugando e mordiscando, fazendo-a gemer e ofegar rapidamente.

- Estava com saudades deles, branquinha... - ele disse com a voz rouca de desejo. - Na verdade, estava com saudades de você inteira, baby.

Ele começou a descer os lábios por sua barriga, até chegar ao cós de sua calcinha. Prendeu uma das laterais em seus dentes a puxou suavemente para baixo, expulsando a fina renda de seu corpo. Colocou-se no meio de suas pernas e tocou a intimidade de sua noiva devagar, sentindo o quanto ela estava molhada e excitada.

- Oh, baby... Tão molhada. Quero seu gosto em minha língua, novamente.

Polly gemeu baixinho e Christian começou a circundar seu clitóris com a língua o mais lento possível. Ele queria degustá-la, matar a saudade de todo o seu corpo, daquela parte em especial. Começou a sugar sua intimidade rapidamente, ouvindo-a gemer alto e se contorcer sobre a cama, quando sentiu que seu orgasmo estava próximo, ele parou. Ela olhou pra ele, questionando o ato.

Ele sorriu e pegou sua mão, colocando-a em cima de sua ereção que mal cabia dentro da boxer cinza.

- Sinta, baby... Veja como me deixa. - ele gemeu.

Polly o tocou levemente por cima da cueca e a tirou de seu corpo.

- Está ótimo amor, Perfeito! Gosto de você assim por mim... – ela sussurra

Christian mordeu o lábios.

- Oh, baby... Eu sei que gosta. - ele se deitou em cima dela. - Como eu gosto de vê você tão molhadinha assim pra mim. - ele suga seu lábio inferior. - Eu amo você.

Dito isso ele entrou nela devagar, sentindo-a gemer gostosamente em seu ouvido. Quando chegou ao topo, ele voltou lentamente e a penetrou de novo, sentindo o quanto ela estava quente e apertada para ele. A beijou rapidamente e começou a acelerar os movimentos. Polly arranhava suas costas e gemia bem alto, pedindo para ele ir mais rápido.

Christian sorriu e acelerou ainda mais os movimentos de seu quadril, saindo e entrando rapidamente até que começou a sentir o quanto ela se apertava em torno dele. Sentindo que o orgasmo estava próximo, ele aumentou os movimentos e então sentiu o aperto dela em suas costas, enquanto juntos alcançavam o clímax.

- Oh, branquinha.... - ele sussurrou. - Eu amo você.

- Te amo mais... Meu garoto irresistível... - ela diz dá um selinho nos lábios dele - Posso te perguntar uma coisa baby?

- Claro, meu amor... Tudo o que quiser.

- Okay... - ela sorriu - Como o senhor conseguiu ser tão meticuloso e preparar uma surpresa desse porte, hein? Quanto pagou a Marcie?

Ele se deitou ao lado dela e sorriu:

- Oh, baby, como é bom saber que pensa desse jeito sobre mim. - ele riu. - Bem, a ideia da surpresa foi toda minha e quanto a minha entrada em sua casa, eu simplesmente implorei a Marcie de joelhos para me ajudar e ela ajudou. - ele disse.

Polly fingiu estar brava e disse:

- Não acredito que Marcie passou por cima de meus poderes? Ela vai ver só, vou puni-la pela desobediência; a culpa é toda sua, senhor Grey!

- Oh meu Deus, Polly, você não pode fazer isso, baby. Coitada dela, ela só me ajudou. Branquinha, não seja tão brava... Pense no bem que ela fez a nós dois. - ele diz.

- Não admito isso Chris... Ela me desobedeceu! Está com pena? Contrate-a pra você então! - Ela insistiu na brincadeira.

- Ah, mas não vai mesmo, Polly. Por que está tão brava? Parece que está arrependida de ter voltado pra mim... - ele murmura, acreditando nela.

- Quando disse que mudei senhor Christian Grey, eu mudei mesmo! - ela deitou por cima dele e o olhou fixamente - Agora sou má e não me arrependo de nada que faço, entendeu?

- Não... - ele diz. - Ainda não entendi, baby. Você pode me explicar?

- Posso, com muito prazer. Pra você ter uma idéia... No dia que aconteceu a briga de Michael e Tamires fui em “Never” (apelido carinhoso para Neverland). Na saída dei de cara com a sirigaita labisgóia que enganou meu amigo. Dei uns gritos nela, e sabe o que ela fez? Me provocou. Ah... ela não devia ter feito isso! Baby, eu não pensei... Marquei meus cinco lindos dedos nas fuças dela.

Christian arregalou os olhos e falou:

- Oh meu Deus, Polly! Como assim? - ele pergunta assustado

- É isso mesmo baby. Quando falei pra ela sair do rancho a sem vergonha perguntou se eu ia chamar as fadinhas e os duendes pra me ajudar a expulsá-la. Oh Lord, meu sangue ferveu! Eu só disse bem assim: "Não vou chamar ninguém, que vai te arrebentar sou eu!" Dei o tapa com gosto por Tamires e Michael. Eu sempre a odiei, mulherzinha nojenta. Olha só, com ela só foi suficiente um. Então que essa tal de Jane não ouse se aproximar de você novamente. Não à quero nem há 100 metros do prédio da sua empresa, ouviu bem, amorzinho? Ela disse.

- Oh, baby, agora eu ouvi e entendi muito bem! - ele disse e depois riu. - Confesso que queria ter visto você batendo nessa mulher... Você fica tão sexy quando está brava!

Poliana segurou o riso.

- Você gosta de me ver brava né? - Ela disse tocando o rosto dele três vezes - Bem que você merecia uns tapas também seu safado...

- Oh... Mas tapas de amor não dói, baby! - ele ri

Ela deu uma gargalhada alta.

- Você é muito bobo, sabia?

- E você é a mulher da minha vida! - ele sorri e a beija.

- Sou tua sim, meu gostoso lindo! Ah, e só pra constar... Sou uma ótima atriz porque você acreditou direitinho que eu puniria Marcie. Imagina se vou castiga-la? Que maluquice! Vou aumentar o salário dela, isso sim. - Ela sorriu travessa.

- Ah, concordo. Ela merece receber o triplo por ter me ajudado! - ele diz e se deita em cima dela. - Agora, acho que vou matar mais um pouco da saudade que senti de você, Sra. Grey.

Eles riram e se beijaram mais uma vez. Passaram a tarde juntos, alugaram primeiro Tamires e depois Michael ao telefone pra contar que haviam voltado, deixando os dois felizes.


Continua...
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://nevercansaygoodbyemj.forumeiros.com
Miss Jackson
Admin
avatar

Mensagens : 1328
Scores : 1883
Data de inscrição : 01/06/2012
Localização : Michael's House

MensagemAssunto: Re: Just Good Friends [+18] [Finalizada]   Sex Ago 02, 2013 8:02 pm

Capítulo 67

Michael não poderia estar mais feliz por sua amiga e Christian era um bom cara pra ela. Agora só faltava ele se acertar com sua linda namorada. Ele passou a semana ansioso pela vista de Tamires. Fez vários ensaios de como se comportar e o que dizer. Não queria espanta-la. Ligou pra Polly pedindo várias dicas e a amiga lhe informou tudo que daria um bom resultado. Quando o sábado chegou Michael enviou Bruce ao prédio dela. Duas horas depois ela chegou e como de costume, ele foi recebê-la assim que saiu do carro.

- Tamires... – Michael sorriu - Que prazer vê-la aqui novamente.. - Ele disse a abraçando apertado.

Tamires sorriu e retribuiu o abraço.

- Oi, Michael... - ela diz, saindo dos braços dele.

- Está animada? - Ele diz empolgado.



- Muito! Mal posso esperar para ver o ensaio. - ela diz empolgada também.

- Que ótimo! Mas antes quero sua opinião numa coisa...

Michael pegou a mão dela e a levou até uma sala reservada. Nesta sala estavam todos os figurinos da turnê.

- Quero sua opinião com isso Tah. Veja este figurino aqui... - Ele tirou um cabide da arara e ergueu diante de Tamires. Era um body dourado de forro preto acetinado. Bem chamativo aos olhos - Tive a idéia de usar algo mais provocante, dessa vez, mas não sei não... Isso é legal? O que você acha?



- Uau, Mike! - ela ergue a roupa a sua frente. - Eu adorei... Só acho que você vai matar as fãs na plateia... - ela torce a boca ao ter tal pensamento, mas logo depois sorri. - Eu gostei mesmo.

- Ai graças a Deus você gostou... - sorriu aliviado - Mas quero saber de verdade o que você acha. Você é minha fã number one, garota!

Michael disse com aquele sorriso irresistível e iluminado.

- Eu achei ótimo. Sério mesmo... Vai ficar ainda mais bonito em você.

- Obrigado. Já que citou, vou prova-la pra você ver o caimento. Dê-me um segundo sim. - Ele pega o figurino das mãos dela, pega uma calça preta na arara e foi pro banheiro vesti-los.

Minutos depois ele retorna...



- E aí, ficou bom? - Disse ele ansioso.

Tamires engoli em seco e fica boquiaberta.

- Uau... Como eu suspeitava. Ficou demais em você, Michael!

Michael sorriu por ver Tamires naquele estado.

- E dos outros, o que você achou?

- Achei ótimo... Todo o figurino está lindo, Michael. Parabéns pelo seu bom gosto.

- Obrigado, vocês merecem. E como estão seus livros? Vi que as criticas estão muito positivas... – ele disse.

- Está vendendo a mil maravilhas, Michael, graças a Deus... Recebi várias propostas para publicar em outros países, ainda estou estudando essa possibilidade.

- Publicar em outros países? - ele disse desfazendo o sorriso.

- Sim... Por que o desagrado? - ela perguntou, curiosa.

- Não é isso não, Tah. Eu gostei, mas... É que você vai ficar longe por causa disso. – ele diz acanhado

Ela franziu o cenho sem entender.

- E por que isso incomoda a você?

- Não me interprete mal, fico feliz por seu progresso, mas vou sentir sua falta... - Ele disse olhando nos olhos dela

Tamires sorriu.

- Certo, mas eu ainda não fechei nada com editora alguma então, podemos esquecer um pouco esse assunto de saudades, não é mesmo?

Michael não conteve a felicidade que o invadiu.

- Claro!  - ele sorriu - E tem você tem que ir na minha turnê, hein? Não posso ir a lugar algum sem minha fã numero um.

- Mas é claro que eu vou! Se eu pudesse, iria a todas em todos os países, mas acho que não terei tempo, mas prometo ir à ao menos dois shows.

- Oba, você vai comigo! - ele correu e a abraçou apertado - Obrigado Tah... - Disse e beijou a face dela - Te amo Tah!

Tamires sorriu, sem graça.

- Oh meu Deus, não sabia que ficaria tão feliz com a minha presença.

- Mas é claro que fico feliz, Minha sininho da sorte. - Ele sorriu - Vamos descer? A equipe já estava terminando de ligar a aparelhagem de som quando você chegou.

- Vamos! Estou ansiosa para vê o ensaio de Michael Jackson! - ela diz entusiasmada.

Michael sorriu. Ele pede um segundo para tirar o figurino, Tamires assente. Minutos depois e de mãos dadas se dirigiram ao local onde o palco foi montado. O palco era enorme e um pouco alto do chão. Uma réplica perfeita do que seria usado na turnê. Michael mostrava cada detalhe para Tamires e dizia como eles funcionavam. Um dos homens que mexia na mesa de som chama por Michael. Ele pede licença a Tamires e vai atendê-lo. Tamires observava tudo atentamente, prestando atenção em cada detalhe.

Logo depois Michael sorriu e disse a ela:

- Pura mágica não é?

- Oh, com certeza... - ela murmurou. - A mágica de MJ.

- É... Posso dizer que tem razão, sininho. - ele sorri - E você quer ficar nos bastidores ou na plateia? Perguntou divertido.

- Ah, eu gosto de ficar na plateia, é tão legal! - ela diz. - É uma energia tão diferente.

- Certo. Então você pode ficar ali na frente, próxima ao palco. Vou aquecer a voz e logo começo, certo?

Ela assentiu e foi pro lugar onde ele indicou.

Michael aquece a voz com exercícios vocais e movimentos de boca. Como prometido subiu rapidamente para o palco já com microfone na mão.

- Vamos passar primeiros os arranjos e depois seguimos com as musicas, okay?. Ele disse a banda no fundo do palco.

Michael olhou pra Tamires sorrindo e deu um tchauzinho.

Ela correspondeu a ele com um sorriso que fez o coração de Michael saltar. Os músicos dão inicio. As batidas são envolventes e bem marcadas. Michael começa a mexer a cabeça e os pés, acompanhando atentamente cada detalhe.

Tamires se empolga. Ela parecia não acreditar que estava ali depois de tudo que aconteceu a eles.


[Ensaio: I Just Can Stop Loving You]

Depois de passarem os instrumentais Michael faz um sinal e eles começam a tocar "I Just Cant Stop Love You". Siedah se posiciona à frente junto a Michael. Ele olha pra Tamires e gesticula um "Essa é pra você" e pisca pra ela. Michael canta a primeira estrofe e Siedah dá continuidade. No refrão eles se entregam de corpo e alma. É emocionante vê-los! De repente nos acordes finais eles param quando a canção fala "And If a stop!".

Michael se dirige a equipe e pede que o holofote permanece nele. Assim daria enfase a próxima canção.

A próxima canção inicia com um som vocal de Michael, o famoso "Tchi tchi" de Human Nature. A bateria dá o ritmo e ele começa soltar a voz.


[Ensaio: Human Nature]

- Looking out... Across the night time....

Tamires sente o coração palpitar. Essa era sua música favorita.

- Oh meu Deus... Não acredito! - ela sussurra e sorri.

Ele caminha pelo palco enquanto canta. Dança uma coreografia que tira o fôlego de Tamires. Ela respira profundamente quando ele desliza a mão pelo corpo. No refrão Michael diz "Everybody sing it, everybody!" olhando para linda garota que fixamente o olhava emocionada.

E assim o ensaio seguiu.


[Ensaio: The Way You Make Me Feel]

A cada canção uma energia diferente. Nas mais agitadas Tamires literalmente saía do chão com Michael. Em "The Way You Make Me Feel" Michael a provocou muito com olhares sensuais e gestos sexys. Ela sacode a cabeça e ria. Os movimentos de quadril que ele fazia estavam deixando Tamires pensando se realmente valia apena ficar separada do homem a sua frente. Na segunda parte da música uma garota sai do fundo do palco e começa a interagir com Michael. Tamires fica atenta, mas ficou feliz por não ver mais Susie ali.

A canção termina. Tamires não resiste, com os dedos na boca dá um assobio alto e grita "Uhull". Michael que estava de costa se virou pra ela e sorriu.



- I love youuu... - ele responde rindo.

Tamires cai na gargalhada.

O ensaio ocorreu durante a manhã toda. Deram algumas pausas, mas não perdiam o foco. Quando a hora do almoço se deu, a equipe foi dispensada. Michael desce correndo as escadas do palco e vai até Tamires. Seu corpo ainda tremia de tanta adrenalina.

- E aí, o que você achou? Estava bom?

- Oh meu Deus, estava maravilhoso, Mike! - ela responde, sorrindo.

- Sério? - disse ele com um sorriso maior ainda.

- Seríssimo! Estava demais!

- Obrigado. Olha só, hoje cantei só pra você Sininho...

Ele disse com uma dose de sedução nata da natureza dele.

- E eu amei ouvir! Sério mesmo. - ela sorriu.

- Que bom, pois foi do meu coração pra você. - Ele diz.

Ela sorriu.

- Obrigada, Michael, foi uma manhã maravilhosa e inesquecível. - ela olhou para o seu relógio de pulso - Oh... A hora voou, eu preciso ir, Michael, tenho que ir ao médico, minha consulta tá marcada pra daqui a duas horas e a viagem até o centro é longa.

- Hey, espera, eu te levo. - Ele diz - Preciso apenas tomar um banho e já saímos.

- Não, Mike, não precisa! Eu não quero te atrapalhar, por favor...

- Imagina, não me atrapalha em nada. Eu te levo. Só preciso de alguns minutos, okay?

- Tudo bem. - ela riu se dando por vencida. - Eu te espero.

Michael sorriu e pediu licença para ir se arrumar. Entrou em seu quarto, indo direto para o chuveiro. Tomou um banho rápido, se secando foi indo em direção closet, pegou uma roupa e a vestiu, terminou de dá um retoque no visual e saiu do quarto, encontrando-a na sala.



- Vamos? - Ele diz com um sorriso na face.

Tamires sorriu e suspirou ao vê-lo.

- Vamos.

Michael abriu a porta do passageiro para Tamires. Ela entrou. Em seguida ele entra no lado do motorista e senta. Tamires estranha e diz.

- Você vai dirigir? - perguntou.

- Vou, por quê? Está com medo? - ele franziu a testa e riu - Saiba que sou um ótimo motorista, pode ficar tranquila.

- Oh, eu espero mesmo que seja um bom motorista, somos muito novos para morrer. - ela disse, tirando sarro dele.

- Que? - Ele a encarou ofendido - Você não confia em mim?

- Só um pouquinho... - ela disse e logo depois riu.

Michael revirou os olhos.

- Vamos logo antes que se atrase, sua medrosa.

Ele liga o carro. Ronca o motor e sai fazendo o pneu cantar.


Continua...
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://nevercansaygoodbyemj.forumeiros.com
Miss Jackson
Admin
avatar

Mensagens : 1328
Scores : 1883
Data de inscrição : 01/06/2012
Localização : Michael's House

MensagemAssunto: Re: Just Good Friends [+18] [Finalizada]   Sex Ago 02, 2013 8:04 pm

Capítulo 68


Em quarenta minutos o casal chega a clínica. Tamires desce do carro maldizendo o nome de Michael enquanto ele quase chorava de rir.

- Eu falei pra você ficar tranquila Tah. Olha aí, chegamos sãos e salvos.

- Oh, claro... Quase morremos no caminho, mas está tudo bem... - ela diz. - Pode ter certeza que deve ter mais trezentas multas na sua carteira de motorista por excesso de velocidade, alias quem foi o irresponsável que te aprovou pra ter uma carteira de habilitação?

Michael gargalha abrindo a porta da clínica e dando passagem pra ela.

- Você está muito estressada? Nem corri tanto assim. - disse segurando o riso.

- Claro que não... Uma viajem que faríamos em uma hora e meia fizemos em quarenta minutos e você nem correu. - ela disse mais baixo, entrando na clinica.

Ele apenas riu e não disse mais nada. Tamires se aproxima do balcão para falar com a recepcionista, mas a mulher só conseguia olhar para o seu acompanhante.

- Oh Meu Deus... Você é MICHAEL JACKSON? - A mulher diz com os olhos arregalados.

- Sim... Ele respondeu com um sorriso tímido.

- Jesus Cristo! - ela exclama - Michael, por favor, Me dê um autografo seu para entregar a meu filho? Ele é muito seu fã... E... Eu também... Oh meu Deus, estou falando com Michael Jackson! - Ela dizia eufórica ao entregar o papel pra ele.

Michael sorri e pega a folha das mãos dela.

- Como seu filho se chama? – ele pergunta

- Bruno!

Ele assentiu, autografou o papel e o entregou de volta a mulher.



- Muito obrigada Michael, por isso você é o melhor! Meu filho vai ficar muito feliz!

- Diga a ele que mandei um abraço. - Michael falou sorrindo.

- Digo... Digo sim... - A mulher disse ainda extasiada.

Tamires que observava a cena disse:

- Hm... Eu tenho uma consulta marcada com a Dra. Green... - ela disse. - Meu nome é Tamires.

- Oh sim, senhorita Tamires, me desculpe. - A mulher falou pegando uns papeis, mexeu no computador, estava completamente perdida por causa da ilustre presença do Rei do Pop. Tamires estava com cara de poucos amigos e Michael segurava o riso. - Aqui está senhorita... Pode esperar na sala ao lado.  

Tamires agradeceu e saiu. Michael acena em despedida pra mulher e sai logo em seguida.

Na sala de espera Tamires dispara:

- Hum... Muito bonito, você vem até aqui para me acompanhar e fica de papinho com aquela loira sem sal! Um absurdo! - ela diz, emburrada

- Hã? O que foi que eu fiz? O autógrafo era pro filho dela, você não viu? - Ele diz em defesa.

- Ah, claro... Não quero nem falar em voz alta o que ela estava fazendo ali na sua frente!

- Você está com ciúmes de mim? - Michael deu risada - Oh boy, o que ela fez?

- O que? - ela olha pra ele. - Mas é claro que não, nós nem estamos mais juntos! Por que ficaria com ciúmes?

- Porque você está bravinha demais por causa de um simples autógrafo. - ele ri - Isso significa que você ainda gosta de mim.

- Isso não significa nada! E eu não estou brava por causa do autógrafo, eu estou brava porque ela é uma abusada, onde já se viu? Nem parece que está no ambiente de trabalho... É um absurdo!

Michael cruza os braços e fica olhando pra ela. Segundos depois ela se irrita mais.



- Está me olhando por quê? - ela pergunta

- Você fica linda com ciúmes...

Antes que Tamires respondesse a Doutora sai na porta e chama seu nome.




- Senhorita Barcellos!

Tamires estreita os olhos pra ele e se levanta, seguindo a doutora até o consultório. Michael ri dela e pegando uma revista que estava à disposição na mesinha de centro.

Na sala Dra. Green oferece a cadeira a Tamires e senta em seguida com os exames dela nas mãos.

- Bem, Tamires... Sua saúde está ótima. Todos os seus exames estão de parabéns. - Disse ela com um sorriso no rosto - No seu estado isso é muito bom, viu.

- No meu estado? Como assim no meu estado? - ela pergunta, confusa.

- Como assim? Você não sabe que está grávida? - A médica também fala confusa.

- O que? - ela pergunta. - Grávida? Como assim grávida?

A médica tenta acalma-la.

- Fique calma Tamires... Você está grávida sim, de sete semanas, ou seja, dois meses. Agora vou encaminhar seus papéis para outro setor para começarmos a fazer o pré-natal. - Tamires a olhava absorta com a notícia e pra completar o pai da criança estava na sala de espera.- Tamires, você está bem? Quer um copo d'água? - Disse a médica.

- Mas eu... Eu sempre tomei remédio eu... Ôh meu Deus, eu estou grávida! - ela exclama

- Você esqueceu-se de toma-lo algum dia? - pergunta a doutora.

- Não... Quer dizer , só um dia quando ainda estava viajando...

Dra. Green sorriu.

- Foi nesse dia que o efeito do remédio se perdeu Tamires. Me diga uma coisa, você está se sentindo estranha estes dias? Tem tido enjoos?

- Sim... E vontade de comer coisas estranhas também... - ela murmura - E eu estou atrasada...

- Tudo bem... Isso é o suficiente. Vou marcar seu primeiro exame de obstetrícia. Precisamos saber como seu bebê está.

A médica disse e se pôs a escrever na ficha. Tamires tinha um turbilhão na cabeça. Como contar a Michael que ele seria pai? Ele com certeza ficaria muito feliz, mas Tamires estava insegura, pois ainda estava brigados.

A doutora termina de escrever na ficha e diz:

- Pronto Tamires. Como sua médica particular, vou cuidar do seu bebê apartir da semana que vem. Não quero que faça esforço ou pegue peso, entendeu? Os primeiros meses são delicados para todas as mamães de primeira viagem como você. Ah, e traga o paizão nas consultas. - Disse Dra. Green.

- Ôh... Claro - ela murmura - Meu bebe... Isso é tão novo! - ela sorriu

- Sim... E você vai curtir bastante. Parabéns Mamãe! - Green sorriu.

Tamires agradece e as duas se despedem. Tamires pega os exames e sai da sala.

Michael levanta e vai até ela assim que saiu na porta.

- E aí, está tudo bem? – ele diz.

Tamires assenti e morde os lábios.

- Eu tenho uma novidade... - ela murmura - Mais só vou contar quando estivermos no carro.

- O que foi? Aconteceu alguma coisa Tamires? - Ele diz preocupado.

- Sim, aconteceu, mas eu só vou contar quando estivermos no carro. - ela diz

- Oh Meu Deus, é grave? Diga, por favor... - ele insiste.

- No carro, Michael...

Ele assenti e pega a mão dela, saindo rapidamente do consultório e entrando no carro.

- Pronto! Estamos no carro agora fala... - Ele diz visivelmente ansioso

- Certo... - ela respira fundo e diz de uma só vez - Eu estou grávida.

Michael fica paralisado. Seu coração parou de bater e seus olhos arregalam.

- Como é que é? Você disse que... Que está grávida? Foi isso mesmo que eu entendi, ou estou ficando maluco? - diz nervoso.

As mãos dele transpiram frias agora.

- Foi isso mesmo que eu disse, Mike.... Eu estou grávida. - ela murmura e sorri - Nosso bebe está aqui... - ela passa a mão pelo ventre liso

- Meu Deus... - ele disse e cobriu a boca com as duas mãos e seus olhos encheram d'água. Num impulso ele toma o rosto dela com as duas mãos e beija seus lábios com muito amor.

Dando-lhe vários beijos dizia:

- Meu amor... Eu te amo tanto... Você... - ele respira fundo tentando conter a emoção - Oh Meu Deus nosso bebê... Nosso filhinho está aqui... Eu te amo Tamires, te amo demais...

- Sim, está aqui... - ela sorriu pelo entusiasmo dele.

Michael tocou a barriga dela e depois beijou.

- Papai está aqui meu filho... E vai cuidar de você e da mamãe. Eu prometo! Papai te ama muito, muito... - ele beija a barriga dela e volta a olha-la - Hoje você me fez o homem mais completo do mundo minha gatinha... - Michael falou emocionando-se novamente - Muito obrigado, meu amor.

Ela sorriu e pôs as mãos em cima das deles, que ainda cobriam sua barriga.

- Você também me faz a mulher mais feliz do mundo. - ela olha pra ele - Nós amamos você, Mike.

- Ownnn... Eu amo vocês muito, muito mais... - Ele disse sorrindo – Hey gatinha, temos que avisar essa maravilha a Polly e Christian... O que acha?

- Oh, acho ótimo! Christian me disse que passaria o dia na casa de Polly, acho que poderíamos ir até lá.

- Melhor ainda! Assim falamos aos dois de uma vez. Então vamos logo, antes que a ansiedade não me permita dirigir. – feliz, ele riu - Ah gatinha, prometo que vou  mais devagar agora tá?

- Acho bom mesmo. Lembre-se que agora temos um bebê aqui!

- Claro amor, tem toda razão. Quero ele bem tranquilo e você também, viu? - Michael a beijou e se ajeitou no banco - Agora vamos.

Ele girou a chave na ignição e saíram dali.




Quarenta e cinco minutos depois o casal toca a campainha na casa de Poliana.

- Amor atende pra mim, por favor. - Polly disse a Christian enquanto estava na cozinha.

- Claro, baby. - ele dá um selinho nela e vai até a porta, tomando um susto ao ver Tamires e Michael juntos. - Oh... Podem entrar, gente!

Eles entraram e Tamires o abraçou.

- Chris, que saudade... Se esqueceu de mim, não é?

- Jamais, baby... Quando voltou com Michael? - sussurrou em seu ouvido.

- Não voltei, eu acho... É uma longa história. - ela sussurrou de volta e
Polly entrou na sala.

- Ahhh não acredito! - ela gritou ao ver os amigos juntos - Vocês voltaram? Omg, Deus seja louvado! - Disse os abraçando - Como vão e quando voltaram?

Michael riu e respondeu:

- Oi pra você também, sua doida escandalosa. Estamos bem... Muito bem. - ele olhou pra namorada sorrindo - Voltamos hoje.

- Ahhh que lindo! Demorou né Mike? – Polly disse.

- Sim, essa gata é muito brava... - Michael fala abraçando Tamires por trás e beijando sua face - Fala pra eles que voltamos, amor?

- Sabe... Não sei dessa história não... - ela comenta em um tom casual.

- Não? - Michael arregalou os olhos - Porque não?

Poliana fez uma careta de "Vish, deu zebra" e olhou para Christian.

- Ela está fazendo charme, Mike... - disse Christian, cruzando os braços.

Tamires sorriu minimamente.

- É eu acho que estou fazendo charme! - ela sorri. - Sim, nós voltamos, podem soltar os fogos!

- Oh God, aleluia amiga! - Polly correu e a abraçou - Graças a Deus vocês voltaram mesmo... Oh Deus rezei tanto por isso.

- Suas preces foram atendidas, amiga... - ela disse, sorrindo. - Assim como as minhas também foram, porque agora você e Chris estão juntos!

- É verdade mana... Estão tão bem! Não é amor? Polly respondeu sorrindo pro noivo.

- Estamos mesmo, baby... Momento "in love" que vai durar para sempre. - ele disse a abraçando.

- Oh... Vocês são lindos! Tamires exclamou.

Michael sorriu e olhou pra Tamires. Aquele momento era perfeito para dar a notícia.

- Gente... Tamires tem uma notícia muito importante pra dar a vocês? - Michael falou e riu.

- Sério? Conte logo mana. Não gosto de ficar curiosa. - Polly disse rindo animada.
Christian também fica curioso.

- Hm... Está esperando o que pra falar, Tah?

- Só eu tenho algo pra contar? Acho que nós dois temos, não é? - Tamires pergunta olhando para Michael

- Não sei de nada, gatinha... - Michael respondeu e começou a assobiar fingindo-se de desentendido.

- Gente pelo amor de Deus! É grave? Falem logo. Polly disse impaciente.

Christian bufou e revirou os olhos, também impaciente.

- Michael, eu não fiz sozinha! - ela diz cruzando os braços. - Não fica de graça, porque você já está todo errado porque deu bola para aquela loira oferecida!

- Não fez o que sozinha? - Christian perguntou, sem entender

- Mike, o que você aprontou? - Polly disse o encarando.

- Nada! Eu não fiz nada... Aliás, fiz... - ele ri - Mas Tah não quer dizer o que é.

- Deus do céu, eu já estou perdida... - Poliana diz frustrada.

- Ele fez sim, ficou dando papo pra mulher do consultório... - Tamires disse contrariada.

- Consultório? Tah, você está doente? - Christian perguntou

- Não Chris, ela está ótima, graças a Deus. - Michael falou.

- Então o que é, m***a!? Já estou ficando nervosa com essa enrolação. Polly diz.

Tamires sorriu e mordeu o lábio.

- Já que Michael está de palhaçada, eu mesmo vou contar... Estou grávida!

- Oh my God! Tah você esta... Oh Deus você esta gravida amiga? É sério isso? - Poliana fala sentindo os olhos marejarem.

- Ah meu Deus... Sim, é sério! - ela exclamou, sorrindo.

- Tah! Que maravilha! Vamos ser tios, Polly! - Christian exclamou.

- Sim vocês são tios! - Michael disse rindo - acabamos de sair do hospital.

- Acho que ainda estou chocado... É muita coisa acontecendo de uma vez só! - disse Christian.

- É verdade, Chris... Mas são coisas para nos alegrar!

- Claro que são! – Polly disse - Calma amor, respira... – ela disse a Christian – Isso é um sonho, meus amores. Meu Deus, eu vou ser tia! – repetiu sem deixar de sorrir.

- E eu vou ser mãe! - Tamires exclama, indo abraçar a amiga

- Vai sim mana... A mãe mais linda do mundo! - Respondeu Polly entre lágrimas de emoção.

Christian abraçou Michael e o parabenizou.

- Parabéns, cara! E vê se não apronta mais... - murmurou no final, apertando a mão dele.

- Nem brinca Chris. - Michael exclamou - Amo demais essa garota e não vou perdê-la de vista nunca mais. Obrigado amigo; e você também cuide da minha irmãzinha, okay?

- Pode ter certeza que cuidarei muito bem, cara. - ele sorri e se vira. - Hei, posso falar com a Tah agora, Sra. Grey?

- Fique a vontade amor. - Polly sorriu.

Ele sorriu e abriu os braços, vendo Tamires se jogar em cima dele.

- Parabéns, baby... - ele sussurrou. - Eu amo você.

- Também amo você, seu bobo. - ela riu e se afastou dele.

Christian sorriu pra Polly e se aproximou dela.

- Agora, só falta a gente, né, amor?

- Pois é baby, Mike passou a nossa frente. Ela responde.

- Claro Polly, você é muito enrolada. Michael disse rindo.

- Eu não sou enrolada, apenas quero planejar direito a vinda dos meus herdeiros ué. O que tem demais? E outra, Chris e eu não temos pressa, não é baby?

- Ah, baby, eu tenho sim! - ele diz. - Preste atenção... Se nosso bebê for menino e o da Tah e o do Mike for menina, nosso garoto vai namorar com ela, então, não podemos fazê-lo muito tarde!

Tamires gargalhou pelo pensamento dele e Polly disse:

- Como é que é? Nossos filhos namorando amor, mas eles vão ser praticamente irmãos. - Ela disse rindo desconcertada.

- Talvez não... Meu filho vai ser um garoto esperto, baby. O que não pode, é claro, é o filho deles querer se engraçar para cima de nossa filha. Minha filha só namorará acima dos 30 anos...

- Que machismo! - Tamires exclamou.

Michael balançou a cabeça e disse:

- Hey Chris, talvez minha garota esteja aqui viu, e ai do seu garoto de ficar de graça com ela!

- Pronto, agora vão de matar. - Polly riu e olhou para Tamires.

- Oh meu Deus... Vocês têm que entender que são duas crianças, se isso acontecer será só daqui a muitos anos, quinze anos no máximo.

- Pouco me importa, se é minha filha, já estou me preocupando antecipadamente. Meu filho vai ser como o pai... - ele comenta.

- Metido e cheio de marra... Estou ferrada! - Polly murmurou segurando o riso

- Está mesmo, amiga... - Tamires suspirou. - Já vi que nossas filhas vão sofrer.

- Sofrer não, só serão protegidas pelos pais.

- Temos que protegê ou que espécie de pais vamos ser? - Michael falou.

- Okay Mike e Chris... Vocês serão ótimos pais! - Polly piscou para a amiga confirmar.

- Isso mesmo, está bem? - Tamires pergunta, rindo. - O que importa é que logo teremos um bebezinho aqui, senão dois, não é Chris?

- Claro... Logo minha branquinha também estará grávida, não é baby? - ele perguntou olhando pra ela.

- Sim meu amor... Logo logo... - Polly respondeu sorrindo e balançando a cabeça.

- Hm... Acho bom mesmo! - Tamires disse.

Christian sorriu e beijou Polly.

- Hei, vocês ficarão para almoçar? Polly está na cozinha hoje! - Christian disse.

Michael respondeu:

- Opa, Polly na cozinha... Eu tô dentro!

- Hoje o cardápio do dia é uma receita especial... "Virado à Brasileira". Minha especialidade. Poliana diz cheia de orgulho.

- Hm... Adoro comida brasileira! - Tamires disse. - Vamos aproveitar que não estou enjoada!

- Ah é... Daqui a pouco você vai está chata demais... Pior é quando começar a chorar do nada... - Christian disse.

- Sem graça, eu não vou ficar assim. - ela respondeu emburrada.

- Ah Chris deixe ela... - Polly disse rindo - Não esquenta mana, meu virado apesar de ter muitos itens, é bem leve. Aqui nos Estados unidos ele fica diferente porque substituí alguns ingredientes, mas basicamente é o maravilhoso arroz e feijão que comemos na viagem.

- Viu só, Christian, não vou passar mal com isso! - ela diz dando língua pra ele.

- Sei... - ele riu

- Ai Polly desse jeito você acaba comigo, você sabe que amo comida brasileira. - Michael falou.

- Sei bem Mike... - ela ri - Então chega de conversa e vamos pra cozinha... O rango já já fica pronto.

- Vou engordar cem quilos! - Tamires falou indo pra cozinha junto dos amigos.

Os quatro amigos almoçaram entre risos e piadinhas. Chris tirava onda com Tamires por causa dos quilinhos que ela ganharia durante a gravidez. Michael rebatia falando de Polly, e assim se divertiam. Depois da sobremesa Poliana sugeriu um passeio no shopping para visitarem as lojas de artigos para bebês. Queria curtir a gravidez da amiga desde o início. Todos aceitaram e saíram juntos, mas cada casal em seu carro.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://nevercansaygoodbyemj.forumeiros.com
Miss Jackson
Admin
avatar

Mensagens : 1328
Scores : 1883
Data de inscrição : 01/06/2012
Localização : Michael's House

MensagemAssunto: Re: Just Good Friends [+18] [Finalizada]   Sex Ago 02, 2013 8:06 pm

Capítulo 69


No shopping eles entram sorridentes na primeira loja. Poliana e Tamires ficam malucas com tantas coisas lindas. Todas as peças que pegam nas mãos tem um comentário emocionado. Christian e Michael também brincam com as roupas de bebês. Christian pegou nas mãos um conjunto masculino, uma réplica perfeita daqueles uniformes de futebol americano em azul e branco. Ele foi todo sorridente mostrar a Polly.



- Olha isso, baby! - ele disse. - Vamos comprar, certo?

Polly franziu o cenho.

- Comprar? Mas nem sabemos o sexo do bebê dela ainda, amor? - Ela se referiu a Tamires.

- Não... É pro nosso filho, baby!

- Ah sim... - ela exclama e sorri - E como sabe que será menino, senhor sabichão?

- Você sabe, baby... Eu sinto isso, faz parte do meu charme irresistível! - ele sorriu e piscou pra ela.

Tamires revirou os olhos.

- Tudo é você e seu charme irresistível, né? - ela riu

- Claro, baby.

Poliana deu uma gargalhada.

- Mas ele é irresistível mana... Ou eu não teria voltado pra esse cachorro sem vergonha.

- Amor, como pode falar assim de mim? Estamos no meio de uma loja de bebês... Há mães e crianças aqui, sabia? Essas coisas só podem ser ditas na nossa cama... Depois fala que é tímida!

Poliana fica boquiaberta e vermelha como um tomate maduro.

- Chris! Falando nossas intimidades em público, oh meu Deus, vou morrer de vergonha... - Ela ri cobrindo parte do rosto com a mão.

- O que está rolando aqui? Michael disse chegando perto deles.

- Christian acabou de deixar Polly vermelha! - Tamires comentou, rindo.

Christian gargalhou e abraçou, dando um beijo em seu rosto.

- Te amo, gostosa! - sussurrou em seu ouvido

- Te amo mais, seu descarado. - Polly sussurrou rindo.

- Já escolheram o que vão levar? Michael disse ao casal de amigos.

- Você também Mike? - Poliana diz.




- Claro! Ou vocês acham que vão sair daqui sem nada? - ele pôs a mão dentro da sacola que carregava e tirou um par de luvinhas brancas para recém nascido - Aqui está... Luvas Brancas do Tio Mike pro garotão de vocês... Vai trazer sorte.

- Ah, que lindo! - Tamires disse, sorrindo.

- Olha, nosso filho vai ficar como, amor? No estilo! - disse Christian

- Ain Mike... Obrigada meu bem. - Polly disse o abraçando e beijou sua face - Com certeza amor, nosso baby vai ser o mais estiloso do hospital. Vou ter que ficar de olho ou ele vai arrassar o coração das enfermeiras. Ela ri.

- Claro baby, pense bem... Eu sou irresistível, você é uma deusa... Não podia nascer menos que perfeito! - Christian comentou.

- É verdade amor... - ela ri - Mas não podemos esquecer que nossos bebês ainda vão se conhecer. Deus, pensei numa coisa agora... E se vierem gêmeos Chris? Oh my God!

- Oh baby, vamos ser proclamados. Dois de uma vez só é para poucos! - ele diz

- Oh meu Deus... Tudo você acha um jeito de se achar, né? - Tamires perguntou rindo

- Raramente, baby! - ele piscou pra ela

- Hey gatinha, nós temos essa chance viu? Minha mãe teve gêmeos. - Michael disse com um sorriso largo. - Já pensou nisso?

- Oh Deus... Dois ao mesmo tempo seria maravilhoso! - ela diz, sorrindo pra ele.

- Seria mesmo gatinha. Um casal então seria mais perfeito ainda, mas de qualquer maneira, sendo um ou mais bebês, já estou extremamente feliz com este presente que Deus me deu.... - ele pega o rosto de Tamires com as mãos e beija com carinho - Te amo amor.

- Também te amo, baby. - ela sorri.

- Ownnn que lindos! - Polly falou emocionada - Amores o papo está ótimo, mas temos o shopping todo pra visitar. Vamos ver outras lojas? Que tal? - Ela sugeriu.

- Acho ótimo! - Tamires diz. - Só temos que pagar essas roupinhas fofas...

Eles se dirigiram ao caixa e pagaram as compras.

Christian e Michael carregam as sacolas enquanto Poliana e Tamires saem na frente comentando o que ainda vão comprar para o bebê do rei do pop. A noite chegou e eles ainda faziam compras. Poliana sente a cabeça ficar zonza de repente e segura mais firme no braço do noivo.

- Nossa... - Ela disse tocando a cabeça.

- Polly... Está tudo bem? - ele perguntou segurando em suas mãos.

- Uma tontura estranha baby...  - ela respira fundo - Aqui está abafado ou sou eu que não consigo respirar direito? Olha minhas mãos, estão geladas.. - Poliana pega a mão dele.

- Oh meu Deus, baby... Você está palida! - ele disse e a pega no colo rapidamente. - Michael, eu vou levar aqui fora, ela não está bem, pode trazer uma garrafa d'água pra ela, por favor?

- O que você tem, amiga? - Tamires pergunta, preocupada e se aproxima dos dois.

- Não sei Tah, Eu almocei bem... Acho que é o calor. - Poliana respondeu.

Michael volta com a garrafa d'água que Christian pediu.

- Aqui está... - ele entrega nas mãos do amigo.

Christian coloca Polly sentada em um dos bancos do shopping e dá a água pra ela.

- Eu acho melhor irmos ao médico, pode ser uma queda de pressão ou algo mais grave... Vamos ao médico, ok, baby? - Christian pergunta

Ela apenas assenti com a cabeça. Christian ajuda Poliana a levantar, mas ela sente as pernas amolecerem e... Ela desmaia. Christian que já estava com ela segura em seu braço a segurou firme e não a deixou cair no chão.

- Meu Deus... - Michael disse assustado e se pôs a pegá-la também.

- Polly! - Christian grita e a pega no colo. - Eu vou levá-la ao hospital agora mesmo... Oh meu Deus...

- Espere, Chris... Nós vamos com você! - Tamires disse preocupada, indo atrás do amigo com Michael

- Vamos no meu carro! Michael disse.

- Tudo bem, mas eu dirijo, Sr. Jackson. - Tamires diz pegando a chave das mãos dele. - Temos que chegar vivos ao hospital.

- Oh Boy, Tamires você está grávida... Eu dirijo. - Ele fala e pega as chaves das mãos dela.

- Estou grávida, não doente. - ela pega as chaves novamente. - Eu dirijo.

- Porra! Se continuarem assim eu vou a pé, chego ao hospital mas rápido! - Christian diz, nervoso.

- Chris, desculpa... Entre no carro, eu vou dirijir!

Michael revirou os olhos e fez o que ela disse assim que ajudou a colocar Polly no veículo.


Continua...
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://nevercansaygoodbyemj.forumeiros.com
Miss Jackson
Admin
avatar

Mensagens : 1328
Scores : 1883
Data de inscrição : 01/06/2012
Localização : Michael's House

MensagemAssunto: Re: Just Good Friends [+18] [Finalizada]   Sex Ago 02, 2013 8:07 pm

Capítulo 70


Assim que Michael fecha a porta do carona, Tamires dá partida no carro. Ela acelera até o máximo que as placas de transito permitiam, chegando ao hospital trinta minutos depois, Christian sai do carro com Polly no colo, entra no hospital chamando por um médico, logo um grupo de enfermeiros chegou com uma maca e Polly entrou na sala de emergência.

Vinte minutos havia passado e Christian andava de um lado para o outro pela sala de emergência.

- Chris, senta, pelo amor de Deus! Você está me deixando mais nervosa andando pra lá e pra cá desse jeito!

- Eu estou nervoso! Porra, Polly desmaiou e eu não faço a mínima ideia do que ela possa ter!

- Hey Chris, se acalma cara, Poliana está bem. - Michael disse - Não adianta fica assim, logo o médico virá dizer o que houve.

- Só vou ficar bem quando ele vier falar alguma! Porra, por que demora tanto? - ele passou as mãos pelo cabelo, nervoso.

Minutos depois o médico entrou na sala de espera.

- E então, doutor, como minha noiva está? Ela está bem? É muito grave? Ela acordou? - perguntou.

- Sua noiva está bem meu rapaz. Ela sofreu apenas uma queda de pressão. Fizemos alguns exames... Ela e o bebê estão bem, pode ficar sossegado.  - Falou calmamente o doutor.

Christian abriu a boca para falar alguma coisa e a fechou. Logo depois a abriu e a fechou novamente. Seus olhos estavam arregalados e ele sua garganta ficou seca.

- Oh meu Deus! Bebê? - Tamires perguntou, sorrindo.

- Bebê? - ele sussurrou. - Você disse bebê? Quer dizer... Polly está grávida, assim... Grávida mesmo?

- Sim, um bebê. – sorriu o médico de meia idade - E pelo visto o jovem não sabia disso, não é?

- Meu Deus, dois bebês num dia só? Oh boy, que emoção! - Michael disse feliz da vida por sua amiga.

Tamires sorriu e olhou para Christian.

- Hei, Chris! Fale alguma coisa! - ela exclamou.

- Eu não... - ele parou um pouco e depois olhou pra ela. - Tah, você tem noção? Eu vou ser pai! Caralho! Puta merda! Eu vou ser pai! Michael, nós vamos ser pais! - ele disse chegando perto de Michael e o abraçando

Michael o abraçou e disse.

- Vamos cara, puta merda isso é demais!! Nem estou acreditando... Dois bebês num dia só? Somos muito foda mesmo amigo!


Tamires gargalhou com a animação dos dois e se virou para o médico.

- Nós podemos ver Polly agora?

- Podem sim, mas peço que não façam muito barulho, ela está de repouso, certo? - Disse o médico.

Eles assentem. Michael e Tamires não param de sorrir. Christian não via a hora de encontrar sua noiva para beija-la e agradecer por tal felicidade.

- Certo, prometo que falaremos baixinho... - Christian disse. - Podemos vê-la agora?

O médico sorriu pelo entusiasmo dele e liberou a entrada. Chegaram ao quarto onde Polly estava e entraram sem fazer barulho algum, vendo-a deitada na cama. Christian se aproximou e um sorriu para o outro com os olhos brilhando. Beijos seus lábios com amor e acariciou sua barriga ternamente.

- Oh, baby... - ele disse. - Você tem noção do quanto eu estou feliz?

- Feliz baby, o que houve? - Poliana disse com a voz baixa.

- Como assim, baby? Você não sabe? - ele perguntou e ela negou balançando a cabeça. - Oh meu Deus... Nós estamos grávidos, braquinha! Vamos ter um bebê também!

Poliana arregala os olhos.

- Nós teremos um bebê? Omg, eu estou grávida?

- Está sim Polly... Agora Tah e eu vamos ser tios. - Michael disse rindo.

- Meu Deus! - Poliana pôs a mão na boca e tirou - Tah, isso é brincadeira? Eu não estou grávida de verdade né?

- Está sim, amiga. Nossos bebês combinaram de vim juntos ao mundo, só pode! Estamos grávidas! - ela exclamou sorrindo.
- Todos nós estamos grávidos! Oh meu Deus, vai ser uma farra, dois bebês ao mesmo tempo... - Christian riu.

- Ain meu Deus.... - Poliana disse e lágrimas escorreram de seus olhos - Eu vou ser mãe... Chris, eu não sei se consigo amor... Tenho medo de não saber o que fazer. Oh Deus, um bebê aqui... - ela toca a própria barriga e sorri olhando pro noivo e seus amigos.

- Nenhum de nós sabemos, meu amor... Aprenderemos juntos. Não precisa ter medo, eu estou aqui com você. - ele beijou a mão dela docemente.

- Obrigada amor, vou precisar de você mais do que nunca, aliás, nós dois vamos precisar... Deus, preciso me acostumar com a ideia de não estar mais sozinha. -ela riu.

- Também me acostumar, amiga... Até hoje de manhã era tudo tão diferente! - Tamires disse.

- Verdade amiga. Agora somos mães não é? Nossa parece que estou sonhando. Nosso bebê... Só nosso... - Ela pega a mão de Christian e toca sua barriga.

- Sim, baby, só nosso! - ele sorriu e beijou sua barriga ternamente. - É o recado de Deus nos dizendo que seremos felizes para sempre. Nada pode estragar isso!

- Nada mesmo amor... - Ela respondeu.

Michael toca no braço da namorada e a chama pra fora. Poliana e Christian tinham de curtir o momento a sós. Ela assente e sai com ele.

- Amor... Você está feliz mesmo? - Poliana diz - Mal sei cuidar de mim... Tenho medo de errar...

- Estou muito, muito feliz! Não vamos errar porque um vai cuidar do outro e o nosso bebê vai nos ajudar a entendê-lo. - ele sorriu. - Agora temos que voltar pro shopping pra comprar roupas pra ele.

Poliana sorri com a felicidade estampada no rosto dele. isso era tão bom de ver.

- Vamos ser os melhores pais do mundo pro nosso bebê! Ele ou Ela terá tudo o que quiser. Vamos dar-lhe boa educação... Bons estudos... Será honesto e amável assim como seus pais. Hey baby, falando nisso... Qual será o sexo do nosso baby? O médico disse se dá pra ver? - Polly fala curiosa e empolgada.

- Sim, baby! Vamos dá tudo o que pudermos pro nosso filho... Ele ainda não disse nada, mas acho que ainda estou cedo. Porém, tenho uma intuição... Acho que é menino!

- Sério amor? Também sinto isso... - ela sorriu - Nosso garotão. Oh God, vai fazer fila de garotas em nossa casa, já posso ver. Ele vai ser tão lindo quanto a mãe e terá o dobro do seu charme, amor. Também sendo filho do casal Grey não seria diferente. Somos irresistíveis por genética. - Ela brinca.

- Isso mesmo, branquinha. Ele já vai nascer encantando as enfermeiras. Se o bebê da Tah e do Mike for menina então... Já sabe que ela vai se apaixonar por ele!

- Vai sim, tenho certeza. E falando neles, onde estão? Sumiram? - Poliana disse olhando envolta do ambiente - Se conheço o Mike, eles saíram “à francesa” pra nos dar privacidade.

- Ah sim... Deve ter sido por isso. - Christian sorriu. - Eu estou tão feliz! Oh meu Deus...

Polly gargalhou.

- Está estampado no seu rosto o quanto está feliz, my baby.  Agora quero um beijo bem gostoso de comemoração.

- Hm... Sra. Grey está grávida e safada... Sou um homem de sorte!

Ele sorri e a beija docemente, acariciando sua barriga enquanto beijava seus lábios com amor.

Entre o lábios dele Poliana disse:

- Sou o que você me ensinou a ser amor. Olha me sinto tão bem que poderia ir pra casa agora e amar você.

- Baby! Safadinha... Gostosa e grávida. Realmente sou um homem de sorte!

- Ah baby, você fala demais... - Ela o puxa para si e aprofundando o beijo.

Poliana estava muito feliz com a notícia. Ser mãe era um grande sonho, mas tinha medo de decepcionar as próprias expectativas.

Na sala de espera Tamires e Michael falam deste furacão que os tomou.

- Oh meu Deus, Michael, que loucura! Dois bebês em um dia só! - Tamires diz se sentando na poltrona da sala de espera.

- Pois é gatinha, não é perfeito? O melhor é que nossos filhos podem nascer na mesma época. - ele disse

- Verdade... Já pensou se nascem no mesmo dia? Seria demais! - ela sorri. - Mike, já pensou no sexo do nosso bebê?

- Meu Deus, eu ia pirar... - ele ri - E seria muito bom. Pelo menos não estaria sozinho. Penso que é uma garota, mas pode ser um garotão... Não sei amor, sinto que é menina.


- Eu também acho que é uma menina... Se o bebê da Pollly for menino, Chris irá encher o nosso saco! - ela riu

Michael riu.

- É, porém o filho dele que não venha de graças com nossa princesa. Sou um pai cuidadoso e muito ciumento, rum!

Ela riu e revirou os olhos.

- Qual o problema... Ia ser demais se eles ficassem juntos! Apesar de eu achar que eles serão quase irmãos, principalmente que irão nascer na mesma época.

Ele a encarou.

- Tah você conhece o Chris melhor do que eu, então não preciso responder. Só digo que vou ficar de olho bem aberto.

- Não me diga que você é igual a ele? Só vai deixar nossa filha namorar depois dos trinta?

- Com trinta vou pensar no caso dela, gatinha. E se o cara for bom o suficiente, abro uma excessão para que se case aos 35.

- E eu estou aqui namorando com você aos 20 anos de idade e grávida, ainda por cima. Já pensou se meu pai fizesse isso com você? - ela pergunta.

- E você namora com uma mulher de 20 anos que está grávida, ainda por cima... Já pensou se meu pai fosse igual a você? Como ficaria?

- Seu pai é um santo, gatinha! Amo seu pai, ele é o melhor cara do mundo!

Michael sorriu e desconversou.

- Se você deixar nossa filha namorar mais cedo, ela te achará o melhor pai do mundo... - ela piscou pra ele e sorriu

- Não sei não amor. Vamos deixa-la crescer, não posso esquentar minha cabeça agora ou vou pirar. - ele riu - Hey, sua resposta me deixou muito feliz hoje, gatinha.

- Que resposta? - ela pergunta, confusa

- Quando disse que estavamos namorando... Você aceitou. Fiquei tão feliz gatinha! Pensei que nunca iria me perdoar.

- Eu te perdoei, Michael, mas nunca mais faça aquilo de novo... Por favor.

- Nunca mais amor.... Eu te amo demais minha vida.... - Ele tocou o rosto dela.

- Eu também te amo e quero tentar mais uma vez. Quero dê certo com nós dois agora, por você, por mim e pelo nosso bebê. - ela sorriu

- Também quero muito recomeçar meu amor... Posso beijar essa sua boca linda, ela está me chamando sabe... Michael sorriu divertido.

- Está esperando o que, futuro papai ciumento? - ela pergunta rindo pra ele

Michael sorriu e a beijou segurando em sua nuca.

- Vamos pra casa agora gatinha? Estou morrendo de saudade de amar você. Ele pediu.

- Minha ou a sua? - ela pergunta, ofegante pelo beijo

- A minha... Está mais perto. Vamos só falar com Chris e Polly e depois saímos, okay?

- Tudo bem! - ela sorri e se levanta com ele, se dirigindo para o quarto de Polly

- Polly minha irmãzinha, nós já vamos... - Michael disse ao se aproximar da cama dela.

- Já? - Polly responde

Tamires toma a palavra.

- Sim, mana.... O médico disse que você precisa ficar em repouso e Chris cuidará de você.

- Mas é claro. Vou cuidar dela e de nosso bebe. - ele diz, sorrindo

- Estou arrumada com esse segurança mana - ela riu - Já que é assim vão com Deus e juizo hein.

- É o que mais tenho maninha. - Michael sorriu e beijou a cabeça dela - Cuida do meu sobrinho e se precisar de qualquer coisa ligue em casa. Amo você Poll!

- Também te amo maninho. Pode deixar, ficarei bem. obrigada por tudo.- Poliana respondeu.

Michael sai para se despedir do amigo e Tamires chega perto dela.

- Isso mesmo, amiga, qualquer coisa avise a gente, certo? - ela se aproxima e beija Polly e logo depois Christian. - Cuide bem do meu afilhado, hein e nada de aprontarem no quarto de hospital, Polly precisa de repouso, ouviu, Christian Grey?

- Okay, baby.... Prometo tentar me comportar, se Polly deixar, é claro. - ele ri

- Eu não sei de nada. - Poliana riu se fazendo de inocente.

- Você nunca sabe de nada, mocinha! - ela ri

. - Bem, agora eu vou indo, babys... Amo vocês! - Tamires sai do quarto e encontra Michael esperando por ela... - Vamos?

- Vamos meu bem... - ele a abraçou de lado e saíram.


Continua...
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://nevercansaygoodbyemj.forumeiros.com
Michael Eterno

avatar

Mensagens : 99
Scores : 159
Data de inscrição : 01/06/2012

MensagemAssunto: Re: Just Good Friends [+18] [Finalizada]   Sex Ago 02, 2013 8:52 pm

Que tantas emoções nesses capítulos! Ainda bem que tudo se acertou. God, dois anunciamentos de gravidez em um único dia?! Que toda felicidade venha pros quatro e pros futuros bebês que virão.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Miss Jackson
Admin
avatar

Mensagens : 1328
Scores : 1883
Data de inscrição : 01/06/2012
Localização : Michael's House

MensagemAssunto: Re: Just Good Friends [+18] [Finalizada]   Sab Ago 03, 2013 12:06 pm

Capítulo 71


Uma hora depois o casal estava em Neverland. Era bem tarde. Depois de parar o carro na entrada Michael abre um sorriso travesso a namorada. Ambos descem. Subiram direto pro quarto. Ele tirou a roupa dela com urgência e ela fez o mesmo com a dele. Só então quando deitaram Tamires reparou nas mudanças que tinha ocorrido ali. Móveis novos... Cama nova. Surpresa ela o questiona sobre.

- Você.... Mudou tudo? - pergunta ainda olhando em volta do quarto

- Mudei amor, não queira nada que me lembra-se o dia, mas triste da minha vida. Troquei tudo por você e por nós dois. - ele diz carinhoso.

- Eu adorei. - ela sorri - Sério, Mike eu amei.

- E a cama? O que achou dela?

- Eu a achei muito bonita... Mas gostaria de experimenta-la. Talvez você possa me ajudar, não é?

Michael sorriu mordendo os lábios.

- Claro meu amor, vou te mostrar já.

Ela sorri pra ele e Michael ataca os lábios dela com fervor. Tamires arfa desejo durante o beijo. Quando ele desce os beijos na barriga dela brinca com o bebê dizendo coisas que fazem Tamires rir.

- Você é um bobo... - ela diz olhando pra ele

- Sou bobo por ter uma garota tão linda na minha cama e na minha vida! Você é a numero um em meu coração Tamires! Acredite nisso com todas as suas forças, pois é a verdade. - Michael disse olhando nos olhos dela.

- Eu vou acreditar... - ela disse pra ele e suspirou.

Michael sorriu. Beijou o colo da namorada descendo aos seios. Depois desceu mais um pouco até a barriga. A olhou na face e mordeu os lábios. Tamires faz o mesmo e Ele começa lhe tocar na intimidade. Ela começa a gemer baixinho primeiramente. Michael continua e ela se contorce desarrumando o lençol macio.

- Está gostando gatinha? - ele pergunta.

- Oh... Sim... - ela geme baixinho e mordi os lábios.

- Eu sei que está.... - Ele disse dando um sorriso safado - Não se preocupe gata, vai ficar melhor.

Michael se ajoelhou na cama e puxou o corpo da namorada pra si. A segurou pela cintura e se afundou nela. Tamires solta um grito quando ele se movimenta forte em seu corpo. Ele queria que essa noite fosse inesquecível. Queria marcar a volta triunfante do casal. Quando Tamires pensou que Michael explodiria, surpreende quando ele a sentou em seu colo e continuou a ama-la com intensidade.

- Ah minha gatinha, Adoro amar você assim... - ele diz em sussurro.

- Eu também... - ela gemeu em seu ouvido e beijou seu pescoço, se movimentando em seu colo.

Michael geme... Afunda-se mais e arranca da namorada gritos de prazer. A voz de Tamires aguça seus desejos. A prendeu em seus braços...  

- Oh Boy... Tamires... - Michael disse e se entregou ao êxtase. Tamires o seguiu entre tomadas de fôlego.

Tamires solta um longo suspiro e descansa a cabeça na curva do pescoço de Michael.

- Estava com saudades... - ela sussurrou.

- Eu também amor... - ele tocou o rosto dela - Nunca mais vamos nos separar... Nunca mais!

- Nunca mais. - ela reafirmou e logo depois sorriu. - Amo você, futuro papai.

- Ownnn... Te amo mais futura mamãe do legado Jackson! - Disse ele rindo.

Ela riu e se deitou na cama, sendo seguida por ele.

- E então... Quantos filhos você quer ter, Sr. Jackson?

- Eu quero onze, amor... - Michael diz.

- Você quer o que?! - ela pergunta aumentando o tom de voz e arregalando os olhos.

- Onze bebês, amor. Não todos de uma vez, claro, mas vamos ter onze herdeiros. Quero esse rancho cheio de crianças correndo por toda parte. - Ele disse com um sorriso inocente.

Tamires balança a cabeça, atordoada.

- Onze? Eu vou viver pra parir neném, né? Adeus vida social, amigos, trabalhos, livros, marido... Adeus vida sexualmente ativa, porque com onze filhos vai ser difícil fazer alguma coisa, você não acha?

Michael da risada e tenta ajeitar as coisas.

- Não será tão mal assim. Nossa vida sexual será muito ativa, pode ter certeza. Quanto a criação damos um jeito. Não estaremos sozinhos. Polly vai fica muito feliz em ajudar.

- Polly também vai ter bebê, Michael. Até parece que ela vai está livre pra nos ajudar a criar onze filhos! Outra coisa... Você acha que eu sou o que? Vou ficar linda depois de ter onze filhos... Nem quero imaginar!

- Oh boy, esqueci desse detalhe da Poll - ele riu sem graça - Não esquenta gatinha, vou pensar em algo. E claro que você vai continuar linda... Vai ser a mãe mais gostosa do mundo. Vou ter que reforçar sua segurança, mocinha.

- Claro, vou ficar ainda mais gostosa... - ela imitou com tom de sarcasmo na voz. - Podemos adotar, o que acha? Alguns biológicos e alguns adotados... Seria maravilhoso! - ela sorriu.

- Você é mesmo a garota certa pra mim... - Michael a beijou com carinho nos lábios - Este é meu grande sonho gatinha. Quero adotar uma criança de cada continente.

- Sim. Um da áfrica, outro do Japão, outro do Brasil, outro da Itália e assim vai! Mas antes teremos que aprender falar algo dessas línguas todas! - ela ri.

- Oh amorzinho... É mais fácil ensinar nosso idioma pra eles não acha? - Ele diz com um sorriso divertido.

- Mas eu gosto de falar outras línguas, então, vou aprender todas!

Michael arregala os olhos e ri.

- Uau que gatinha mais culta eu tenho. Então... Mi amor, dicen que soy el hombre más caliente en su vida, diga me... - ele diz com sotaque latino.


- Sei l'uomo della mia vita più caliente. - (você é o homem mais caliente da minha vida.) ela diz em italiano. - Mon Amour. - (meu amor) ela sussurra em francês.

Michael deu um sorriso surpreso.

- Oh God, você fala estes idiomas todos?

- Sim... - ela sorriu.

- Oh ma fille chaud, je t'aime! Tu m'as tellement excité au sujet de son intelligence. (Oh minha garota gostosa, eu te amo! Você me deixa tão excitado com sua inteligência.) - Ele disse em francês e a tomou num beijo de tirar o folego.

- Oh, baby ... E mi hai lasciato senza parole con questo meraviglioso bacio. Ti amo di più. - (Oh, baby... E você me deixou sem fala com esse beijo maravilhoso. Te amo muito mais.) ela sorriu e recuperou o fôlego.

Michael riu e disse.

- Você está me deixando excitado pra valer gatinha. Vai ter que dar conta de mim agora...

- Je tiens à vous exciter, mon amour. C'est l'un de mes oectifs de vie. - (Eu gosto de te excitar, meu amor. É um dos meus objetivos de vida.) ela deu um sorriso safado.

Ele morde o lábio inferior e respira pesadamente.

- Agora vai me pagar por isso gata...

Michael disse começou a beija-la do pescoço e seguiu uma linha reta. Parou no quadril de Tamires. A tocou e novamente lhe faz gemer, mas ao invés de acaricia-la com a mão, Michael usa dos próprios lábios e língua para se vingar da namorada. Ela geme alto e segura os cabelos dele. Os carinhos são intensos, Michael não teve piedade. O coração dela bate forte e seu corpo reage com arrepios e pequenos espasmos. Alguns minutos depois ela grita um forte grito e o astro se dá por satisfeito. Sentira o doce sabor da vingança em sua boca.

- Que isso lhe sirva de lição mocinha, para quando pensar em me provocar... - Ele diz com um sorriso safado.

- Vous êtes très vindicatif, M. Jackson. - (Você é bem vingativo, senhor Jackson.) ela disse ofegante. - E eu gosto disso.

- Você não aprende mesmo, não é garota? - disse arqueando a sobrancelha - Mas vou lhe dar uma chance. Não vou considerar que provocação que acaba de fazer. Sou um homem justo.

- Oh sim, você é muito honesto! - ela riu. - É muito honesto e me deixa louca, não pode fazer isso, sou uma mulher grávida agora!

- Grávida e muito safadinha... - Disse rindo.

- São os hormônios e meu namorado, é claro. - ela pisca pra ele.

Michael sorriu.

- É verdade gatinha, sou demais! Agora vamos descansar um pouco porque quero amar você mais tarde, tá bom, minha gravidinha linda?

Tamires se deitou no peito dele e riu.

- Você é insaciável! - exclamou.

- Só por você, minha gata. - Ele sorri e a abraça.



Continua...
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://nevercansaygoodbyemj.forumeiros.com
Miss Jackson
Admin
avatar

Mensagens : 1328
Scores : 1883
Data de inscrição : 01/06/2012
Localização : Michael's House

MensagemAssunto: Re: Just Good Friends [+18] [Finalizada]   Sab Ago 03, 2013 12:09 pm

Capítulo 72


No hospital Poliana e Christian conversam. Estar grávida era uma benção e ao mesmo tempo assustador. Christian a tranquiliza. Agora fazem planos para seu ou sua herdeira.

- Hey baby, se for menino como vamos chama-lo?

- Christian Trevelyan Grey Junior ou Filho. - ele disse e sorriu. - O que acha?

- Como é? Baby, você não está falando sério, não é? - Ela diz preocupada.

- Claro que estou, baby. - ele disse.

- Ain graças a Deus... - Polly suspirou - Baby, este nome é terrível. Imaginei quando forem chama-lo em sala de aula... Christian Trev... Trevily.. -ela se enrola pra falar - Tá vendo, nem eu saberia falar o nome do nosso filho.

- É meu sobrenome, baby! Assim me sinto ofendido! - ele pôs a mão no peito.

- Oh meu Deus... É seu sobrenome... Sério, amor? Poliana fala totalmente desconcertada.

- Sim... - ele fez biquinho.

- Oh meu Deus, o que foi que eu fiz? Meu amor me perdoa, por favor. Seu nome é lindo... Ain senhor, consertar tá piorando. - ela respira - Amor, olha eu não falei por mal. Ah baby estou com tanta vergonha... Desculpa mesmo.

Poliana fala sentindo a pior vergonha de toda sua vida.

- Oh baby! Eu estou brincando! Não estou triste por isso... - ele sorriu docemente e a beijou na ponta do nariz - Para falar a verdade, também acho "Trevelyan" muito estranho, é o sobrenome da minha mãe, então, é meu segundo sobrenome. Mas Grey é muito mais sexy...

- Oh Grey é sexy mesmo. – ela sorri - Então você não está triste comigo, de verdade?

- Claro que não! Isso é bobagem! - ele riu e a beijou. - Agora, o nome do nosso filho poderia ser... Peter. Gosto desse nome.

- Oh que bom, fico mais aliviada. Ah baby, gosto de Peter também. Hey lembro quando Tah falava de você... Nossa, eu sempre ficava imaginando quem seria o senhor Grey? - Ela sorriu.

- Oh, ela me falava muito de você também... Confesso que imaginei uma mulher bem gostosa, mas você superou minhas expectativas. - ele sorriu safadamente

- Amor, você pensava isso de mim? Oh God, que bom que superei né, senão seria um baldo de água fria pra você. Tah é tão boazinha. - Poliana ri.

- Tah tinha que ser boazinha, brigaria muito feio com ela se não me apresentasse a você. - ele piscou

Poliana riu.

- Brigaria nada, porque eu não ia deixar, seu menino brigão. Agora falando sério, me apaixonei por você desde que falamos no telefone combinando aquele jantar de primeiro encontro que nunca aconteceu. - ela ri - Depois você apareceu no hospital todo lindo com aquele terno azul marinho... Ah meu Deus baby... Eu quase infartei.

- E você também estava linda com aquele vestido, um pouco curto, confesso, não deixaria você usar algo como aquilo agora... Mas na época eu adorei. E me apaixonei perdidamente. Acho que Tah fez um feitiço para que nos apaixonássemos a primeira vista.

- Chris, aquele vestido não era curto e você é muito safado sabia? Oh God, Tah é nossa garota cupido.

- Claro que era curto! Sorte que a sala de visita era reservada, senão iria quebrar a cara de cada infeliz que ousasse olhar para você. Sim, ela foi nossa cupido... Serei eternamente grato por isso.

- Ah eu também amor. Agora me escute, eles podem até olhar, mas quem dorme comigo e me faz gemer de tanto prazer é você, papai gostosão.

- Mas é claro que sou eu, baby... Não poderia ser outro, jamais! - ele sorri. - E sim, sou mesmo um pai gostosão e ensinarei nosso filho a ser assim, apesar de que ele vai nascer com o nosso charme irresistível, então...

- ...Então eu acho que vou ficar de olhos bem abertos com nosso rebento, ou vamos ter problemas. Com todo esse charme e sedução nosso filho será atacado pelas garotas. - ela ri - Nossa baby, que loucura! Sabe que já imagino nosso bebê se formando. Só não curto a ideia dele sair de casa, mas a vida é um ciclo. Bom, até lá podemos providenciar uma solução. O que acha?  

- Baby, nosso bebê nem veio ao mundo ainda e você já está pensando no dia em que ele saíra de casa? Acalme-se, vamos por partes, está certo? - ele sorriu. - Temos que pensar também nos próximos... Eu quero ter mais três.

- Tudo bem, vou me controlar. - Polly sorriu - Quatro? Hum, por mim está ótimo! Teremos quatro herdeiros. Amor, e como faremos agora? Nossas casas são separadas.

- Hei, baby, você é minha noiva, esqueceu? Quero que venha morar comigo, enquanto agilizamos os preparativos do nosso casamento.

- Omg vamos casar rápido assim? - Ela diz surpresa.

- Se você quiser... Ou se preferir, podemos esperar o bebe nascer. Mas eu prefiro me casar logo, quero que seja toda minha, baby.... - ele sorriu

- Também quero ser sua logo, amor, pensei que você quisesse esperar mais um pouco, mas já que estamos de acordo... Que venha nosso casamento! - Poliana disse animada - Bem, tenho que escolher um vestido bem bonito... Ver que flores vamos usar na cerimônia.. E qual buque combina com os dois. Ainda tem o jantar de ensaio... E os convites... Ain meu Deus será que vai dar tempo?

Christian riu e balançou a cabeça um pouco desnorteado.

- Baby, vamos por partes... Bem eu não entendo muito desses assuntos, mas acho que dará tempo sim. Tah pode te ajudar, ela adora essas coisas.

- Tah será meu anjo da guarda, vou precisar dela o tempo todo ou vou enlouquecer, mas quero ter você também amor. Não posso ficar sem a opinião do meu noivo, além do mais grávidas são bem carentes, sabia?

- E quem disse que vou deixá-los sozinhos? Jamais, baby. Ôh, não vou deixar você ficar carente, você vai é enjoar de tanto me vê.

- Isso nunca vai acontecer amor! Jamais vou enjoar do homem que me faz tão feliz... - Ela o puxa para mais perto e o beija.

- Hum.. Acho bom não enjoar mesmo, mocinha! - ele sorriu e tocou no nariz dela.

- Não vou. - ela sorriu - Hey amor, o médico disse quando vou ter alta, não quero mais ficar aqui. Quero ir pra casa com você. Polly diz manhosa.

- Vou chamá-lo está bem? - Christian diz.

Polly assente e ele sai a procura do médico, minutos depois ele retorna com o senhor calvo que havia atendido sua noiva.

- Hm... Então quer dizer que a mamãe quer ir pra casa? - ele sorriu docemente. - Bem, a senhorita já está liberada, peço que comece a cuidar da gravidez com uma ginecologista-obstetra, certo? Comece o pré-natal o quanto antes, sim?

- Ain quero sair sim doutor, graças a Deus, odeio hospital! Nada contra, mas este lugar não é pra mim. Pode deixar, assim que amanhecer vou marcar a consulta com meu médico particular. Muito obrigada por tudo doutor e que Deus te abençoe. - Ela sorriu.

- A vocês também, querida. - ele sorriu e saiu do quarto.

- Então, vamos embora, sra. Grey? - Christian perguntou sorrindo

- Vamos senhor Grey. - sorriu junto - Mas antes podemos passar na sorveteria? É que estou com vontade de comer aquele sorvete de pistache. - Polly disse com aquele sorriso infantil que só ela possuia.

- Isso já um desejo de grávida? - ele perguntou sorrindo

Poliana dá um sorriso maroto.

- Talvez baby... Mas não vamos deixar que nosso bebê nasça verde né? Bebês são tão sensíveis... - ela fala e segura o riso.

- Ôh não mesmo, branquinha! Assim que sairmos daqui, vamos na sorveteria! Não quero que nosso bebe nasça com cara de sorvete de pistache! - ele disse fazendo uma careta

- Com cara de pistache eu não digo, mas não ia ficar nada bem o filho do super homem ser a cara do Hulk, não é? - Polly fala caindo na risada.

- Nem pense nisso, baby! - ele arregalou os olhos. - Vamos mudar de assunto? Que tal você ir se vestir?

Poliana riu.

- Boa ideia amor. E você pode me ajudar? Estou um pouco zonza ainda.

- Claro que posso, baby.... Estou aqui pra isso! - ele sorri e se aproxima dela

Ela pede que o noivo pegue sua roupa que estava no armário. Christian coloca as peças sobre a cama e ajuda Polly com o vestuário hospitalar. Ele solta o laço que abre o avental azul. Ela estava apenas de lingerie. Ele acaricia as costas dela com carinho. Poliana sorri e pedindo a blusa. Ele entrega e a observa. Quando terminou Polly pega a mão dele para sair da cama. Desceu e pegando sua calça nas mãos a vestiu com a ajuda de Christian. Saíram do hospital passaram na sorveteria. Polly pediu uma taça enorme do sorvete que deseja e em seguida foram direto pra casa dela. Guardaram o carro na garagem e entraram.

Poliana e Christian sobem direto para o quarto. Ela deita na cama e ele tira os sapatos dela.

- Graças a Deus estou em casa. Oh God, foram muitas emoções para um dia só. - ela sorri - Baby, nem acredito que nosso filhinho está entre nós. Parece que foi ontem que tudo começou. Poliana fala.

Christian se deita do lado dela e pousar a mão em sua barriga

- Nem me fale, amor... Foi tudo tão de repente! Ainda estou chocado, mas muito, muito feliz! Eu te amo, branquinha.

- Te amo mais amor. - ela sorriu - Eu também estou muito feliz. Hey baby, sabe que... Você ficou mais sexy com a paternidade? - Poliana sorria com travessura.

- Jura? Bem, eu nem posso falar nada, você sabe o quanto ficou safada depois de descobrir que estava grávida! - ele sorriu de lado e beijou o pescoço dela - E eu amei isso.

- Eu fiquei safada? - ela ri e fica vermelha - Oh baby... Fiquei sem graça agora.

Ele sorriu.

- Muito safada, baby.... - ele sussurrou em seu ouvido - Ficou ainda mais deliciosa!

- Olha amor, eu era um anjinho, mudei graças a você. Você que me ensinou tudo.

Ela disse e olhando pra ele tocou os botões de sua camisa abrindo-os um por vez.

- Ensinei? - ele olhou pra ela com um sorriso maroto - Então, porque não me mostra tudo o que eu te ensinei, hm?

- Mostro com prazer baby. - ela diz - Primeiro vamos tirar essa camisa... - Christian a ajuda sorrindo - Agora aqui... Ela desce as mãos sobre o corpo dele e pára no zíper da calça. Abre-a e tira lentamente uma perna de cada vez deixando-o somente de cueca box azul marinho. - Como estou indo baby?

- Muito bem, baby! Continue... - ele pediu

Ela sorriu. Poliana tirou a própria roupa deixando apenas a lingerie de cor pink.

- Você é tão lindo baby... - ela sussurra no ouvido dele - Tão gostoso... E tão meu... - Ela mordisca o lóbulo da orelha do noivo.

Suas mãos descem e acariciam a lateral do corpo dele.

- Você também é linda, baby.... E toda minha! - ele sussurrou rouco, passando as mãos pelo seu corpo.

Polly beija os lábios dele. Passa para o pescoço, desce no peito e faz uma linha até o cós da cueca box. Ela o encara e sorri lascivamente. Isso atiça a curiosidade de Christian.

Christian mudou de posição, colocando-a deitada por baixo dele.

- Você está grávida, baby.... Será que podemos fazer isso? - ele perguntou receoso

- Podemos sim amor.  - Polly disse tocando o rosto dele com carinho - Pelo que sei o sexo faz muito bem ao bebê... E não estou inventando viu. - ela sorri.

- Será? - ele sorriu de lado e ergueu uma sobrancelha. - Acho que podemos começar devagar...

Ele beijou o pescoço dela, primeiramente com os lábios e logo depois com a língua, descendo até seu colo. Abriu o sutiã frontal do sutiã e quando os seios dela estavam nus a sua frente, ele mordeu os lábios. Sorriu e se abaixou, beijando de leve seus seios, ouvindo os gemidos baixinhos que ela proferia.

- Deliciosa, baby!

Ela arquea o corpo para trás e fecha os olhos.

- Ah baby, eu te amo... - Polly diz em sussurro.

Christian desceu os lábios pelo corpo da namorada, beijando e lambendo cada parte que a fazia estremecer. Ele a olhou nos olhos e tirou sua calcinha lentamente, começou a beijar a parte interna de suas coxas até chegar em sua intimidade. Acariciou seu clitóris com a língua, em uma tortura deliciosamente lenta, fazendo-a gemer.

- Mais rápido, baby? - ele perguntou olhando pra ela

- Por favor... Não me faça esperar baby... - ela suplica baixinho.

- Seu pedido é uma ordem, princesa.

Ele sorriu e voltou sua atenção para a intimidade da namorada, começando a movimentar sua língua rapidamente, fazendo com que ela arqueasse as costas de prazer. Ele aumentou a velocidade dos movimentos e a penetrou com dois dedos, fazendo gemer ainda mais alto. Quando sentiu o interior dela o apertando, acelerou os movimentos até que ela se desmanchasse em sua boca e seus dedos.

- Oh baby, assim... Você acaba comigo... - ela diz ofegante e sorrindo.

Christian sorriu e subiu até que sua boca ficasse a centímetros da dela.

- Gosto disso, baby. - ele riu - Mas quero deixá-la ainda mais louca, eu quero mais.

- Uau... - Polly diz sorrindo - Em que você não é perfeito, hein amor?

- Só sou perfeito porque você está comigo, baby. - ele sussurrou e se ajoelhou a frente dela tirando sua cueca e jogando no chão. Polly solta um pesado suspiro ao vê-lo totalmente nu. - Admirando a vista?

- Claro! Deliciosa vista tenho diante de mim.

Ele sorriu e se deitou por cima dela.

- Vai ser ainda melhor quando eu estiver dentro de você, baby.

Ele a beijou com amor e a penetrou lentamente. Christian suspirou e começou a se mover dentro da namorada, devagar, sentindo as unhas dela cravada em suas costas e ouvindo-a pedir para ir mais rápido. Beijou seu pescoço e aumentou os movimentos, indo mais rápido cada vez mais, sentindo o quão apertada e quente ela era pra ele. Quando Polly começou a se apertar, ele aumentou ainda mais os movimentos, e juntos se entregaram com amor e prazer.

Poliana respirava profundamente. Pegou o rosto de Christian com as duas mãos e beijou. Falou com um sorriso maroto na face.

- Mal posso esperar pelo nosso casamento, meu noivo perfeito. Se estamos desse jeito antes, imagina casados? Teremos de providenciar um sistema com incêndio de última geração pra nossa nova casa.

- Com certeza, baby! E nosso quarto tem que ser a prova de som, para não assustarmos as crianças! - ele riu e se deitou, puxando-a para o seu peito. - Eu te amo, branquinha.

Polly riu com ele.

- Te amo mais e é verdade amor; ou nossos filhos vão pensar que o pai deles está me matando. Na verdade está, mas eles não precisam saber, não é?

Christian gargalhou.

- Baby, eu adoro quando você fala besteira nas entrelinhas!

- Adora é? Bom saber... - ela sorriu lasciva com planos na mente.

- Está ouvindo, amor? - ele perguntou

- O que baby? Diz curiosa.

- As maquininhas trabalhando dentro do seu cérebro? Eu posso ouvir daqui que você vai aprontar logo, logo!

Poliana gargalhou.

- Você é muito bobo. Não vou aprontar nada.

- Sei... - ele murmurou e sorriu. - Eu te amo, baby.

- Te amo mais, meu curioso gostosão.

Christian dá um beijo amoroso na namorada e logo depois eles caem no sono, um nos braços do outro.



Continua...
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://nevercansaygoodbyemj.forumeiros.com
Miss Jackson
Admin
avatar

Mensagens : 1328
Scores : 1883
Data de inscrição : 01/06/2012
Localização : Michael's House

MensagemAssunto: Re: Just Good Friends [+18] [Finalizada]   Sab Ago 03, 2013 12:11 pm

Capítulo 73


O fim de semana passa rápido e logo a segunda-feira se inicia com muito trabalho para o quarteto. Tamires sai cedo de Neverland indo direto para a editora. Assim que chega lá encontra Drake em sua sala. Ele tinha um semblante irritado.

- Bom dia senhorita sumida! - Disse com tom de sarcasmo.

- Bom dia, Drey... - ela coloca sua bolsa em cima da mesa e olha pra ele, franzindo o cenho. - O que faz aqui na minha sala tão cedo? Aconteceu alguma coisa? - ela pergunta preocupada

- Aconteceu sim. A senhorita desapareceu no fim de semana e não deu notícias. Onde estava? Te liguei um milhão de vezes Tamires!

Ela o interrompe.

- Hei, Drake, espere um pouco... Você está preocupado é uma coisa, sabe, fico feliz que se preocupe comigo, mas não venha falar desse jeito, como se eu fosse obrigada a te dá uma lista e cada um de meus passos!

- Me preocupo sim, Tamires. A editora precisa de você... Eu preciso de você! Aposto que foi na casa do namorado irritadinho. - Ele diz com desdém.

- Eu sei que a editora precisa de mim, Drake, mas sábado e domingo a editora não abre. Você precisa de mim pra que? Tenho certeza que o quer que fosse, poderia esperar um pouco e se eu estivesse na casa do meu namorado, o que você tem haver com isso? Ou melhor, o que ele tem haver com a editora? Ou com os problemas na editora?

- Resenhas, Tamires, você esqueceu as resenhas que combinamos de avaliar juntos “neste” - frisou ele - fim de semana? Pelo jeito esqueceu né! Esse seu namorado está interferindo demais nos negócios.

Tamires suspira.

- Eu realmente me esqueci, Drake, me desculpa. Mas, Michael não tem nada haver com isso. Quer dizer, eu realmente estava com ele, mas eu esqueci por culpa minha. Aconteceu muita coisa nesse final de semana, então... - ela deixa a frase vaga no ar e percebe o maxilar de Drake ficar ainda mais rígido. - O que foi, Drake? Eu realmente não estou entendendo porque desse seu nervosismo!

- Que merda de poder é esse hein? Há anos convivemos juntos e você nunca me deu uma chance, agora chega esse, cara, cheio de banca e te ganha fácil assim? Ah por favor... - ele desabafa de uma vez.

- Como assim? Drake, pelo amor de Deus, você nunca disse que gostava de mim, só na festa, mas nunca deixou claro, nem antes de eu começar a namorar! Eu não sou advinha!

Drake sacode a cabeça atordoado.

- Como não percebeu? Deus, quase beijava seus pés, Tamires! Você acha que um homem faria o que eu fiz se não estivesse interessado? Na festa eu ia falar com você, mas aquele... Argh! - rosnou – Aquele idiota atrapalhou tudo.

- Me desculpe, Drake, mas eu nunca percebi... Eu realmente achava que você queria ser só meu amigo. - ela diz. - Por que você não me falou antes de tudo isso acontecer?

- Eu... – indagou - Eu não sei. Você é tão perfeita, tão independente... Preferi tomar coragem antes de levar um "não". Acho que... Eu te amo Tamires... Amo muito...

Tamires respirou fundo e arregalou os olhos, sentindo o coração se apertar.

- Oh, Drake... - ela sussurrou e deu a volta em sua mesa, se sentando em uma cadeira ao lado da dele. - Eu... Eu sinto muito, eu nunca imaginei que... Nunca imaginei nada disso, me perdoe por não ter percebido antes.

Ele respira fundo com seus sentimentos misturados.

- Não precisa ter pena de mim, Tamires, isso sim seria pior do que perder você pra alguém. -Ele fala de cabeça baixa.

- Não pense assim, Drake, eu não estou com pena de você. É que eu realmente sinto muito. Não posso dizer que se eu tivesse sabido dos seus sentimentos antes, agora tudo seria diferente, mas é que eu nunca percebi que você nutria esse tipo de sentimento por mim.

Ele saiu de perto dela e diz:

- Não se preocupe comigo. Vou me reerguer dessa. Mas saiba de uma coisa... Vou lutar por você, minha rainha, eu vou lutar.

Drake fala e sai da sala deixando Tamires paralisada e surpresa.


[ Música de fundo Wink]



Michael, Tamires, Christian e Poliana mal podiam se conter de tanta alegria. Seriam pais! Oh Deus, o sonho deles agora era realidade. Chris e Mike curtem todos os detalhes da gravidez de suas mulheres. Poliana e Tamires se divertem com a superproteção. Mal podiam se mexer que eram alertadas do quanto uma gravidez pode ser delicada e necessita de cuidados. Talvez isso deve- se a culpa dos milhares que livros para pais de primeira viagem que eles andaram lendo. Fora a vigilância 24 horas, os paparicos que recebem são muito bem recompensados com muito amor e carinho. Os casais fazem planos de futuro para os filhos e ousam até traçar seus destinos.

Christian e Poliana decidem já colocar em andamento os preparativos do casamento. Tão ansiosa quanto a noiva, Tamires auxiliava Polly na escolha dos detalhes mais importantes. Convites, jantar, talheres... "Deus, é muita coisa!" Polly exclamava sorrindo afundada em papéis de propaganda para noivos de primeira viagem.

O clima era muito feliz e romântico.

Enquanto Polly estava atarefada com os preparativos do casamento, Christian tomava uma decisão drástica. Ele marcou uma reunião com a empresa russa, com quem havia fechado um contrato que renderia milhões de dólares para ambas as partes e colocou o dono contra a parede: demitia James ou contrato seria rompido - e ele não se importava com a multa que pagaria pela quebra de contrato. James ficou surpreso com a decisão de Christian, e até tentou expor sua opinião, mas os donos da empresa russa foram mais rápidos e o demitiu. Com raiva, James foi tirar satisfações com Christian e recebeu uma resposta simples e direta:



"Você achou mesmo que eu iria trabalhar com o cara que arruinou a vida da minha mulher? Estava muito enganado se pensou isso. Quero você longe da minha empresa e bem longe da minha mulher. É só um recado para o seu próprio bem”.

Dias depois... Michael combina com Polly um jantar em Neverland. Curiosa ela pergunta o motivo de tanto suspense. Há dias Michael fala deste jantar, mais não dá nenhuma pista. Poliana organiza tudo como o amigo pediu e no dia marcado; Ela, Christian e Tamires estavam presentes.



Tudo estava impecável e belo. Comida e bebida foram servidos. Eles comem e as meninas se servem de suco natural. Ao terminarem o jantar e antes da sobremesa Michael pede a palavra. Poliana sorri. Ela sabia, o amigo ia aprontar.



- Meus amigos... - ele olhou para Tamires e ela sorriu - E namorada. Chamei vocês aqui para celebrar tantas coisas boas que nos aconteceram. Primeiramente, a volta de nossas lindas garotas. Oh Boy, isso foi demais! – ele sorriu - E o melhor presente que poderíamos receber, Deus nos deu... Nossos lindos filhos que virão. A minha princesinha linda e o meu afilhado fantástico, que já informo, este garoto promete! Filho de quem é, ele vai longe.

Poliana e Christian sorriram e se beijam suavemente. Logo voltam a atenção para Michael

- Bom, mas o real motivo deste jantar é... - Ele olha para Tamires com um sorriso largo tira do bolso da jaqueta preta militar uma pequena caixinha. Abre-a e baixa diante de Tamires. Ela não tira os olhos dele - Tamires Barcellos, você aceita se casar comigo e ser a senhora Jackson pelo resto de nossas vidas?



Tamires arregala os olhos. Todos sorriram pra ela...



- Isso é... Sério? - ela pergunta, chocada

- Claro gatinha. Nunca falei tão sério em minha vida. Quero que seja minha pra sempre. - Michael disse carinhoso - Você aceita? – Ele diz em expectativa.

- Ôh meu Deus! - ela sorri - É claro que eu aceito, Mike! Sim, sim, um milhão de vezes sim!

- Oh my God, Chris! Que lindo isso! Ah eu vou chorar... Polly murmura emocionada.

Christian sorriu e a abraçou.

Michael abre um sorriso maior ainda e tirou o anel da caixa. O anel tinha um brilhante branco lindo e reluzente. Ele toma a mão trêmula dela e antes de colocar ele diz:

- Leia a inscrição... - Ela pega o anel e dentro estava escrito "Love". Tamires sorri. Ele pega o anel dela e veste em seu dedo. – Agora leia o meu... - Tamires repete a ação. No anel de Michael estava escrito "Endless" - Com os olhos cheios d'água ela pega a mão dele e coloca o anel. Michael suspira feliz e diz - Que nosso amor seja eterno tanto quanto este diamante em suas mãos meu amor. Eu te amo demais, minha gatinha...



Ele levanta do chão e tomando Tamires pelas mãos a ergueu. Beijou seus lábios como se fosse a primeira vez que se tocaram.

- Eu também te amo muito, Mike, muito! - ela diz emocionada

- Eu te amo muito mais, minha vida... - Michael diz se afastando dela sem tirar o sorriso do rosto - Você gostou do anel?

- Você ainda pergunta? - ela abre um enorme sorriso e se vira para os amigos - Olhem isso! Eu vou casar! - ela exclama, feliz

Poliana e Christian se levantam e vão até eles. Poliana abraça Tamires com força.

- Ah... - ela sorria abertamente - Parabéns minha amiga. Vocês merecem tudo de bom nessa vida. Que vocês sejam muito, muito, muito felizes viu.

- Ah amiga, obrigada! Todos nós merecemos tudo de bom! - ela diz sorrindo

Christian chegou perto dela e a abraçou.

- Parabéns, baby! - ele sorri

- Obrigada, Chris! - ela disse dando um beijo em seu rosto.

- Juízo e você... - ele se virou para Michael. - Cuide muito bem da minha amiga, hein?

- Com certeza amigo! Michael respondeu com um sorriso.

Christian sorriu apertou a mão dele.

- Então, parabéns, cara!

Eles se abraçaram. Poliana e Tamires sorriram. Quem diria que estes dois brigões teimosos seriam tão amigos?

Dois Meses depois......


[color=#ff3333]Continua...
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://nevercansaygoodbyemj.forumeiros.com
Miss Jackson
Admin
avatar

Mensagens : 1328
Scores : 1883
Data de inscrição : 01/06/2012
Localização : Michael's House

MensagemAssunto: Re: Just Good Friends [+18] [Finalizada]   Sab Ago 03, 2013 12:11 pm

Amores este capítulo é bem especial com trilhas sonoras apaixonantes. Preparem os lencinhos..... Casamentos sempre emocionam, oh God Sad Sad Sad  What a Face 


Capítulo 74



Dois meses depois.

Depois de tanto insistirem, Michael e Tamires atendeu ao pedido dos amigos. Iriam se casar juntos. Dois meses de preparativos fora o suficiente para que tudo ficasse pronto. Os casais estavam nervosos e ansiosos.



- Ain minha nossa amiga, pega na minha mão... – Poliana diz. Tamires toca a mão dela - Olha como está gelada? Nem acredito que vou casar!

- Amiga, eu também estou muito nervosa! - Tamires olha pela janela do carro. - Oh meu Deus, é muita gente!

- Nem me fala. – Polly disse olhando pela mesma janela - Como será que estão nossos futuros maridos, hein? Pelo que sei do Mike ele está com o coração na mão. - Ela diz e ri - O Chris acho que está mais calmo né?

- Acho que não, amiga... Ele deve está pior do que nós duas juntas! - ela ri. - Christian é medroso.

- Será amiga? Porque eu estou uma pilha.-  Polly diz com um sorriso na face.

- Eu acho que sim. Se eles nos virem nervosas desse jeito, vão brigar conosco, falando que isso faz mal ao bebê. - ela riu

Poliana riu junto a amiga.

- É verdade amiga. Então vamos nos controlar por Pietra e Eliott. - Poliana disse.

- Sim. Ainda tem a lua-de-mel... - ela disse rindo.

- Oh maninha, você também hein... Vou corar, mulher de Deus.

Elas riram juntas.

- Desculpa, mana... Pensei alto!

- Eu também pensei sua boba, por isso corei. - ela ri e vê um rapaz se aproximar para abrir a porta do carro - Chegou nossa hora mana... - Poliana disse sentindo um frio na barriga.



Enquanto as noivas saiam do carro.....

- Oh boy, por que demoram tanto? - Michael dizia nervoso a Christian que estava com ele aos pés do altar.

Ambos esperam por suas lindas mulheres.

- Eu também não sei! Falei pra Polly esquecer essa história de noiva se atrasar... Será que aconteceu alguma coisa, será que elas desistiram? - ele perguntou nervoso

- Elas não são malucas de aprontar uma dessa conosco! - Michael exclamou - Eu conversei com Tamires também. Ela me prometeu que não se atrasaria. Estou aqui pensando em como está vestida. Deus, minha gatinha deve estar fantástica! - Ele sorriu.

- Polly também deve estar linda demais! - ele disse. - Mas estão demorando muito, mais um pouco eu vou até o carro e...

Ele para de falar ao ver as duas entrando e indo em sua direção.





Elas sorriam quando seus olhos vão de encontro aos rapazes.

- Jesus Cristo, Tamires está... Oh boy, meu coração não vai aguentar. - Michael disse ao ver sua exuberante mulher.

Tamires usava um vestido tomara que caia, branco, desenhado sob medida pra ela. Ela sorria para Michael, um pouco nervosa e um pouco tímida. Tanto Michael como o Christian não conseguiam raciocinar direito por ver tão belas mulheres a sua frente. Poliana vestia um modelo também tomara que caia, mas de um modelo branco clássico com uma faixa preta marcando a cintura. Poliana sorria abertamente. A felicidade estava estampada no rosto delas. A música que tocava extremo o coração quatro dos jovens que ali iam se entregar mutuamente pelo resto de seus dias.

Elas chegaram ao altar e os meninos desceram em sua direção. Polly sorriu e Christian pegou sua mão, dando um beijo carinhoso.

- Você está estonteante, baby! - ele sussurrou em seu ouvido.

- Obrigada meu bem, e você está fantástico! Perfeito pra mim! - Poliana sussurrou no mesmo tom.

Michael beija o rosto de Tamires e segura sua mão.

- Sempre maravilhosa, meu amor. - Ele disse com um sorriso encantador.

- Obrigada, amor... - ela sorriu.

Os quatros sorriem uns aos outros e terminam de se dirigir ao altar. O padre começa seu discurso.

- Estamos reunidos aqui para celebrar com muita alegria a união destes jovens. Michael e Tamires... E Christian e Poliana.

Polly segura firme a mão de Christian. Michael faz o mesmo com Tamires e sorri pra ela. - Amigos, convidados e familiares de Michael e Tamires estavam presentes. Ao longo do discurso todos se mostram emocionados. Após um breve silencio o padre chama a atenção de todos para os votos.

Os noivos ficam frente a frente. Eles sorriem. Estavam ansiosos e felizes. O padre olha para Michael assentiu que começasse.

Michael respira fundo e fala:

- Tantas palavras escolhi. Inúmeras vezes pensei como descrever o que sentiria agora, mas nada se compara ao que meu coração diz neste momento. Tamires, meu amor, você é a melhor coisa que aconteceu em minha vida. Não imagino o que seria de mim sem você. Seria como o céu sem estrelas... - Ele respira fundo e segura a emoção e continua - Seria apenas um corpo sem alma. Obrigado por me fazer tão feliz! Eu te amo tanto... Tanto... -Os olhos dele enchem de lágrima e os dela também. Tamires limpa uma gota teimosa que caiu dele, e em seguida limpa uma sua. - Bom... Você sabe que meu coração sente porque você está nele. Então... Só tenho a agradecer e te amar mais e mais. - Ele encerra seu voto.

- Eu te amo muito mais. Prometo te amar pelo resto da minha vida, até estarmos bem velhinhos, vendo nossos netos correndo pela casa.... - ela sorri - Obrigada por me fazer tão feliz, por ser tão especial e por ser meu - ela dá uma risadinha. - Eu te amo, muito.

Michael sorri e se aproxima dela dando um beijo doce em seus lábios, o padre limpa discretamente a garganta, deixando claro que ainda não era a hora do beijo dos noivos. Michael ri e volta para o seu lugar.

O padre se vira para Christian e faz um gesto com a cabeça. Christian sorri e se vira para Polly.

- Baby.... - ele começa com a voz rouca de emoção - Acho que é impossível por em palavras tudo o que eu sinto por você. Você é a minha vida, branquinha, tudo o que eu sou e sinto eu devo a você. Prometo te amar e te respeitar para sempre e fazer de você a mulher mais feliz do mundo. Eu te amo.

Poliana tem os olhos marejados e um sorriso nos lábios. Ela respira fundo e também faz seus votos.

- Oh, Meu amor... Você é o príncipe que eu sonhei ainda menina. Você é tudo pra mim! E eu não sei viver sem você, você sabe disso. Tudo que passamos fez com que nosso amor se fortalecesse. Hoje somos a prova viva de que o amor sempre vence, não importando os obstáculos. Prometo ser sua pra sempre.. Te fazer o homem mais completo e feliz deste mundo. Eu te amo mais, meu amor.

Christian sorriu tentando, em vão, conter uma lágrima insistente. O padre voltou a falar.
- Michael Joe Jackson, você aceita Tamires Barcellos como sua legítima esposa?
Ele olhou para Tamires e sorriu.
- Aceito, com todas as minhas forças.
E o Padre prosseguiu.

- Tamires Barcellos, Você aceita Michael Joe Jackson como seu legítimo esposo?

- Sim... - ela murmura, sorrindo.

- Então, agora - o padre disse e sorriu para Michael. - pode beijar a noiva.

Poliana e Christian continham o sorriso.

Michael riu timidamente. Tocou o rosto de Tamires com a mão direita coloca-a na nuca da jovem esposa. Aproximou o rosto e de leve tocou os lábios dela com os seus. Pressionou-os com todo amor que sentia dentro de seu coração. Oficialmente eles selam o amor eterno e se tornam Senhor e Senhora Jackson.

Quando eles se separam, o padre se vira para o outro casal.

- Christian Trevelyan Grey, você aceita Poliana Dempsey como sua legítima esposa?

- Oh... Mais com certeza, Padre! Quer dizer... Sim, é claro que aceito! - ele diz, sorrindo no final

Padre sorri e se vira para Polly.

- Poliana Dempsey, você aceita Christian Trevelyan Grey como seu legítimo esposo?

- Aceito, para ama-lo pelo resto dos meus dias.

- Então, pode beijar a noiva, meu jovem. – disse o padre.

Christian sorriu de lado e puxou Polly pela cintura, até que ela se encostasse completamente em seu corpo. Inclinou sua cabeça para frente e prendeu seu lábio inferior em seus dentes, logo depois a beijando docemente.

Quando eles se separaram, o Padre disse:

- Com o poder a mim concedido a mim, vos abençoo eu vos declaro marido e mulher. - ele disse para os quatros.

Os noivos agora, juntos, se beijam novamente. Os convidados levantam das cadeiras e aplaudem com fervor. A banda começa a tocar uma música e os noivos saem do altar. Ao passar pelo corredor as pessoas jogam pétalas de rosas brancas sobre eles. Os quatro dão sorrisos largos e felizes.

As pessoas são dirigidas ao salão de festa enquanto os noivos fazem uma pausa.

Michael, Tamires, Christian e Poliana entram numa sala reservada a eles.

- Sra. Grey... - Christian murmurou em seu ouvido. - O que pensou na hora de escolher esse vestido? Tenho quase certeza de que você queria me matar.

Poliana sorriu.

- Oh Baby, realmente escolhi este vestido pensando em você, mas não achei que fosse ficar viúva por isso.

- Você quase ficou. Mais eu sou forte! - ele sorriu e a abraçou. - Agora você é só minha, baby.

- Pra sempre meu amor... - Ela completa e o beija.

- Veja só minha gatinha, como eles estão felizes! - Michael disse ao ver os amigos - Quase tão felizes quanto nós, não é?

- Sim... Mas acho que estamos mais, não é mesmo? - ela riu e o abraçou.

- Claro, minha deusa. E este vestido hein? - Ele sorri com travessura - É fantástico, meu bem. Ficou perfeito e... realçou seu lindo corpo. Pena que não vai durar muito... - Michael terminou fazendo cara de pena.

Tamires riu.

- Vai durar até o fim da festa. E depois, você tem alguma ideia do que posso fazer com ele? - ela perguntou como quem não quer nada.

- Tenho milhões de ideias gatinha e a primeira delas é lança-lo longe...

Tamires riu e disse

- Oh... Mas eu pensei que você tinha gostado dele. - ela diz.

- Eu adorei meu amor... - ele exclama e ri - Okay, então vamos passar nossa lua de mel vestidos. Que tal?

- Não mesmo! - ela diz. - Tudo bem, eu deixo você jogar meu vestido longe...

- Eu sabia... - ele ri - Essa é a minha gatinha. Ele disse a pega pela cintura para beija-la.

Poliana e Christian chegam perto deles. Christian limpa a garganta chamando a atenção deles. Polly fala.

- Podemos cumprimentar os noivos ou eles vão fazer a lua de mel aqui mesmo?

Christian gargalhou pelo comportamento da esposa.

- O que um sobrenome não faz... - ele murmurou fazendo todos rirem.

- Pois é, Chris... - Tamires diz. - Pode vir falar conosco, Sra. Grey. - ela diz

- Seus bobos... - Polly ri e fica vermelha.

- Olha, graças a Deus, ela voltou ao normal. - Michael ri.

Poliana estreitou os olhos e sorriu.

- Vem cá seu besta... - Ela disse e abraçou amigo - Oh God Mike... Te desejo tudo de bom e todas as felicidades do mundo. Que vocês sejam muito felizes... E que os filhos de vocês venham com muita saúde e alegria. Conte sempre comigo viu, sou maluquinha, mas você onde encontrar um ombro amigo. - Ela termina e beija a face dele.

- Oh boy, Poll. Você é demais garota! Desejo tudo em dobro, triplo pra você e Christian. Seus filhos vão lhe dar muito orgulho, pode apostar! Filhos da minha maninha com meu amigo né...- ele sorri - Amo você querida.

- Te amo mais Mike... - Ela responde e foi abraçar a amiga - Hey Tah, minha maninha do coração... Oh my God, casamos amiga...

- Oh meu Deus... Nos casamos sim, mana! - ela disse rindo e abraçando a amiga

- Oh meu Deus! Michael, nós casamos! - Christian imita indo abraçar o amigo, só para atiçar as meninas.

- Ah meu Deus, vou chorar... - Michael fala no mesmo tom.

Poliana e Tamires param e ficam olhando pra eles com as mãos apoiadas na cintura.

- HA HA HA... Cheios de graça né. - Poliana diz

- O que foi? Não podemos estar felizes por termos casados? - Chris pergunta.

- Repara no cinismo da pessoa mana. Vê se eu posso com isso? - Poliana fala

- Pois é amiga... Que feio ficar imitando a gente! - ela diz segurando o riso

- Feio nada... Vocês são lindas! Dá até orgulho, não é não Chris? - Michael disse rindo.

- Ôh se dá... - ele diz e anda em direção a Polly. - Tenho orgulho demais da Sra. Grey

Poliana sorri toda sem jeito.

- Bobo, agora vem adular né? Chantagista! - Ela ri - E o pior é que sempre caio, aff.

- Baby... Já falei que meu charme é irresistível.

Eles sorriram e Michael disse.

- Hey galera, ainda temos uma festa! Vamos senão os convidados virão pra cá.

- Tem razão Mike. - Polly sorri e pega a mão de Christian - Vamos nos divertir... meu marido? - ela diz orgulhosa.

- Vamos, minha esposa. - ele diz, sorrindo.

- Vamos senhora Jackson? - Michael diz estendendo a mão pra Tamires.

- Vamos, Sr. Jackson. - ela sorriu e pegou a mão dele

Eles saem alegres da sala. Caminham por um corredor até que são abordados por uma moça de sorriso simpático.

- Por favor, esperem um segundo aqui; vamos anuncia-los.



Os quatro amigos assentem e a moça sai por uns instantes. Ela volta e dá o sinal verde. No salão o animador da festa faz o anúncio.

- Queridos amigos, familiares e convidados... Peço que se levantem por um instante para saudar estes dois casais... Com uma calorosa salva de palmas para o Senhor e Senhora Jackson... E... Senhor e Senhora Grey. Uma salva de palmas para eles pessoal...

Os casais entram juntos no salão. São recebidos com alegria e ovações por todos os presentes. Param no meio do salão e acenam. Alguém trouxe o microfone e entrega a Christian.

- Nós queríamos agradecer a presença de cada um de vocês, por partilharem conosco um momento tão importante de nossas vidas. Ficamos muito felizes em ter todos vocês aqui. Muito obrigado e aproveitem a festa!

Todos começam a aplaudi-los e começam a se aproximar para dar os parabéns.





Christian devolve o microfone. Após os cumprimentos Michael, com um olhar, dá um sinal a banda. A mesma começa a tocar uma música. Christian e Michael tomam suas esposas pela cintura e colam em seus corpos. Elas sorriem. Poliana apoia as mãos na nuca do marido e Tamires abraça Michael recostando a cabeça em seu ombro.

- Se isso for um sonho... Eu não quero acordar nunca mais. - Polly sussurrou no ouvido de Christian.

- Não é um sonho, baby, é a nossa realidade. E assim será, para sempre. Seremos muito felizes, branquinha. - ele sorriu e a beijou docemente.

Michael acaricia a cintura da esposa enquanto dançam.

- Sou o homem mais feliz do mundo por ter você, meu amor. Eu te amo tanto... Tanto... Tamires...

- Eu também te amo muito, meu amor. Obrigada por me fazer tão feliz! - ela disse, sorrindo pra ele

- Obrigado você estar na minha vida querida!- Ele disse e a beijou com amor.

Eles continuam dançando e trocando palavras românticas.

Na metade da coreografia os casais dançam cada vez mais devagar até que Michael e Christian giram lentamente as esposas com uma mão. Poliana e Tamires dão dois passos para frente e trocam de parceiro. Christian e Michael agora dançam com suas melhores amigas. Os convidados aplaudem mais uma vez fazendo os noivos sorrirem.

- Está feliz Poll? - Michael disse.

- Muito Mike. Falei pro Chris que tudo isso é um sonho. Veja só... Quem poderia dizer que iríamos casar no mesmo dia, não é? - Polly sorri.

- É verdade querida. E só casei graças a minha cupido atrapalhada. – ele ri - Obrigado por tudo minha amiga, te amo muito viu.

- Awnn... Te amo mais, meu bem. – Polly disse abraçando forte o amigo.

- Ah, baby! Nos casamos! - Christian disse, rindo.

- Pois é, Chris! A um ano atrás nem pensávamos nisso... Como pode? Aconteceu tudo rápido demais...

- Sim. Achei que nunca iria me casar, mas Polly me agarrou.

- E agora ela não vai soltar mais, pode ter certeza.

- É impossível me largar, baby. Meu charme irresistível não permite... - ele comentou.

Tamires riu e revirou os olhos.

- Não mesmo, Christian Grey! - ela riu. - Cuida bem da minha amiga e do meu afilhado, ouviu bem?

- Pode deixar. E você cuida bem da minha afilhada, que futuramente será minha nora... Ela não vai resistir ao charme de Eliott.

- Tá bom... Deixa Michael ouvir isso. - ela disse.

- Ele vai ter que aceitar, faz parte da dinastia Grey, baby. Ou melhor, Grey e Dempsey.

Tamires gargalhou e eles continuaram conversando, até trocarem de par. Assim que a música termina as pessoas que assistiram levantam das cadeiras e aplaudem fervorosamente. Eles beijam suas esposas. Cena digna de cinema. Os noivos são convidados a se dirigir para a mesa reservada.

A festa acontecia. Todos se divertem. Crianças correm por toda parte e os adultos riem e conversam. Christian observava bem tudo isso e uma forte saudade de seus pais bateu em seu peito. Ele pediu licença a Polly e disse que voltava logo.

Quase vinte minutos passam e Christian não volta. Polly pergunta a Michael que voltava pra mesa deles, se o tinha visto, Michael diz que não o via há algum tempo. Tamires estava com Polly o tempo todo, ela também não saberia responder essa pergunta. Então Poliana pede licença e sai a procura do marido.

Caminhou por quase o rancho todo e não o encontrou. Um aperto no peito ela começa a sentir. Será que foi embora? Deus, tomara que não! Ela pensa fixamente. Chegou ao jardim pela milésima vez e viu Jeremy - um dos caseiros de Neverland - voltando de onde a cerimônia foi feita. Poliana foi ao seu encontro.

- Oi Jeremy, você viu meu marido?

- Vi sim, dona Polly. Ele está na árvore dos desejos.

- A arvore dos desejos... Como não pensei nisso antes? - Ela sussurrou a si em pensamentos - Oh, obrigada Jeremy. Vou atrás dele agora mesmo. - Ela sorriu aliviada.

- De nada dona Polly. - Poliana assente e se encaminha pra lá.

Desde sua primeira visita a Neverland Christian se apaixonara pela árvore dos desejos. Adotou para si como um cantinho especial.



Após caminhar um pouco Poliana avistou a árvore; e Christian sentado em um galho baixo que deixava os pés próximos ao chão. Ele tinha o olhar perdido e a cabeça baixa. Ela se aproximou.

- Hey baby... Fugindo de mim? – ela diz.

Christian levantou a cabeça e a chamou. Ela foi a sua direção e se sentou ao seu lado, sentindo os braços dele envolver sua cintura.

- Jamais fugiria de você, branquinha! - ele sussurrou em seu ouvido

- Que bom, assim não tenho que convocar o FBI à sua procura. - Ela fala só para vê-lo sorrir - O que houve, meu bem? Você está triste?

- Quando você quer, é pior do que a FBI, baby e sabe disso! - ele riu. - Não estou triste, amor, como estaria? Casei com a mulher da minha vida!

- Sou mesmo! Não está triste? Meu amor faz tempo que leio suas expressões. Você tem algo. Conte pra mim, baby, hmm....

- Você e a Tamires são idênticas, tem certeza que não são irmãs? - ele sorriu e balançou a cabeça. - Sei que é meio idiota, mas... Eu senti muito a falta dos meus pais agora, queria que eles estivessem aqui. É um momento tão importante pra mim, e saber que eles não estão aqui para vivenciar isso comigo é horrível.

- Oh baby... Também me lembrei dos meus. Sei o que sente. - ela acaricia o rosto dele - Não fique assim viu, eles estão conosco. Estão conosco agora! – ela faz uma pausa e pergunta - Hey, você tem desejos?

- Se eu tenho desejos? Como assim?

- Ai, me expressei mal, quis dizer se você acredita em desejos... - ela repete.

- Acredito. Principalmente depois de você ter voltado pra mim, nunca desejei nada antes, como te ter de volta.

- Oh baby... - ela diz emocionada e o beijou - E também te quis muito, mesmo brava. Mas águas passadas né, graças a Deus. - ela sorriu - Falei em desejo porque pensei numas coisas aqui. Você já tentou procurar alguém da sua família? Uma avó, tio, tia...

- Eu tentei, baby... Mas nunca consegui achar nada sobre eles. É como se todos tivessem... Você sabe. Como se todos tivessem ido embora... Para sempre.

- Hum... Entendi... - Ela diz pensativa

- Hei... Já posso ouvir seu cérebro trabalhando... No que está pensando, hein? - ele perguntou, sorrindo

Ela sorriu.

- Está lendo minha mente de novo senhor Grey? Estou pensando umas coisas aqui sim, mas deixa. Façamos melhor... Feche os olhos... - Ela pede.

- Okay, Sra. Grey.

Ele brinca fechando apenas um olho.

- Seu bobo, é sério. - ela ri - Feche os olhos e faça um pedido. Vou fazer o mesmo okay? - Ela fecha os olhos - Bom, meu desejo é... Que meu amor encontre alguma noticia ou alguém de sua família. Que essa pessoa seja especial e nos traga muita alegria. Pronto, terminei! Sua vez agora... -Ela diz pegando a mão dele.

- Oh baby... - ele murmurou com a voz embargada e balançou a cabeça. Fechou os olhos e suspirou. - Meu desejo é... Agradecer a Deus por ele ter colocado em minha vida uma mulher maravilhosa, que me ama tanto. Por tê-la feito me dá uma segunda chance e ser minha esposa e mãe de meu filho. Só tenho que agradecer e muito.

- Awnnn baby... - Poliana beija- o e recosta a cabeça no ombro dele – Também agradeço muito, muito por você e Eliott. - ela pôs a mão de Chris sobre sua barriga. Você é nossa vida, baby.

- Vocês são a minha vida, meu amor. - ele disse - Eu amo muito vocês, de todo o meu coração.

- Ain meu lindo... - Poliana tomou o marido pela nuca lhe dando um beijo molhado e carinhoso. Depois do beijo ela diz. - Baby... Vamos voltar pra festa antes que eu planeje uma irmãzinha pro nosso garoto.

Christian riu.

- Ah, baby, mas logo ele terá uma irmãzinha mesmo! Acha que não? - ele arqueou uma sobrancelha

- Hum... Logo quando, senhor apressadinho?

- Assim que terminar o seu resguardo... Por falar em resguardo... Vai ser difícil ficar sem minha mulher por um mês... Vou entrar em depressão. - ele falou, fingindo está triste.

Poliana gargalhou.

- Oh dó.... Não fica assim baby. Prometo que vamos dar um jeito nisso, okay? Já tenho algumas alternativas... -Ela sorriu travessa.

- Hm... Vai querer brincar, não é, Sra. Grey? Que esposa safadinha eu fui arrumar...

- Baby, não fala assim, poxa! - ela diz corando as bochechas - Você sabe que eu fico vermelha, seu chato. - Polly ri.

- Eu adoro te vê vermelhinha, baby! - ele riu e se levantou, ajudando-a a se levantar. - Vamos?

- Vamos. Daqui a pouco chegará Mike e Tah para o nosso resgate. - Ela ri.

- Oh, e eles vem, mesmo, baby. Não duvide disso. - ele riu.

- Não duvido, tenho certeza baby. - Ela pega a mão dele e os dois voltam sorrindo.



Assim que se sentam a mesa, Tamires olha pra eles, intrigada.

- O que foi que houve? Por que sumiu, Chris?

- Pensei tinha fugido cara. - Michael diz.

- Ah Mike de mim ele não foge nunca! Eu amarro ele se for preciso. - Poliana fala rindo.

- Você já amarrou, baby... - ele levantou a mão, mostrando a grossa e reluzente aliança de ouro. - Nem tem como fugir! - ele riu. - Nós estávamos namorando, antecipando um pouco a lua-de-mel. Não é, baby?

- Sim baby e falando nisso... Ficaremos até que horas? Meus pés estão me matando. Os seus também estão amiga?

- Ainda não, amiga, mais logo, logo estarão doendo... E eu quero ir embora, tirar esse vestido! - ela disse fazendo careta

Michael deu um sorriso torto. Poliana percebeu a maldade dele.

- Ai credo, vocês homens não valem nada mesmo. Nem podemos comentar nada. Pobre de você hoje, viu amiga.

- Que Poliana? Não falei ou fiz nada! Você está ficando maluca.

- Eu maluca? - ela repete - Quem não te conhece que te compre Mike.

- Amor... Ele não fez nada. - Christian foi em defesa do amigo. - Ele só quer chega ir embora logo, não é, Michael?

- Claro! É isso aí. Só o Chris entende meu lado. - Mike diz fazendo drama.

- Oh... Tadinho do meu marido... - Tamires diz dando um beijo no rosto dele. - Eu também te entendo, baby.

Michael faz bico e deita no ombro dela. Poliana revira os olhos e ri.

O festejo continua. Os quatro amigos se divertem a beça. Tiram muitas fotos... Cortam o bolo e dançam até cansar. Antes que a festa termine os noivos se despedem a saem para a esperada lua de mel. Tamires e Michael tinham as malas prontas em Neverland. Christian e Poliana vão pra casa dele antes de ir para o aeroporto.



Continua...
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://nevercansaygoodbyemj.forumeiros.com
Miss Jackson
Admin
avatar

Mensagens : 1328
Scores : 1883
Data de inscrição : 01/06/2012
Localização : Michael's House

MensagemAssunto: Re: Just Good Friends [+18] [Finalizada]   Sab Ago 03, 2013 12:13 pm

Capítulo 75

LUA DE MEL DO CASAL JACKSON



Michael e Tamires se despedem mais uma vez dos pais dela e com a benção deles saem em viagem.





O destino é Florença/Itália. Terra da Renascença e Romantismo. No aeroporto a correria de sempre estava lá, mas o casal estava tão feliz que tirou de letra a gritaria e alvoroço. Michael acena para os fãs e Tamires manda beijos carinhos a todos. Algumas horas depois eles desembarcam pega o carro e vão direto ao hotel. Passam pela recepção para assinar a chegada; enquanto isso, um jovem leva as malas aos aposentos. Terminam a pequena burocracia pegam chave e sobem para o quarto. Assim que chegam na porta Michael passa o cartão e pede que Tamires espere um segundo. Ele põe a chave no bolso, pega a esposa no colo e entra no quarto e dá o primeiro passo com o pé direito.



- Enfim sós meu amor... - Ele diz.

- Enfim sós e casados! - ela exclamou beijando seus lábios. - Eu estou muito, muito, muito feliz!

- Eu também meu amor, mais feliz impossível. - Ele diz sorrindo e colocando-a no chão - Por onde pretende começar nossa lua de mel?

- Tem alguma sugestão? - ela perguntou olhando pra ele

Michael morde o lábio inferior.

- Tenho sim gatinha... Que tal um banho relaxante?

- Ótima ideia, meu marido... - ela disse sorrindo pra ele

Michael sorri todo derretido.

- Adoro quando me chama assim... "marido"

- Mas é o que você é. Meu Marido! - ela repete baixinho no ouvido dele.

Cada pêlo da nuca de Michael arrepia com essa fala dela. Num gesto rápido ele a toma pela cintura e a beija com intensidade. Quando o oxigênio falta, eles se separam e Michael a leva pro banheiro... no colo. Ele tira sua camisa com urgência e joga num canto qualquer. Liga a água do chuveiro para esquentar. Volta a Tamires e tira a roupa dela aos beijos. E que beijos ela recebe! Michael parece estar tomado de uma força arrasadora. Sua esposa estava amando tudo aquilo. Eles entram debaixo d'água e namoram como nos primeiros meses em que se conheceram.

- Quero fazer amor com você aqui, minha esposa. - Michael disse com a respiração descompassada de desejo.

Tamires mal conseguia responder, pois Michael não deixou de acaricia-la um segundo. Ela apenas assente que sim. Ele sorriu e mordendo o lábio voltou a beija-la. Seus beijos descem pelo corpo dela e param no ventre. Michael se abaixa em frente a ela e toca a esposa em sua intimidade. Ele é habilidoso e arranca gemidos dela. Quando já estava pronta pra ele, Michael a prendeu na parede... Apoiou as pernas dela em sua cintura e a fez sua debaixo do chuveiro.

Depois que explodiram de prazer Michael repousou a cabeça no colo da esposa e sussurrou.

- Isto é só o começo da noite, minha gata gostosa.

- Oh meu Deus... Ainda tem mais? - ela perguntou.

- Tem amor. - ele ergue a cabeça e olha pra ela - Agora vamos terminar aqui e descansar um pouco para a parte dois... Michael sorriu e brincou com as sobrancelhas.

- Oh... Não esqueça que sou uma mulher grávida, meu marido, não posso ter tantas emoções seguidas...

Michael arregala os olhos.

- Oh meu Deus, por um segundo eu... Oh Boy, eu esqueci da nossa princesinha. - Michael se apavora e começa a beijar a barriga de Tamires - Ain filhinha, desculpa o papai, prometo que vai ficar tudo bem, okay? Você está bem segura na barriga da mamãe.

Tamires gargalhou.

- Hei, papai, eu só estava brincando! - ela disse acariciando os cabelos dele. - Estamos muito bem.

- Oh meu bem, me perdoe... Sou muito atrapalhado mesmo. Me desculpa... - Ele disse beijando ela com carinho.

- Você é um bobo, isso sim! Um bobo muito, muito, muito sexy!

- Você está bem mesmo, meu amor? Se você sentir qualquer coisa me avisa pelo amor de Deus.

Michael fala ainda preocupado.

- Nós estamos bem, amor... Sexo faz bem ao bebê, foi o que a Dra. Green disse... Não podemos desacatar a ordem médica, quanto mais sexo melhor, lembra da nossa última consulta?

Ele puxa a cena na memória e sorri aliviado.

- Agora lembro. Então de hoje a senhora não me escapa. Vamos fazer muito bem a esta criança nessa noite... Nossa bebê vai ficar muito feliz.

- Você é um cara de pau! - ela riu e deu um tapinha no braço dele. - Agora eu vou tomar meu banho, seu atrevido!

Michael gargalhou.

- Te adoro brava assim... É excitante. Mas vamos sair logo daqui antes que não dê tempo de chegarmos na cama.

Eles terminam o banho, se vestem e deitam na cama. Conversam um tempo. Comentam o quanto foi bela e especial a cerimônia de casamento. A festa rendeu muitos risos dos dois.  

Quando o casal faz uma pausa no papo Michael diz.

- Hey gatinha, faz algumas horas que a senhora não de alimenta. Pensei em pedir algo. O que você quer?

- Hm... Ainda não estamos com fome... O que está pensando em pedir? - ela perguntou a acariciando a barriga protuberante

- Pensei em algo leve. Umas frutas e algum doce, o que acha?

- Hm.. Quero chocolate!

- Vou pegar sorvete pra mim. Você quer? – Mike oferece.

- Quero. De baunilha, - ela sorri. - Alias, obrigada por me incentivar a fica enorme de gorda, era pra você proibir os doces!

Michael dá risada.

- Mas amor é só hoje. E outra, se eu pedir o meu, você vai querer, então já ofereci pra depois poder comer o meu em paz. Certo?- brincou.

- Como é que é? - ela pergunta estreitando os olhos. - Eu não quero mais nada, muito obrigada!

- Oh amor, vem cá...- ele ri.

Tamires faz birra.

- Não! Eu não quero mais você! - ela sai de perto dele e se senta na cama, cruzando os braços.

- Hey, Tah... Eu não acredito que ficou brava? Estava brincando sua bobinha... - Ele diz se sentando atrás dela.

- Agora tanto faz, eu não quero comer mais nada mesmo! - ela deu de ombros

Ele revira os olhos e toca os ombros dela fazendo massagem.

- Vou pedir seu sorvete okay. Eu sei que você quer... Só está fazendo charme. - Ele engatinha na cama e pega o telefone no criado mudo. Faz os pedidos e minutos depois batem na porta.



Michael recebe o pedido e dá uma boa gorjeta ao rapaz.

- Pronto minha gravidinha brava... Aqui está seu sorvete. - Michael disse entregando o pote e uma colher nas mãos dela.

- Eu já disse que não vou comer!

- Ah, vai comer sim. - Ele abre o pote e pega um pouco com a colher – Vamos, abra a boquinha meu amor... - Disse todo carinhoso.

Ela negou com a cabeça mais logo depois cedeu, abrindo a boca e tomando um pouco do sorvete.

- Isso mesmo, assim que eu gosto, bem obediente.  - ele fala segurando o riso.

Tamires olha pra ele e faz cara feia.

- Eu só fiz um favor pra você, fingindo ser boazinha, mas não vou comer mais. Não mesmo!

- Vai sim mocinha! Abra a boca mais uma vez... Por favor...

Michael tinha a colher diante dela. Tamires se recusa.

- Não!

- Abra ou eu...

Michael move a mão e sem querer derruba no colo dela o conteúdo da colher. Na hora ele faz uma careta e ri. Tamires leva um susto com a sobremesa gelada começando a escorrer entre os seios.

- Ai, Mike! Eu já to de camisola! - ela exclama e quando se levanta para ir se limpar, ele a impediu

- Não espera, eu limpo... - Michael encosta os lábios na pele da esposa. Suga, beija e passa sua língua quente para limpar a área - Pronto amor. - Ele sussurra e sorri pra ela - Falei pra me obedecer... Você não ouviu.

- Já disse que você é muito cara de pau? - ela pergunta segurando o riso.

- Já. E você adora. - Ele respondeu rindo

- É né... O que eu posso fazer? - ela deu de ombros e riu

- É eu sei. Como diz meu amigo, tenho um charme irresistível!

- Ah não! Deixa Christian Grey para Polly, por favor! - ela diz rindo

Michael gargalhou.

- Tá bom, eu deixo... Até porque sou muito mais irresistível que ele. - Falou dando os ombros - Você não acha, gatinha?

- Se eu falar que é, você vai ficar convencido que nem o Chris?

- Porque eu ficaria gatinha? Eu sou! Você só vai confirmar. – ele se faz e revira os olhos no final da frase

- Fala sério, Michael Jackson, toma vergonha na cara! - ela riu - Mais você é sim irresistível, baby!

- Vergonha na cara eu só tenho na hora certa e quando quero, gata. Aprenda isso! - ele pisca pra ela e se aproxima – Ei, eu quero mais sorvete amor...

- Hm... O pote ainda está na sua mão. - ela diz soando divertida.

- Então eu posso? – perguntou olhando o corpo dela.

- Claro! Fique a vontade Sr. Irresistível!

Michael suga ar entre os dentes mostrando um desejo nascente.

- Uhhh... Vou me acabar em você, minha cerejinha gostosa.

- Obrigada pela parte que me toca, meu marido sexy e irresistível!

Ele sorri e a pega pela cintura. Aos beijos vão para a cama. Tamires deita e Michael fica com os joelhos no colchão. Ergueu a camisola até na altura do estômago. Com dois dedos ele pega um pouco de sorvete e põe sobre a barriga dela. Tamires se encolhe com a frieza do alimento. Michael não perde tempo; passa a língua e come o doce. Ele repete algumas vezes esta ação. Tamires já se contorcia de excitação... Michael é tão surpreendente!. Ao sussurro ela pede que ele a faça sua de uma vez. Ele sorri, tira suas roupas e a atende sem demora. Michael toma a esposa em seus braços e acaricia. Se sorriso era o mesmo de quando tiveram a primeira noite de amor. Ele a penetra e se movimenta devagar, sentindo com prazer a cada segundo daquele momento único.

- Você é a mulher da minha vida Tamires... E eu te amo... - Michael sussurrava no ouvido dela enquanto a amava.

Tamires acaricia o corpo do marido e também diz palavras de amor. O clima esquenta mais. O casal se entrega a delirante sensação... Até que unidos dão um mesmo grito de satisfação.

Michael toca o rosto da esposa e beija seus lábios com carinho.

- Você é perfeita gatinha. - Ele disse.

- Olha só quem fala... - ela sorri. - Je t'aime. - (eu te amo) ela sussurra no ouvido dele

- I love you more, minha gostosa! - Michael diz e lhe dá um beijo fervoroso.

LUA DE MEL DO CASAL GREY







Christian e sua esposa não queriam passar pela burocracia de aeroportos cheios e repórteres curiosos e chatos, então eles pegam o jatinho particular dele e seguem para o Marrocos. São muito bem recebidos no hotel que reservaram. Uma moça de lenço nos cabelos belos olhos grandes da recepção os leva até os aposentos. Ela abre a porta do quarto e dá passagem.



- Este é vosso quarto Senhor e Senhora Grey. - Disse a moça.

- Meu Deus que coisa mais linda! - Poliana exclama olhando o luxo do ambiente.

- É lindo mesmo, baby! - Christian disse. Ele deu uma gorjeta a funcionária e assim que ela saiu do quarto, ele abraçou sua esposa. - Está feliz, Sra. Grey?

- Muito, senhor Grey. - ela disse e apertando mais o abraço - Achei tão fofo a moça nos chamar assim, “senhor e senhora Grey”. Dá uma sensação de poder... Gostei. - Polly diz sorrindo.

- Ah baby, qualquer um fica submisso aos nossos encantos... Você sabe... - ele sorri de lado.

- Com certeza baby, somos irresistíveis. - Ela pisca pra ele.

- Oh sim... Mas ainda mais irresistível do que nós dois juntos, é você, branquinha! Minha esposa é irresistível...

- Eu, baby? Imagina.. - ela vira e fica de frente pra ele - Você que é.. Hum... Super mega irresistível. Dá vontade até de morder, sabia?

- Hm... Adoraria ser mordido por você, princesa... - ele sussurra no ouvido dela, apertando sua cintura.

- Ai baby, não faz isso... - Ela diz arrepiada fechando os olhos. - Você é muito mal.

- Eu sou mal? Por que, branquinha? - perguntou mordendo o lóbulo da orelha dela.

- Porque vou acabar me derretendo antes que toque em mim. E isso não vale, rum. - Disse ela fazendo um bico manhoso.

- Oh... Eu não vou deixar que isso aconteça, baby! - ele sussurrou. - Você só vai derreter de prazer.

- Então seja rápido baby, porque esses seus sussurros estão... Aiiii... - ela brinca de se jogar nos braços dele - Estão fatais.

- Oh meu Deus, Polly, está passando mal? - ele perguntou preocupado

Poliana escuta aquilo e não contém o riso.

- Não baby, fica tranquilo, estou ótima. Só estava brincando contigo.

- Nunca mais brinque assim comigo, baby! Eu pensei em várias coisas! - ele exclamou e então a puxou para o seus braços, beijando-a docemente. - Você me deixa louco, viu só?

Poliana sorriu.

- Oh Boy, como diz o Mike. Você tem que ficar mais tranquilo, amor. Eliott e eu estamos muito bem, mas só falta uma coisa... - Ela disse pensativa.

Ele ergue a sobrancelha esperando a resposta dela.

- O que está faltando, baby?

Ela cola os lábios no ouvido dele e diz

- Minha boca na sua... Sua pele, na minha pele... Seu fogo e meu desejo... Que tal hein? - Polly fala sedutora.

Ele sorriu de lado.

- Hm... E se eu disser que prometo pensar no assunto?

Poliana arregala os olhos.

- Pensar no assunto? Quem é você e o que fez com meu homem?

Christian riu.

- Sou seu marido, baby! - ele riu. - E já tenho minha resposta, quer ouvir?

- Por favor, antes que eu enfarte... - ela diz exagerada.

- Eu acho que o mais justo a se fazer é atender o desejo de minha esposa... Não acha?

Ela sorri.

- Hurum... - assentiu - E por onde vai começar baby?

- Hoje quem manda é você, baby... Por onde quer que eu comece?

- Como gosta de receber ordens, meu Deus! - ela riu - Se é assim, ordeno que me ame como quiser, meu bem.

- Ah baby... Só gosto de receber ordens de você. - ele disse sorrindo, virando-a de costas para si. - Então, posso amá-la do jeito que eu quiser?

- Claro meu bem... Estou ansiosa por isso.

Ele beijou sua nuca e desceu o ziper do vestido azul que ela usava. Afastou a alça e beijou seu ombro, fazendo uma trilha por seu ombro, pescoço até chegar em seu ouvido.

- Hm... Está preparada para nossa noite, baby?

- Sinceramente? Nunca estive tão preparada baby. Polly sussurra desejosa.

- Branquinha... Você sussurrando desse jeito me atiça ainda mais!

- Ah é... O que acha deu me dirigir a você falando somente assim? Hum? - ela sussurra novamente.

- Acho maravilhoso... Também acho que não sairemos mais desse quarto!

Poliana sorri.

- Adorei a ideia amor. Podemos ficar aqui e nos amar até o fim de semana. Será maravilhoso! Só você, eu e nosso bebê.

- Então, é isso mesmo que iremos fazer! - ele abaixou a outra alça e fez a mesma trilha de beijos. - Só não prometo ficarmos até o final de semana, acho que vamos ter que ficar por mais tempo.

- Mais tempo? Por quê? Disse curiosa.

- Porque até o final de semana é muito pouco tempo, amor.

- Você acha? Deus te ouça! Porque a vida faz questão de abreviar tudo que é bom. - Ela disse e ri.

- O que quer dizer com isso, amor?

- Hum... Também acho pouco baby. Quero conhecer o mundo todo com você... E se possível, te amar em todos estes lugares.

- Ah, que delícia, meu amor! Minha esposa está se mostrando muito, muito safadinha!

Poliana fica vermelha como um tomate e ri.

- Você é muito bobo! Pare já com isso. Saiba que tenho recaídas de timidez, ouviu?

Ele sorri a vira de frente pra ele.

- Oh baby, você sabe que eu gosto de te ver vermelhinha, não é? Principalmente na nossa cama... - ele sussurrou no ouvido dela

- Seu sem vergonha... Sou uma moça de família, ouviu? - Ela dá um tapinha no braço dele.

Ele riu.

- Claro que é baby... Você é minha esposa. Minha. Esposa. - ele frizou cada palavra com devoção e malícia.

- Hum... Adoro quando você fala assim "Minha esposa" com tanta posse. É excitante baby. - Ela diz passando o dedo indicador nos botões da camisa dele.

Ele mordeu os lábios e desceu o vestido dela, ficando surpreso ao vê a lingerie que ela usava.



- Oh não... A lingerie que eu te dei quando te pedi em casamento?

Polly sorriu.

- É uma réplica dela, amor. Guardei para outro momento ainda mais especial que teríamos.

- Eu amei, baby... - ele passou o dedo pela alça do sutiã. - Ficou perfeita em você, ainda melhor em lua de mel.

Ele se aproximou e desceu as mãos até sua cintura, apertando-a levemente e a puxando para si. Quando sentiu seus corpos colados, ele se abaixou e a beijou arduamente, fazendo-a gemer em seus lábios.

- Hm... Baby, você está especialmente deliciosa hoje!

- Não sei se existe esse termo verbal, mas você está "gostosamente" irresistível, baby. Polly morde o lábio inferior arfando as palavras.

Christian riu.

- Obrigado, branquinha... - ele torceu a boca e sussurrou no ouvido dela. - Mas eu quero provar seu gosto agora... Posso?

- Não precisa falar duas vezes amor. - Ela responde sorrindo.

Christian a beijou docemente e a colocou deitada na cama. Polly se sentou e tirou a roupa dele até que eu ficasse somente com a cueca boxer cinza. Ele a beijou novamente e a colocou deitada, se deitando por cima dela, começou a beijar seu pescoço, descendo por seu colo, suas mãos acariciaram suas costas e ele desabotoou seu sutiã, jogando a peça no chão.

- Você é linda, minha esposa. - ele sussurrou olhando no nos olhos dela.

Polly sorriu e gemeu baixinho quando sentiu os lábios do marido beijando seu mamilo. Ele chupou seu seio delicadamente enquanto tocava o outro com a mão. Quanto mais Polly gemia, mas ele continuava. Repetiu o mesmo gesto no outro seio e então, desceu por sua barriga, beijando seu ventre docemente e repetidas vezes, até chegar em sua calcinha. Polly suspirou.

- Ansiosa, baby,?

- Como nunca antes baby.- Ela diz quase gemendo.

Ele sorriu e tirou a calcinha dela, deixando-a completamente nua. Beijou o interior de suas coxas, até chegar em sua intimidade. Começou primeiramente com um beijinho leve, fazendo-a arfar alto, e gemer quando sua língua a acariciou intimamente. Polly gemeu alto sentindo todo o prazer que seu marido estava lhe proporcionando, Christian continua a acariciando, alternando a velocidade entre rápido e devagar até que ela se desmanchou em sua boca, agarrando seus cabelos e gemendo alto.

Christian subiu e sugou o lábio inferior dela, que estava de boca aberta, respirando rapidamente.

- Como eu previa, baby... Está deliciosamente perfeita.

- O que pretende Chris? Me matar é? Polly disse ofegante.

- Só se for de prazer. - ele sussurrou.- Eu quero você, Polly...

- Também te quero amor. Quero muito...

Polly puxou o rosto dele em direção ao seu e o beijou docemente, ajudou Christian a se despir da última peça que cobria seu corpo fazendo-o se acomodar por cima de seu corpo.

- Eu amo você, branquinha. - ele sussurrou e então a penetrou lentamente.

Polly gemeu em seu ouvido e Christian começou a acelerar os movimentos, tudo estava sincronizado entre eles: respiração, movimentos e batidas do coração. Christian acelerou ainda mais os movimentos e então. Explodiram juntos de prazer e satisfação.

- Branquinha... Você é demais! - ele sussurrou no ouvido dela

- Você muito mais meu marido. - ela responde acolhendo a cabeça dele em seu colo.

- Oh baby, já disse que juntos nós somos demais. Somos a dupla perfeita!

- Já baby e concordo plenamente. Mas não esqueça que agora somos um trio. Eliott pode ficar com ciúmes. - Ela falou e riu.

- Oh, é mesmo! Como pude me esquecer do meu filhão? - ele riu e acariciou a barriga dela. - Me desculpe, filho, é que sua mãe me faz perder a cabeça...

Poliana ri e se defende.

- Eu não! Seu pai que é muito safado filho.

- Só com a sua mãe, meu filho... Ela que me faz ser safado desse jeito, ninguém manda ser tão irresistível quanto eu.

Ela dá uma gargalhada.

- Então Christian Grey perdeu seu posto para uma garota? Hum… a vitória é tão doce!

- Se a garota em questão for você, eu admito que sim, eu perdi.

Ela estreita os olhos.

- Claro que sou eu. Quem mais seria, rum?

- Ninguém, amor. Como eu disse, se a garota for você, eu admito que perdi, qualquer outra não chega nem aos seus pés.

- Hum, saiu bem dessa seu malandro. Agora quero mais de você, estou grávida, mas não sou de cristal, honey. Isto foi só o aquecimento, não é?

- Filhão... O que está fazendo com sua mãe?

- Nadinha baby, ele está quietinho aqui. - ela ri e toca a barriga - Porque o espanto, amor? Será que estou tão apressada assim?

- Não, baby, você está muito safadinha! E eu estou adorando isso!

- Você ainda não viu nada. - Ela sussurra olhando pra o teto.

- O que? - ele se deitou por cima dela novamente. - Repete isso, amor?

- Hã? Eu não disse nada baby...

- Ah você disse sim... - ele beijou seu pescoço. - Fala vai...

- Isso é chantagem amor, - Polly diz - você sabe que não resisto a beijos no pescoço.

- Diz, baby... - ele repetiu continuando com sua tortura

- Aiinn... Tá bom eu falo... - Ele sorri ficando atento - Você disse que sou "safadinha" - ela imita aspas com os dedos - Mas a verdade é que, você ainda não viu nada. Pronto, falei! Satisfeito agora senhor Grey?

- Mas gostaria vê o que ainda esconde de mim, Sra. Grey... - ele murmurou e a pegou no colo. - Quem sabe você não pode me mostrar agora, durante o nosso banho, hm?

- Hum... Você sempre tem ótimas ideias, meu amor. - ela sorriu - Mostro sim querido, mas não sei se vou ser tão "flexível" como antes, agora tenho companhia.

- Para tudo tem um jeito, baby... - ele disse indo para o banheiro.

Christian pôs Polly sentada na poltrona que ficava de frente para a banheira e ligou as torneiras.



- Até porque, nosso filhão sabe que estamos em lua-de-mel e ele gosta quando fazemos amor. - Ele diz.

- Baby, o que é isso? - Polly enrubescida - Eliott é muito inocente pra entender o que fazemos. E espero que continue assim. - Ela diz com as mãos sobre a barriga como se tapasse os ouvidos do filho que espera.

- Branquinha, Eliott nascerá com o dom da sedução... - ele disse pondo sais na água da banheira. - É genética.

Poliana dá risada.

- E presumo que essa sedução toda vem de você, não é?

- Oh não mesmo. Vem de nós dois, baby. Já disse que somos incríveis juntos.

- Somos mesmo amor. - Ela se levanta e o abraça por trás - E foi por isso que me apaixonei por você, meu marido super homem.

- Oh sim, minha mulher maravilha! - ele dá um selinho nela e juntos entram na banheira.

Christian se senta, fazendo com que Polly se sente a sua frente, entre suas pernas. Ele beijou seu pescoço e acariciou sua barriga protuberante.

- Sabia que grávida você ficou ainda mais sexy? - sussurrou no ouvido dela

- Hum, fiquei é? - Ela diz fechando os olhos relaxando na água morna.

- Pode apostar que sim, amor... - ele beijou seu pescoço. - Hei, estou esperando, Sra. Grey...

- Esperando o que, baby? Polly brinca fingindo não saber do que se trata.

- Esperando para você revelar o que ainda esconde de mim, baby... - ele disse rente ao ouvido dela

Polly sorri sem graça e morde o lábio.

- Você é muito apressado, baby. Tenho que me concentrar pra entrar na personagem. entende?

- Hm... Não sabia que era atriz, amor...

- Às vezes e quando necessário faço uso de meus outros talentos. - Polly agora muda o olhar. Ela estreita os olhos, sedutora e o encara - Você sempre desperta o melhor de mim, sabia, baby?

- Sabia... Mas especificamente, o que eu desperto em você, baby...

Poliana se aproxima dele Cantarolando uma canção de Etta James "I just make love to you".

- Eu não quero que você seja nenhum escravo... Eu não quero que você trabalhe o dia todo... Mas eu quero que você seja verdadeiro... E eu só quero fazer amor com você... Amor com você... ooh-ooh... Amor com você...

Christian mordeu os lábios com força, se sentindo altamente excitado com o sussurrar de Polly em seu ouvido.

- Oh meu Deus, baby... Continua...

Polly sorriu.

- E eu posso te falar pelo jeito... Que você anda... Eu posso escutar pelo jeito... Que você fala... E eu posso saber pelo jeito... Que você trata sua garota... Que eu poderia dar a você todo o amor... Do mundo todo... - Ela sussurrou o refrão com mais desejo.

- Hm... - ele gemeu e apertou a cintura dela. - Isso é delicioso, baby... Eu quero ouvir mais...

Ela se afasta do ouvido dele e toca o rosto do marido com as duas mãos.

- Não baby... Agora vou cumprir o que diz a música. Eu só quero fazer amor com você... Uhh.. Com você...

Sem dar tempo pra respostas Polly o beija com paixão e fogo.

Christian gemeu e a pegou firmemente pela cintura, sugando seu lábio inferior e descendo os quadris dela penetrando-a de uma só vez. O modo como ela havia cantado em seu ouvido o deixou louco de tesão, e ele realmente queria cumprir o que ela havia cantado. Com sua ajuda, Polly começou a subir  e descer em seu colo, primeiro suavemente, logo aumentando o ritmo. Os movimentos ficaram intensos, fazendo com que a água da banheira escapasse pelos lados, Christian gemia rente ao seu ouvido, chocando o quadril contra dela, sentindo-a se apertando ao seu redor até que juntos explodiram de uma só vez.

Sem fôlego Polly diz ao marido.

- Vou cantar mais vezes pra você amor... Isso foi demais.

- Oh meu Deus, baby, você me deixou louco! - ele exclamou. - Aliás, você sempre me deixa louco.

- "Trabalhamos com este propósito, baby". Você me disse isso quando nos conhecemos, lembra? Agora o feitiço voltou!

- Oh sim, baby... Nosso objetivo é satisfazer. - ele arqueou uma sobrancelha. - Eu te amo, baby.

- Ai, eu falei errado, sua frase era essa. – ela riu - Eu te amo mais, meu amor.

A lua-de-mel dos casais chega ao fim três semanas depois do casamento. Eles começam a planejar e comprar coisas para os bebês, alternando o tempo entre trabalho e diversão.



Continua...
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://nevercansaygoodbyemj.forumeiros.com
Michael Eterno

avatar

Mensagens : 99
Scores : 159
Data de inscrição : 01/06/2012

MensagemAssunto: Re: Just Good Friends [+18] [Finalizada]   Sab Ago 03, 2013 1:15 pm

Parabéns aos casais, que sejam muito felizes de verdade.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Miss Jackson
Admin
avatar

Mensagens : 1328
Scores : 1883
Data de inscrição : 01/06/2012
Localização : Michael's House

MensagemAssunto: Re: Just Good Friends [+18] [Finalizada]   Dom Ago 11, 2013 9:25 pm

Capítulo 76


Seis Meses Depois.

Depois de mais uma pequena sessão de compras, Polly convida os amigos para jantarem em sua casa. Eles estavam na sala de estar, os homens tomando um drink preparado por Christian e as meninas tomando suco natural. A conversa estava animada entre eles.

- Pietra não se mexe muito... Eliott se mexe muito, amiga? - Tamires perguntou, olhando para Polly.

- Mexe amiga, oh Deus, acho que tenho um jogador de futebol americano em meu ventre. - Ela pousa a mão na barriga e ri.

- Baby, ele está praticando artes marciais, já disse isso... - Christian falou, dando um beijo em seu rosto.

- Oh, minha bebê é quietinha, ela se mexe mais quando escuta a voz de Michael.



- É verdade. Essa garota me ama. - Michael disse orgulhoso tocando a barriga da esposa com carinho e beijou.

- Não se ache muito, amor! - ela disse sorrindo.

Poliana e Christian riram.

- Ishi Mike cuidado com essa mamãe ciumenta viu. - Disse Polly

- Sou ciumenta mesmo! - ela diz, bicuda

- Ciumenta e linda... Michael completa e lhe dá um selinho.

- Amor, pega um copo d'agua pra mim, por favor? - Polly diz entregando o copo vazio ao marido.

- Claro baby, está sentindo alguma? Se estiver você tem que me falar, sabe que está com quase nove meses e nosso filho pode nascer a qualquer momento... - ele diz, preocupado.

- Estou bem meu amor, só tenho sede de tomar água, mesmo. Mas obrigada pela preocupação meu bem. - Polly diz e beija-o.

- Quer alguma coisa também gatinha? Eu pego. - Michael fala a Tamires.

- Pode trazer mais suco, amor? O meu acabou... - ela diz olhando pra ele

- Claro, - Ele pega o copo das mãos dela - Volto já, gata. - Mike a beija e sai.

Christian sai em seguida e as meninas ficam a sós. Tamires solta um suspiro e Polly olha pra ela franzindo o cenho.

- O que foi amiga, está sentido alguma coisa? Poliana falou.

- Só uma dor nas costas... Mas acho que é por causa do peso da barriga... - ela diz fazendo careta

- Hum, vou pegar mais uma almofada pra você... - Poliana segura a própria barriga e levanta devagar. Pega a almofada no sofá e leva para a amiga - Afaste as costas um pouco mana... - Tamires obedece e recosta novamente - Prontinho agora você vai melhorar do desconforto. - Disse sorrindo.

- Obrigada amiga, acho que agora vai dá um jeito... - ela passa a mão na barriga e Pietra se mexe.

- Oh, sinta isso. - ela pega a mão da amiga e põe sobre sua barriga. - Ela está se mexendo, aproveita porque isso é raro.

- Opa, vamos aproveitar sim mana. - ela sorriu - Oi Pietra, minha fofa, é a dinda... - o bebê dá um chute na mão de Poliana - Oh Meu Deus, ela mexeu Tah! - Polly abre um enorme sorriso.

Nessa hora Christian e Michael voltavam com as bebidas

- Baby, baby, vem cá. Pietra chutou minha mão! –Polly disse toda boba e emocionada.

- Ah. ela vai ter que mexer pra mim também! - ele disse se sentando ao lado de Tamires e colocando a mão em sua barriga. - Olá, baby. Aqui é o seu padrinho mais gato e charmoso.

Pietra chutou pra ele também e ele riu.

- Oh meu Deus, ela já sabe que eu sou o mais charmoso daqui, você sentiu?

Tamires soltou um pesado suspiro e forçou um sorriso, mas ninguém percebeu sua careta de dor em meio a emoção de sentir a neném chutando.

- Senti sim amor. - Polly disse – Tá vendo Mike você perdeu seu posto, Pietra nos reconhece de primeira. - Ela ri e tira onda.

- Imagina, fui eu que falei pra ela chutar. - Michael disse se gabando - Ela já é uma atriz nata, não se iludam meus amigos.

- Michael, ela reconheceu o charme poderoso do tio dela, não se iluda você, meu querido. - Pietra chutou de novo. - Olha, ela chutou de novo!

- Ha ha... Segura essa Mike. - Polly disse rindo - Isso aí amorzinho, mostra pro seu pai quem manda aqui.

- Somos demais, baby, não adianta! - Christian disse.

Tamires suspirou de novo e fechou os olhos.

- É... Só que ela está chutando forte demais. - ela murmurou com a voz embargada - Tá doendo.

- Oh minha gatinha... - Michael fica preocupado e se aproxima depressa dela - O que você está sentindo?- Disse acariciando sua cabeça.

- Está doendo, Michael, acho que está na hora dela nascer... - ela disse

- Oh meu Deus.... - Christian se levantou e começou a andar. - Oh meu Deus, vai nascer? Mas tipo, nascer agora? Agora mesmo?

- Fica calmo baby, não deixe Tamires nervosa. - Polly disse calma e se dirigiu a amiga - Mana, aonde você está sentindo dor?

- Aqui... - ela passa a mão abaixo do ventre. - A dor aumenta em uma escala de cinco minutos...

- Baby, vamos fazer aquela respiração de cachorrinho, o médico da Polly disse que é ótimo, é assim, olha... - Christian começa a fazer a respiração ensinando a ela.

Nesse momento Tamires riu um pouco, mas logo depois fez uma nova careta de dor.

- Meu bem, o que é isso? - Polly diz contendo o riso - Tamires precisa de médico.

- Isso mesmo. Médico. - Michael completou - Vamos meu amor, você consegue andar?

- Acho que sim... - ela diz. - Mas vou precisar de ajuda para levantar.

- Chris ajuda ela, por favor... Polly pediu.

Os meninos a ajudam-na a ficar de pé, e Polly foi ligar para a médica. Com a ajuda de Michael e Christian, Tamires entra no carro, Michael se senta ao lado dela, Christian vai na direção e Polly se senta ao seu lado, no banco do carona. Ela se vira para a amiga e diz:

- Quando você sentir as dores me avisa tá mana, vou contar suas contrações.

Tamires assentiu e segurou forte na mão de Michael.

- Você conseguiu falar com a médica, baby? - Christian perguntou

- Sim, amor. Ela disse que estava indo pra lá. - Polly respondeu.

- Não se preocupa minha gatinha, eu estou aqui e vamos chegar logo ao hospital, viu? Michael beijou a cabeça de Tamires com amor.

- Tudo bem... - ela respirou e sentiu mais uma contração. - Polly, doeu de novo... - ela choramingou

- Okay amiga, fica calma e respira fundo... - Polly olhou o relógio e fez alguns cálculos - A contração dela está de três em três minutos. Polly murmurou e só Christian ouviu.

- Isso é ruim? - ele murmurou de volta

- Significa que o bebê está muito perto de nascer, amor. O hospital ainda está longe daqui? - Ela pergunta.

- Estamos quase chegando, baby... - ele disse.

- Falem mais alto, esses sussurros estão me deixando nervosa! Ain, outra amiga.

- Não era nada maninha, fica calma. Já estamos chegando ao hospital. - Polly respondeu.

- Graças a Deus. - Michael disse com alívio.

- Ain, de novo, amiga! - Tamires disse apertando forte a mão de Michael.

- Baby, estamos chegando, só faltam mais duas ruas.

- Respira fundo maninha... - Polly diz - Ain Deus tomara que a bolsa não estoure agora... - Sussurrou.

Michael olhou para baixo. Viu o chão molhado. Ele se apavora.

- Ain meu Deus do céu, a bolsa estourou... - ele disse alto assustando a todos.

- Que? A bolsa estourou agora? Polly fala.

- Cacete! Estourou mesmo? - Christian perguntou

- Amor, calma você está dirigindo. - Polly disse para a calmá-lo.

- Ai meu Deus, fica calma tá gatinha... - Michael fala – Christian, seu carro não corre mais que isso não, é?

- Ain está mais forte... - ela diz apertando a mão de Michael e respirando fundo.

- Eu vou acelerar, estamos quase chegando, fica calma Tah, por favor! - ele pediu acelerando o passo.

- Se concentra no transito baby, pelo amor de Deus. Senão eu serei a próxima a dar a luz. - Polly pediu vendo a aflição dele.

- O que? Oh meu Deus, Polly, não me diga que... que... Eliott quer nascer agora também, fodeu, vou ficar louco! - ele disse de olhos arregalados

- Não baby! - Ela fala alto - Eliott está bem, mas vou ficar nervosa com seu desespero. Fique calmo, por favor.  - Poliana disse.

- Vocês querem parar? - Michael disse se alterando - Tamires está dando a luz, caramba!

- Oh, baby, nunca mais me dê um susto desses! Michael está certo... - Christian olha com atenção para o trânsito e vira a esquerda. - Estamos quase lá, Tah, falta pouco.

- Vai mais rápido, tá doendo muito. - ela diz chorosa

Algumas quadras a frente eles enxergam a fachada do hospital. Christian acelera e entra no estacionamento do hospital Saint Mary, ele estaciona e sai do carro, ajudando Polly a sair. Michael sai do carro e pega Tamires no colo.

- Falta pouco, baby... - Christian diz a Tamires.

Eles entram no hospital e logo a equipe enfermeiros chega. Eles pegam Tamires e a coloca na maca, e enquanto a levam para a emergência, Polly diz:

- Maninha, força, viu amor, estaremos aqui fora esperando por você e nossa pequena princesa Jackson. Confia em Deus e tudo dará certo. Te amo muito. Disse ela e beijou o rosto da amiga.

- Isso mesmo, baby, nós amamos vocês e estaremos aqui esperando, viu? - Christian disse e beijou a testa dela. - Vai dá tudo certo.

- Obrigada, amores... - ela disse dando um sorriso pra eles

- Obrigado mesmo gente. - Michael agradece e abraça os amigos - Eu vou com ela, podem ficar tranquilos.

- Vão com Deus meus queridos - Polly fala e abraça a cintura d e Christian.

Eles assentem e vão para a sala de emergência, logo Dra. Green vem para vê-los.

- Olá papais, então nossa princesa foi mais rápida do que prevíamos, né? - ela sorriu docemente - Só vamos vê quanto você está de dilatação, certo?

Tamires assentiu e Michael respondeu:

- Dilatação? Como assim? Elas vão ficar bem? - disse preocupado.

- Não se preocupe papai, é claro que Tamires ficará bem. Dilatação é somente para saber de quanto em quanto tempo a mãe tem contração. Se estiver em uma escala de dois em dois minutos, o parto pode ser feito. - ela explicou

- Ah sim, fico mais aliviado, doutora. - Ele diz assentindo com a cabeça - Doutora Green, eu gostaria muito de entrar na sala de parto com minha mulher. Sei que este momento é único e... quero conhecer logo o rostinho da minha princesa. Será que eu posso?

- Claro que sim, imaginei que você gostaria de assistir o parto. - ela sorriu. - Quando estivermos indo pra sala de cirurgia, um enfermeiro te levará para vestir a roupa apropriada, tudo bem?

- Tudo sim. - Ele sorriu - Muito obrigado doutora. - Michael abaixa até o ouvido de Tamires e sussurra - Estamos juntos nessa amor. Vai dar tudo certo, viu? Ele termina e com carinho beija a testa dela.

Tamires assentiu e ia responder, mas teve outra contração. A médica mediu o tempo de uma contração para a outra e constatou que estava na hora de começar o parto. Eles se encaminham para a sala de cirurgia e Michael vai se trocar em outra sala, seguindo o enfermeiro.
Assim que voltam Tamires olhou pra Michael e sorriu em meio a dor. Ele se aproxima dela beijou seus lábios e segurou sua mão.

A médica junto a equipe estava com tudo preparado.

- Vamos lá mamãe... Agora preciso que inspire e expire assim... - A médica faz e Tamires repete a ação - Isso, isso mesmo. Agora quando eu pedir que respire assim antes de fazer força, está bem?

Tamires assente e Michael também.

- O senhor pode ficar calmo, senhor Jackson, sua mulher está em boas mãos. Deus está conosco. - Disse a médica ao ver a tensão dele.

Doutora Green olhou para a equipe e começaram seu trabalho. A médica fica de frente para as pernas abertas de Tamires. A examinou mais uma vez e pediu que ela respirasse bem fundo e depois soltasse. Tamires obedeceu. Depois pediu que respirasse fundo novamente e ao expirar fizesse a maior força possível para trazer sua filha pra fora. Tamires fazendo força e sentiu tudo dentro de si se mover. Michael segurava sua mão e orava pelo bem estar de sua esposa e filha.

- Mais força Tamires... Mais força.. - Disse a médica.

Ela obedeceu. A pressão em seu ventre aumentou de maneira astronômica. Doutora Green a encoraja dizendo que já pode ver a cabeça de Pietra. Michael sorri com a informação, seus olhos marejam.

- Força meu amor.. Nossa filhinha está vindo.. - Ele diz.

Tamires escuta a voz do marido e toma mais fôlego. Respira tomando todo o ar que pôde e empurrou sua filha pra fora até sentir suas forças esgotarem.

Doutora Green fala:

- Isso Pietra, vem pro mundo...

Ela puxa o bebê pelos pés. Segundos depois Pietra começa a chorar alto. A pequena tinha pulmões fortes. Michael vai as lágrimas e beija testa de Tamires. Tamires pode respirar aliviada agora. O choro de sua menina é a música mais linda que ela ouviu na vida. A enfermeira pega a recém nascida e leva para o balcão para limpa-la e fazer os procedimentos normais. Doutora Green cuida de Tamires e finaliza o parto. Assim que o bebê é envolto numa manta foi entregue no colo mãe.

Tamires cheira a cabeça de Pietra e a beija várias vezes, sentindo as lágrimas de emoção transbordar em seus olhos.

- Olha, Michael... Ela é linda... - ela sussurra pra ele

- Linda e perfeita meu amor... - ele responde emocionado - Ela tem os lábios iguais aos seus, olha só. - Michael sorriu.

- E tem os seus olhos... - ela sorriu e olhou pra ele. - Obrigada por isso, Michael, eu amo muito você. Aliás, amo muito vocês dois.

- Oh minha vida, eu amo você duas muito mais. Obrigado você, por me dar esta benção de Deus. Eu te amo muito Tamires. - Beijou aos lábios dela com amor e voltou a falar - Imagine só a reação de Christian e Poliana ao ver nossa princesa, amor? Ela é tão linda!

- Eles vão ficar encantados, nossa filha é linda demais... Puxou aos pais, obviamente... - ela ri

Michael sorriu.

- Com certeza gatinha. Nossa família supera o charme deles. - Ele fala e pisca pra ela.

- A supera mesmo. - ela piscou pra ele.

A emoção toma conta do ambiente. Michael também pega a filha nos braços. Acaricia, beija e canta algo pra ela. Pietra dá um pequeno sorriso. Michael instantaneamente se emociona mais e chora. Tamires sorria pra eles. Sua família é a visão mais linda do mundo agora.

Na sala de espera Christian não parava quieto de tanta agitação. Poliana tenta acalma-lo mais de nada adiantava.

- Baby, senta aqui, hm? Ficar assim não vai adiar, Tamires e nossa pequenina estão bem. Michael está com elas. vem cá, vem. - Ela pede.

- Mas isso está demorando muito, amor... E se algo aconteceu com elas?- ele perguntou andando de um lado a outro

- Deus me livre baby! Não diga bobagens. Nada aconteceu... Vem cá pertinho de mim, vem... - Ele finalmente se aproxima e senta ao lado dela - Me dê sua mão aqui... - Ela pega a mão dele e põe sobre sua barriga. O bebê se mexe - Está sentindo?

Ele sorriu.

- Claro que estou... Nosso filho! - ele sorriu. - Sua futura esposa está nascendo, meu anjo...

Polly riu.

- Futura esposa? Não acha cedo demais não, amor?

- Baby, nós sabemos que o charme de nosso filho será irresistível, Pietra não irá resistir. - ele riu. - Tudo bem, quando falo isso, estou brincando, okay? Mas pode acontecer...

- Eu sei meu bem. - Disse tocando o rosto dele - Deixemos que o destino se encarregue disto, hm?

- Sim... - ele deu um beijo em seus lábios e então, Michael entrou na sala de espera. Christian se levantou rapidamente. - Até que enfim! E então, elas estão bem?

- Como estão nossas garotas Mike? - Polly fala.

Michael abre um sorriso enorme.

- Ela é linda e perfeita. Tem os lábios iguais aos de Tamires. Meus amigos... Minha princesa é a obra mais maravilhosa do mundo. - ele diz transbordando de felicidade - Tamires está bem e foi para o quarto agora.

- Oh meu Deus, ainda bem que tudo deu certo! - Christian suspirou e sorriu. - Quando podemos vê-las?



- Claro! Podem ver agora. Venham comigo... - Michael disse

- Graças a Deus estão bem - Polly exclama - Oh God, vou ver minha afilhada linda! - Diz sorrindo.

Christian pega a mão da esposa. Ambos seguem Michael até o berçário. Chegam diante do vidro veêm muitos bebês.

- Chris, qual destes bebês é a Pietra? - Michael diz para testa-lo.

- Puta merda, hein Michael! - ele diz. - Mas, como eu sou demais, vou acertar. - ele olha para todas as crianças. - É aquela ali. - ele aponta para uma menininha que estava vestida de rosa e dormindo.

- Hummm.... Será? - ele diz - O que você acha Poll?

- Eu acho também que é a bebê de rosa, Mike. Acertamos?

Michael franze as sobrancelhas.

- Não acredito! Você não reconheceram Pietra?

- Ain meu Deus, erramos? - Polly fala com os olhos arregalados.

Christian se manifesta.

- É impossível termos errados... - ele diz cruzando os braços.

Michael ia continuar com a brincadeira, mas desistiu. O susto foi que levaram foi suficiente.



- Estou brincando seus bobos, vocês acertaram sim. - Michael disse rindo.

- Sempre palhaço né Mike! Que graça. - Polly ri.

- Muito engraçado! - Christian disse e sorriu. - Ela é linda demais.

- Linda mesmo... A cara do pai... Michael fala orgulhoso.

- Olha a corujisse, Mike! - ela diz e ri

Nesse momento Eliott chutou.

- Opa... - Poliana disse pondo a mão na barriga.

Christian a olha com atenção.

- Oh meu Deus... O que foi baby? Está sentindo alguma? - Christian perguntou pondo a mão na barriga de sua esposa

- Sim amor, Eliott chutou forte, nossa... - ela diz respirando fundo.

Christian suspirou e depois sorriu.

- É porque ele está perto de sua futura namorada.... - ele disse, sorrindo e olhando pra Michael. - Viu, Mike? Meu filho já se manifestou.

- Ele já está com gracinha para minha filha... Tinha que ser um Grey mesmo. – Michael brinca torcendo o lábio.

Poliana ri e Christian responde.

- Claro que sim, né, meu caro? Você sabe que quem é Grey tem um charme irresistível...

Poliana revira os olhos e sorri.

- Baby, e se Eliott criar sua própria frase?

- É senhor, charmosão - Michael imita rindo - O que você fará?

- O ajudarei a fazer essa nova frase... Meu filho vai arrasar com o coração das garotas, vocês vão vê só.

- Aham, você vai ajuda-lo a conseguir garotas? -Ela diz elevando uma sobrancelha.

- Vishh.... Você se complicou Chris - Michael ri.

- Baby, não é assim... Eu vou instruí-lo a fazer isso, só explicar a teoria, a prática ficará por conta dele...

- Teoria... Rum! Bom mesmo ser teoria, senhor conquistador. Lembre que também tenho meus truques. - Polly fala o provocando.

- Uhhhhh.... Essa doeu. - Mike agita e ri.

- Que truques? Confesso que não entendi essa, Poliana Grey! - ele rugiu e sussurrou em seu ouvido: - Quando chegarmos em casa você me mostrará esses truques, baby, na nossa cama, de preferência. - e sorriu docemente

- Você é muito espertinho baby. Depois falamos nisso, agora só quero babar na minha afilhada fofa ali... - Ela disse sorrindo.

- Vou pedir pra enfermeira traze-la aqui na janela. - Michael fala

Ele fez um sinal com a mão e a moça pegou o bebê e trouxe mais perto.



- Oh Meu Deus, minha linda princesa... Polly sussurrou

- Muita linda mesmo... - Christian disse e cutucou Michael. - Fez um bom trabalho em, Mike.

- Sim amigo, mas foi um trabalho de equipe... Se é que me entende. - ele disse riu.

- Oh, é mesmo. Foi sim um trabalho em equipe e muito bem feito. - ele sorriu. - Quando iremos vê a Tamires?

- Foi sim. - Michael sorriu – Podemos ir agora, ela está no quarto.

- Oba! Vamos logo então gente, quero ver minha mana. -Polly diz empolgada.



Continua...
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://nevercansaygoodbyemj.forumeiros.com
Miss Jackson
Admin
avatar

Mensagens : 1328
Scores : 1883
Data de inscrição : 01/06/2012
Localização : Michael's House

MensagemAssunto: Re: Just Good Friends [+18] [Finalizada]   Dom Ago 11, 2013 9:26 pm

Capítulo 77


Os três dão uma última olhada em Pietra e vão até o quarto onde Tamires estava. Assim que a porta é aberta ela abre um enorme sorriso.

- Até que enfim vieram em vê, pensei que haviam se esquecido de mim. - ela diz, sorrindo. - Onde está Pietra?

- Está no berçário, gatinha. - Michael diz - Daqui a pouco a enfermeira chega com ela.

- Hey mamãe linda, como você está? - Polly disse ao cumprimenta -la e beijar seu rosto - Nossa menina deu muito trabalho pra nascer?

- Estou bem... Oh, não deu muito trabalho não, eu pensei que iria demorar mais. - ela sorriu.

- Ela é linda, baby, se parece com vocês dois. - disse Christian

- Parece mesmo. - Polly completa - E quando é a primeira mamada?

- Daqui a pouco... - Michael responde.

- Ain Deus, e eu serei a próxima.. Polly fala fazendo uma careta medrosa.

- Está ansiosa, amiga? - Tamires pergunta, segurando nas mãos dela.

- Muito... - Murmurou - Estou com medo. Sou tão fraca pra sentir dor amiga.... - Lamentou.

- Eu também estava, amiga, mas na hora só pensamos em ter nosso bebê nos braços, e Christian vai está ao se lado, isso ajuda muito. - ela disse tranquilizando a amiga

- Já disse isso a ela, Tah, estarei ao lado dela, não é preciso ter medo.

- Eu sei baby, mas...

Michael a interrompe.

- Olha Poll, não fica assim. Quando você estiver em sua hora, Deus vai faze-la forte e tudo passará bem depressa. Você vai ver! E mais, assim que você escutar o choro de Eliott tudo que passou não vai fazer diferença. É o seu momento garota! E Chris, fique ao lado dela e a encorage. Nesses momentos elas precisam muito mais de nós, do que podemos imaginar.

- Isso é verdade... Com Michael ao meu lado eu me senti muito mais segura, é bom tê-los perto de nós, mana, isso nos passa muito mais confiança. - Tamires disse. - E vai dá tudo certo, sua boba, não precisa sentir medo algum.

Polly deu um suspiro.

- Tomara que vocês tenham razão.

A porta se abre e a enfermeira vem com Pietra nos braços. Tamires sorri e Michael pega Pietra no colo, levando-a até a esposa.

- Oh... Minha princesa.. - Tamires sussurra para não acordá-la.

- Senhora Jackson, Pietra vai receber a primeira mamada agora, está bem? - Disse a enfermeira.

- Tudo bem... - ela diz, encantada olhando a filha no colo de Michael

- Ain eu quero pega-la também... - Polly diz

Michael vem pro lado dela e põe Pietra em seus braços.

- Awnnnnn princesa da dinda vem cá... - Ela diz sorrindo

Christian chega perto dela e beija sua cabecinha.

- É tão pequena, parece uma boneca... - ele diz

- É minha boneca... - Tamires diz, sorrindo

- Sim, mas eu também vou ter meu príncipe, tá? - Polly fala se gabando - Pega ela um pouco, amor.... - Ela disse a Christian.

Christian se aproxima e a pega com cuidado.

- Oi princesa... Você me enganou, né? Fingiu que estava mexendo pra mim, mas queria nascer! - ele sorriu e beijou seu rosto.

- Enganou a todos essa danadinha.. - Michael disse com um sorriso - Pois é, minha filha nasceu esperta como os pais dela.

- Aiii que metido! - Polly ri.

- Oh, com certeza! - Tamires diz. - Filha, você tem os padrinhos mais babões do mundo!

- Ah, tem mesmo! - Christian riu

Todos sorriram e Pietra volta para os braços da mãe. Tamires dá o seio para a filha se alimentar. A pequena procura um pouco, mas assim que encontra o peito não larga até ficar satisfeita.

- Olhem isso, ela está com fome! - Tamires diz, olhando a filha mamar avidamente.

- Nossa, filha vai com calma. Sua mãe tem muito leite pra você se fartar. Michael sorriu.

Depois da primeira mamada de Pietra, Polly e Christian vão embora.




Chegam em casa duas horas da manhã e vão direto para o quarto, tomam banho e depois de comerem algo leve, se deitam. Christian abraça Polly e põe a mão em sua barriga.

- Falta pouco, baby... - ele diz, sorrindo e sentindo Eliott chutar. - Hei, garotão, reconheceu o papai, não foi?

- Claro baby, um papai com uma voz tão sexy é difícil resistir. - Disse Polly enquanto acariciava a mão do marido.

- Baby, se você continuar assim, eu vou querer fazer amor, e você tem que descansar agora... - ele diz com a voz rouca, cheirando o pescoço dela.

- Eu bem que estou afim amor, mas o cansaço está grande mesmo. Você tem razão, vamos dormir?

Ele sorriu.

- Vamos, minha gravidinha, mas amanhã de manhã você não me escapa, ok? - ele riu e beijou os lábios dela.

- Okay, mas quem te disse que vou escapar. Eu nunca fujo, você sabe. Ela sorriu e se aninhou nele.

- Meu charme te impede, baby. - ele sorriu e a colocou deitada em seu peito. - Eu amo você, branquinha.

- Nada disso, ele me acende baby, - ela ri - mas temos que dormir.. Eu te amo mais. Boa noite amor.

Christian sorriu e a abraçou desejando boa noite, pela última vez. Algumas horas depois Polly começa a se mexer na cama. Inquieta procurava uma posição que aliviasse aquele desconforto. Move-se tanto que acaba acordando o marido. Ele abre os olhos e olha o relógio, Eram quase seis horas da manhã.

Atencioso ele vira pra ela e pergunta

- Amor... Está sentindo alguma coisa?

- Hurum... – gemeu - Minhas costas estão me matando e Eliott está inquieto. Não sei o que há. - Ela disse inspirando e expirando profundamente - Acho que vou ao banheiro...

Polly levanta devagar. Ele se oferece para ajuda-las, mas Polly diz que está tudo bem e caminhou até o banheiro. Minutos depois ela chama Christian em voz alta e sofrida. Ele levanta num salto assustado e vai correndo vê-la. Quando abre a porta, vê sua mulher com uma mão sobre a barriga e a outra apoiada na pia.

- Meu Deus, Polly, o que houve? - ele vai até ela e coloca a mão em sua barriga. - Me diz, amor, por favor?

Ela toma fôlego e fala.

- A bolsa estourou... Eliott vai nascer baby... - Disse fechando os olhos para conter a dor presente.

- O que? - ele grita - Baby, está falando sério? Quer dizer, agora mesmo?

- Sim amor, nosso garoto vai... Ahhhh...  - A segunda contração vem – Oh God, nosso garoto está com pressa baby. Temos que ir pro... Hospital. Liga pro doutor...  e avisa que Eliott está a caminho.

- Tudo bem, amor, primeiro venha aqui, se sente... - ele a pegou e a colocou sentada na poltrona. - Já volto.

Ela assente e espera por ele. A dor vai aumentando gradativamente. De repente ela sente uma pontada forte no ventre. Geme com as mãos barriga e respira fundo.

- Baby... - Polly fala alto - A dor está ficando mais forte... – Ela ora baixo - Deus, por favor, me dê força!

- Eu estou ligando, amor, espere um pouco...

Christian consegue falar com o médico enquanto arruma uma bolsa com as roupas do bebê e uma roupa para Polly, assim que desliga o telefone, troca de roupa rapidamente e vai até ela.

- Cheguei, meu amor... Já liguei para o médico, ele está indo pro hospital.

- Graças a Deus! - Murmurou ela - Nosso filhinho quase veio no mesmo dia que Pietra, não é? Acho que isso é destino baby... - Ela tentou um sorriso.

Ele a pegou no colo e sorriu.

- Oh sim, ele viu que precisava encontrá-la logo! - ele riu. - Meu filho é demais

Polly sorriu.

- É sim amor. Vamos trazer logo nosso príncipe ao mundo... Ou ele virá de qualquer maneira.

Christian sorriu e deu um beijo em seus lábios. Saiu do quarto e foi direto para o carro, o segurança iria dirigindo, pois Christian estava muito nervoso e não queria arriscar a vida de todos. Enquanto o carro seguia viagem, Christian segurava suas mãos, tentando tranquilizá-la.

- Baby, faça aquela respiração de cachorrinho, por que vocês nunca fazem? O médico disse que é bom... - ele disse.

- Amor, o médico diz isso por que... Não e ele que está com uma criança... Empurrando sua bexiga. – Christian olha pra ela com os olhos arregalados – Desculpa baby, se estou sendo grossa... - Veio outra contração mais forte - Ai... Ai... É que está doendo muito... Eu não... Tinha ideia que... Deus, isso dói muito.. Ela disse chorosa e encostou a cabeça no peito dele.

- Oh, baby, já vai passar, eu prometo! - ele diz, abraçando-a – William vá mais rápido, pelo amor de Deus!

O motorista acelera e logo depois eles chegam ao hospital.

Assim que entram enfermeiros a colocam na cadeira de rodas e levam para fazer exames. O médico vai de encontro a eles no quarto preparatório.

- Bom dia Christian... - Disse o médico com um sorriso amistoso e se dirigiu a Poliana - Bom dia Poliana, seu garoto gosta de levantar cedo hein?

- Acho que sim doutor e... Ele também está numa agitação só.

- Posso imaginar querida. Vou examina-la agora mesmo, mas antes... - Se virou para Christian dizendo – Christian, em quanto estão as contrações dela?

- Olha, doutor, eu sinto muito, mas no meio da agitação... Eu não prestei atenção nos minutos, mas não está demorando muito não, menos de cinco minutos, eu acho... - ele diz

- Tudo bem rapaz... - sorriu o médico - Vou medir novamente as contrações de sua esposa.

Dr. Ford examina Poliana. Ela se contorcia cada vez mais As contrações estão com dois minutos de diferença.

- Vamos leva-la...  – disse Ford ao enfermeiro a seu lado - O bebê está na posição correta. O parto deve ser feito agora.

- Meu Eliott está bem doutor? - Murmurou Poliana.

- Sim Poliana, seu filho está bem. Christian você vai entrar com ela, não é?

- Claro! Não vou deixar minha mulher e meu filho sozinhos, não mesmo. - ele diz.

- Então vamos, o enfermeiro vai te dar uma roupa apropriada.

Christian assente e dá um último beijo em Polly antes de seguir o enfermeiro. Ele veste a roupa um tanto tremulo e vai pra sala de cirurgia. O médico aponta para onde ele deveria ficar e ele vai para o lado de Polly segurando sua mão.

- Eu estou aqui com você, meu amor, tudo vai da certo. - ele disse beijando seus lábios - Eu amo vocês.

- Obrigada por ficar comigo amor, nós também te amamos muito. - Ela disse com um sorriso leve.

- Onde mais eu estaria se meu coração está com vocês, baby? - ele sorri.

O médico se põe na frente das pernas de Polly.

- Pronta para isso, mamãe? - ele perguntou

Ela inspira fundo e responde.

- Estou pronta doutor, quero muito ver o rostinho do meu filho.

- Então aperte bem forte a mão de seu marido e respira fundo, fazendo toda a força que tem em você, seu filho depende disso, Polly. - o médico diz. - No três, certo? - ele olha pra ela e ela assente - Um... Dois... Três!

- Vamos lá, baby! - Christian estimula a esposa.

Polly respira fundo e segura forte a mão de Christian, forçando seu filho pra fora de seu corpo, ela solta um grave gemido de dor ao parar de fazer força.

- Isso, muito bom, Polly, mas uma vez...

Polly olha para Christian e ele sorri pra ela em aprovação, ela sorri de volta, confiante, respira e faz força novamente.

- Continue, querida, seu filho já está aqui, posso vê-lo. - o médico a estimula

- Vamos lá, baby, falta pouco! - Christian diz sorrindo docemente

Polly sorri e força novamente, pondo toda a sua alma ali, então ela escuta o choro grave e alto de seu filho.

- Parabéns, mamãe, Eliott é um lindo garotão! - o médico diz, sorrindo.

Polly suspirou e se deitou completamente na cama, sentindo os lábios de Christian colados aos seus.

- Nosso filho nasceu, baby.... - ele diz, sorrindo

- Nasceu amor... - Polly disse feliz – Cadê ele?  Eu quero vê-lo...



Christian sorriu e a enfermeira veio em sua direção. Ela colocou Eliott com cuidado em seu colo e Christian sentiu a garganta se apertar, seu filho era lindo, tinha os seus olhos e as feições de Polly, era único. Ele sorriu e beijou seu bebê e foi em direção a Polly, colocando Eliott em seu colo.

- Veja, baby, ele é perfeito... - Christian disse.

- Oh meu Deus... Vem cá meu amor.... - Ela pegou o bebê e deu um beijo demorado na cabeça do filho. O olhou inteiro e pegou em sua mãozinha. - Veja baby, o tamanho dessa mão... - Ela sorriu - Você mais do que sonhei meu filho... Eu te amo demais, meu príncipe...  - Polly fala emocionada e lágrimas de felicidade escorrem de seu rosto.

- Eu também amo muito vocês... - Christian sorrindo, permitindo que algumas lágrimas de emoção escapassem de seus olhos. - Obrigada por ter me dado uma família tão linda, meu amor, vocês são tudo pra mim. - ele beija seus lábios e a testa de sua filha de seu filho

- Oh baby, você também me deu o maior dos presentes... Obrigada por tudo, meu amor. Agora somos três... - Ela sorriu abertamente - Meu Deus, parece um sonho de tão bom, não é?

Poliana abraçou seu filho e Christian abraçou os dois, e beijou cada um na cabeça.

Minutos depois a enfermeira leva Eliott para alguns exames. O médico libera Poliana para o quarto. Christian a acompanha. O sorriso feliz não saia de seus rostos. No quarto Polly espera por seu filho. O marido senta-se ao lado dela, na beirada da cama. Ela pega a mão dele e acaricia.

- Estamos completos, meu bem. Eliott é nossa dádiva divina! Olha, eu nunca senti um amor tão grande como sinto agora... Amor de mãe é algo de Deus mesmo. - Polly disse.

- Sim, baby, é um amor enorme e eterno! - Christian disse, sorrindo. - Oh... Temos que ligar para Michael! Tah e ele precisam saber que nosso filho nasceu!

- Eu pensei nisso agora baby! - Ela fala espantada - Você e essa mania de ler meus pensamentos, isso não tem graça, viu? - Fingiu bico e depois riu.

- Você sabe, baby, meu charme se elevou ainda mais agora que Eliott nasceu! - ele piscou e foi até o telefone que havia no quarto. - E agora, ligamos para Neverland ou para o quarto onde Tah está instalada?

- Pro quarto dela primeiro, baby. Bem que percebi seus novos poderes, Super Paizão. - Ela riu.

- Super paizão para Eliott e Super-Homem para você, não é? - ele disse piscando e vendo-a ficar vermelha

- Baby, seu safado... Não faça isso! A enfermeira pode entrar e ouvir, e aí como vou ficar?

- Vermelhinha, do jeito que gosto, amor... - ele sorriu e soprou um beijo pra ela. - Vou ligar para o quarto de Tamires.


Continua...
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://nevercansaygoodbyemj.forumeiros.com
Miss Jackson
Admin
avatar

Mensagens : 1328
Scores : 1883
Data de inscrição : 01/06/2012
Localização : Michael's House

MensagemAssunto: Re: Just Good Friends [+18] [Finalizada]   Dom Ago 11, 2013 9:33 pm

Capítulo 78


Christian discou o número que Michael havia lhe dado e esperou que o telefone chamasse, depois de três toques, Michael atendeu:

- Alô, quem fala?

- Oi, Mike! É o Christian!

- Oi, Chris. Tudo bem? E a Polly?

- Está tudo ótimo! Cara você não vai acreditar... - Christian diz vendo Polly gesticular pelo suspense que ele estava fazendo

- Pela sua animação, é coisa boa... - Michael sorriu - Conte logo, man... - Disse curioso.

- Fala logo amor.... - Polly sussurra rindo.

Christian diz.

- Eliott a nasceu a exatamente três horas atrás!

- O que? - Michael grita - Está falando sério, cara?

Tamires fica curiosa e pergunta com gestos o que era - Um minuto Chris... - Mike tira o telefone da boca - Chris disse que Eliott nasceu, gatinha..

- O que? - ela gritou e Pietra resmungou no berço ao lado de sua cama. - Desculpa, meu amor... - Tamires sussurra pegando-a no colo e beijando sua testa. - Isso é sério, Mike?

- Parece que sim amor. Vou coloca-lo no viva-voz. - Mike aperta um botão - Chris, você está no viva-voz cara. Tamires quase acordou Pietra com um grito... - Ele riu.

- Tah, não acorde minha afilhada! Vou lhe processar por maus tratos! - ele riu. - Sim, é verdade. Eliott foi apressado, nasceu as sete da manhã! Ele é lindo, como os pais, obviamente.

- Oh meu Deus, não acredito.. Eu quero vê-lo!

- Oh boy, isso é demais, cara! Também quero muito vê-lo. Vocês estão em que hospital? - Michael fala.

- Estamos no mesmo hospital Mike... - Polly disse.

- Tá de brincadeira? Vocês estão aqui? - Agora foi a vez de Michael gritar e Tamires o cutucou.

- Hei! Sua filha está dormindo! - ela riu. - Estão em que quarto, Chris?

- Quarto 508. - ele disse, sorrindo. - Acho que Eliott nasceu porque Pietra nasceu, ele quer conhecer sua futura namorada...

Tamires riu ao vê a testa franzida de Michael.

- Que isso man? Tá cedo demais pra namoros. - Ele diz.

- Oh mana, olha o ciúme do Mike... - Polly ri.

- Filha, você tem um pai muito ciumento. - ela diz sorrindo para Pietra.

- Mas é verdade, Mike. Eliott quer conhecer Pietra. - Christian disse

- Sei... - Michael reviraos olhos - Eu também quero conhece-lo Chris. Vou lhe dar uns conselhos.

- Hey Mike, pare com isso, meu filho é um rapaz de honra, viu? Pietra será muito feliz se namorar com ele. - Poliana disse em defesa do rebento.

Tamires riu alto.

- Hei, vocês deveriam parar com isso, sabia? Pietra e Eliott são apenas duas crianças, não sabemos se eles vão ficar juntos realmente.

- Foram eles que começaram gatinha. - Michael disse em defesa.

- Mike para de ser fresco! Tamires tem razão. Vamos deixar que os destinos tomem conta deles. Não é baby? - Ela cutuca o marido.

- Está bem... Mas que ele nasceu porque queria conhecer Pietra, é verdade... - ele murmurou e depois riu. - Bem, vou deixá-los descansar agora, depois levo Eliott até o quarto de vocês, ele está dormindo agora.

- Tudo bem amigo, traga assim que puder. Estamos loucos para conhecê-lo. Só espero que ele não seja tão teimoso como a mãe. Michael brinca.

- Eu ouvi hein Mike... - Polly disse - Você que vai babar no meu filhote lindo, seu bobo.

- Quer saber? Vou mesmo, sua teimosa que eu amo. - ele sorriu - Fiquem com Deus se cuidem. - Ele diz.

- Beijos, amores, cuide bem do meu afilhado! - Tamires disse.

- Está bem, não vamos fazer amor agora, porque vamos babar no nosso filho! - Christian.

- E porque Polly não vai poder fazer amor por um mês! - Tamires comentou rindo.

- Isso, ria mesmo da desgraça dos outros, Tamires! Mas vocês vão passar por isso também!

- Nem me fala Chris! Estou pensando em fazer meditação durante este período. A situação vai ficar tensa pro nosso lado, man. - Michael disse.

- Parem de ser tarados! É por uma boa causa... - Tamires disse.

- Do jeito que você fala, parece que não se importa... - Christian disse - Polly, você se importa, não é amor? São trinta dias sem sexo, baby!

Poliana fica vermelha e sem saber o que dizer.

- Ah baby, por nosso filho vale a pena né. - Ela responde.

- Não somos tarados! - Michael defende - Temos necessidades e mulheres lindas a nosso lado.... E não poder toca-las é tortura. Fala se não isso não é verdade, Chris?

- É pior do que tortura! É horrível! - ele diz

- Mas podemos brincar... - Tamires comenta, tampando o ouvido de Pietra

- Mana, que isso? Não assanha ele, mulher de Deus... - Polly fala e ri

- Sério gatinha? Tem jeito pra nós? - Michael disse com um sorriso sem vergonha na face.

- Tem sim, amor! Prometo que não vamos ficar completamente na seca... - ela sorri e pisca pra ele

- E pra nós, baby? Vamos brincar também? - Christian pergunta com a voz rouca

- Ai meu Deus, eu te mato Tah! Vai ter volta garota, pode esperar. - Polly olha para o marido e diz – Sempre tem um jeito baby, podemos nos adaptar até eu ficar cem pro cento. O que acha?

- Acho que vai ser difícil me segurar, mas prometo tentar, baby!

Ela o chama pra perto com a mão e assim que Chris de aproxima Polly sussurra só pra ele.

- Tenho um plano B pra nós amor, fica tranquilo. Vou te deixar muito feliz. - Termina e pisca pra ele.

- Oh baby, assim você vai me enlouquecer!

- Hei, esqueceram de nós? Ainda estamos aqui... - Tamires disse.

Poliana ri e responde à amiga.

- Não esquecemos não amiga. Tava só perguntando algo aqui... - Ela olha pra Christian e pisca novamente - Pietra está dormindo bem mana?

- Como um anjinho! - Tamires diz olhando pra filha. - Ela é tão quientinha, amiga, nem parece que temos um bebê aqui, não é Michael?

- É verdade, Pietra é um bebê muito tranquilo. - ele sorri olhando a filha.

A enfermeira entra com Eliott. Christian dá espaço e se despede dos amigos:

- Meu filho chegou, amigos! Vou indo agora, irei curtir meu filho...

- Vai lá, Chris! Dê um beijo em Eliott por mim. - Tamires disse.

- Sim, curtam o filhão amigos. E por mim também. Fiquem com Deus. Até mais. - Michael fala.

Polly estava com o filho nos braços e pediu que o marido mandasse beijos seus aos amigos. Eel repasa o recado e desliga. Voltasse para a esposa. A mesma recebia instruções de como amamentar corretamente o bebê. Não demorou muito e Eliott logo achou seu alimento. Poliana riu.

- Oh Deus Eliott, foi mais rápido que Pietra na refeição.

- Meu filho precisa comer pra ficar forte, é como o pai! - Christian - Isso é lindo, baby!

- Ele é e será forte como nós, amor. Eliott é nosso filho! Ain é tão bom falar assim... Nosso filho - ela repete sorrindo - Não dá vontade de parar.

- E não vamos parar nunca, é para sempre, baby! - ele piscou pra ela

- Nunca mesmo, meu bem. Este anjo nos trará muito orgulho, não é filho? - Ela acariciando a cabecinha dele - E que Deus sempre o proteja, ilumine em seu caminho e conte sempre com seu pai e eu, viu? Estamos aqui pra cuidar de você...

- Isso mesmo, filho, sua mãe e eu sempre estaremos aqui por você. - ele deu um beijo na testa do filho. - Nós te amamos muito.

Eliott mamou até adormecer. Seus pais vigiam seu sono com muito amor e satisfação. Algum tempo depois Poliana conseguiu dormir, o parto lhe exigiu muita força e o desgaste só bateu mais tarde. Christian adormeceu sentado no sofá do quarto. Tinha o rosto sereno e feliz.

Horas mais tarde Dra. Green libera Tamires do hospital. Seu estado era muito bom e o parto fora tranquilo. Graças a Deus. Enfim poderiam ir pra casa, mas antes eles decidem passar no quarto de Poliana e enfim conhecer o herdeiro dos Grey.

Michael, Tamires e Pietra chegam ao quarto e entram devagar. Poliana os vê e logo sauda.

- Omg, vocês aqui! Ain, vem cá gente... Quero dar um beijo em cada um.

- Pensei que só receberia alta amanhã, Tah... - Christian disse dando um beijo no rosto dela e em Pietra que estava em seu colo.

- A médica disse que estava tudo ótimo comigo e com Pietra, por isso recebemos alta mais cedo. - ela sorri e vai até Polly, dando um beijo na amiga. - Oh meu Deus, por pouco eles não nascem no mesmo dia, amiga! Eliott é lindo... - ela diz vendo-o no colo de Polly, ela se abaixa um pouco e beija a testa dele.

- Obrigada amiga, ele é lindo mesmo. Estou amando essa emoção de ser mãe. Minha cabeça já mudou desde que esse príncipe chegou. - Polly diz sorrindo.

- Mas muda mesmo viu, Poll. Eu já tenho outros planos de futuro graças a minha princesa. - Michael falou -  E como você está?

- Estou bem Mike, graças a Deus. Doutor Ford disse que vamos pra casa amanhã se tudo continuar bem.

- Que boa notícia! - Michael diz - E posso pega-lo um pouco? - Ele disse olhando para Eliott.

- Claro, mas não baba muito não... Sabemos que ele é lindo. - Polly disse rindo.

Michael revira os olhos e pega o bebê nos braços.

- E aí garotão? É você que está de olho na minha filha? Hum? É você?

Michael fala olhando pro bebê. Eliott tinha os olhos fixos nele e logo abre um sorriso. O sorriso mais lindo do mundo.

- Não acredito, ele está rindo. Eliott, você está rindo de mim, rapaz?
O bebê corresponde com mais um sorriso.

- Acho que a resposta dele é sim Mike.... - Polly disse e riu.

Christian aproveita e chega perto dos dois. Não podia perder a chance de zoar Michael.

- Daqui a pouco ele vai te chamar de "sogrão"! - Christian riu. - Filho, você é o meu orgulho!

- Oh não, eu sou muito nova pra ter um genro, só daqui a treze anos, por favor! - Tamires sorriu - Mais que sorriso lindo você tem, meu anjo....

Eliott sorriu para Tamires e até fez um som típico de risada.

- Com certeza baby. Eliott não perderá tempo. Pietra será muito gata, posso apostar.. Com uma mãe linda que ela tem, quem vai ter trabalho é você Mike. - Polly disse para provocar o amigo.

- Vocês estão cheios de graças. - Michael diz - Tamires tem razão com relação a idade, somos muito novos pra ser sogros. Quanto a idade de namorar... Treze anos é muito pouco gatinha, coloca uns vinte e olhe lá...

- Coitada, Mike. Eu comecei a namorar com treze anos, minha filha tem o direito de começar a namorar com essa idade também... - ela disse.

- Com treze? Eu achei que tinha sido bem antes disso, Tah... - Christian zoou a amiga e riu ao vê-la lhe dar lingua

- Antes dos treze? Tamires, você não me contou isso... - Michael responde com uma sobrancelha elevada.

- Mike, deixa de ser chato. Eu comecei a namorar com quinze e daí?. - Polly diz naturalmente.

- Antes dos trezes foi só beijar na boca, com treze foi namorar sério em casa. Christian não sabe de nada, não liga pra ele! - ela diz.

- Com quinze? Polly, essa não é a idade de namorar, essa é a idade de estudar... Minha filha só namorara com trinta anos isso se o cara foi legal. - diz Christian

- Que? Só beijos.. E antes dos treze? - Michael arregala os olhos - Você... Você era uma criança, sua maluquinha.

- Ah baby, não vem não, você sabe que eu estudava muito. Já te contei isso, mas rolou ué. Foi só um beijo e pronto... E nem foi bom, se quer saber. Prefiro os seus, mas você não estava lá... - Polly falou.

- Mas eu era uma criança precoce, amor. - Tamires diz, sorrindo pra ele.

- É, infelizmente eu não estava lá! - Christian diz e se vira para Michael. - Precoce demais, eu já disse que perdi as contas de quantos namorados essa garota teve? Ainda bem que Pietra já tem Eliott e torça para ela não ser assim, Michael.

- Como é que é? - Michael vira pra Tamires - Você tem muitas coisas a me contar garota, em casa quer saber de tudo em detalhes viu?

- Chris, pára de colocar pilha no Mike, poxa. Depois ele vai encher o saco da Tah por isso. - Poliana sorri.

- Mas eu não fiz nada! - ele diz dando de ombros.

- Olha, eu estou de resguardo, não posso ficar nervosa! Se Michael brigar comigo, vou quebrar o resguardo e isso não pode acontecer. - Tamires diz querendo mudar um pouco o rumo do assunto.

- Isso é verdade! Parem já, vocês dois. E Mike passe Eliott para Tah ou você gostou tanto assim do.... Genrinho. - Michael estreita os olhos pra ele - Tá bom parei. - Ela riu baixo.

- Também te amo, sua doidinha. Venha amor, pegue ele... - Michael diz.

Tamires passa Pietra para os braços de Christian e pega Eliott no colo.

- Oh meu Deus, ele é muito lindo... - ela beija o rosto de Eliott e ele sorri pra ela. - Veja, ele gosta de mim. Já conquistei o coração dele, pessoal, não adianta, ele me ama...

Christian revira os olhos e sorri, olhando para Pietra.

- Hei, linda, está na hora de acordar... - ele mexe no queixinho dela, primeiro ela faz careta, mas logo depois acorda, olhando para Christian. - Oi, meu amor, bom dia. - ela sorriu - A sua filha me ama, Tah, veja ela acordou só pra me ver e sorriu para mim!

Tamires riu e revirou os olhos como ele fez. Poliana e Michael riram.

- Nunca vi tanta modéstia como nestas duas pessoas... - Michael comentou com Polly.

- Nem eu Mike... - Polly completa.

- Parem de cochicar! Podem falar mais alto... - Tamires diz. - Olha lá, meu amor, seu padrinho e sua mãe de segredinhos...

- Não ponha meu afilhado contra mim gatinha. - Michael fala - Só disse a Polly que vocês as pessoas mais "modestas" que conhecemos.

- Mas é claro que somos! Por isso somos melhores amigos, não é baby? - Christian picou pra ela.

- Somos almas-gêmeas, Chris! - ela sorriu. - Por isso eles se apaixonaram por nós.

- Hey, será que as almas gêmeas aí podem parar de dar "bons exemplos" para estes inocentes? - Polly brinca.

- Mas nós somos ótimos exemplos, amiga! - Tamires disse. - Por que não seriamos, não é Chris?

- É, por que não seríamos, baby?

- Porque as crianças vão ficar metidas como vocês dois. - Michael fala rindo em seguida.

- Vão ficar com um charme irresistível, é diferente! - Christian disse.

Tamires somente riu e levou Eliott até Polly.

- Amor, acho que temos que ir agora... Daqui a pouco está na hora de Pietra mamar... - Tamires disse.

- Tudo bem gatinha, está em nossa hora mesmo. - Michael assente e vira pra Polly - Querida, meus parabéns por seu garoto, ele é lindo. Uma verdadeira benção! Que os anjos sempre cuidem dele e de vocês também. - Ele diz e beija a testa da amiga.

- Amém Mike. - Polly sorriu - Cuida bem da minha afilhada, ela é minha princesa hein...

Michael se afasta e vai se despedir de Christian enquanto Tamires vai fala com Polly.

- Chris, parabéns pelo filhão, cara! - Mike diz.

- Obrigada, cara! - ele diz, sorrindo.

- Amiga... - Tamires se aproxima dela. - Meus parabéns, alias, parabéns a vocês dois! Vocês merecem toda a felicidade do mundo!

- Obrigada meu bem, vocês também. Agora sim nossa família ficou grande né? - Polly sorriu - Vão com Deus!

- Ficou mesmo! - Tamires sorriu e pegou Pietra no colo, beijando o rosto de Christian. - Cuida do meu afilhado e da minha amiga, hein!

- Pode deixar, baby. - ele sorriu. - Até mais.

Michael e sua família enfim vão pra casa. Assim que chegam Tamires liga na casa da mãe e sua família vem visita-los. Alguns membros da família de Michael vêm em seguida depois que ele avisou sua chegada. Mãe e irmãs estão presentes. Janet fica apaixonada por Pietra, e nem queria solta-la de seu colo. Michael teve que "arrancar" a criança dela para os outros também curtirem o momento.

Christian e Poliana ficam no hospital até o dia seguinte quando Eliott é liberado para ir pra casa. Quando chegam em casa dão graças a Deus e Polly apresenta o novo lar ao filho. Sobem para o quarto do bebê e o colocam no berço. O casal fica de pé olhando por um bom tempo seu lindo fruto dormir.


Continua...
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://nevercansaygoodbyemj.forumeiros.com
Miss Jackson
Admin
avatar

Mensagens : 1328
Scores : 1883
Data de inscrição : 01/06/2012
Localização : Michael's House

MensagemAssunto: Re: Just Good Friends [+18] [Finalizada]   Dom Ago 11, 2013 9:36 pm

Capítulo 79


[ FUNDO MUSICAL ]


Um ano se passou. Os quatro amigos preparam uma big festa de um ano de vida de seus filhos, e claro, a festa foi em Neverland. Michael fez questão disso, mesmo com a reluta de Christian. Poliana e Tamires estavam em forma,  lindas e seus filhos também. As crianças quase já andam sozinhas. Na hora dos parabéns Eliott e Pietra são só sorrisos e palminhas. Tamires e Michael curtem muito a paternidade. Ser pai e mãe era o sonho deles.

Christian e Poliana se apaixonaram por essa aventura de serem pais. Cada noite mal dormida vale a pena quando veem a felicidade de seu filho.



A cada dia que passa Eliott e Pietra mostram a que vieram. Crescem rápido. Tinha a mistura dos gênios de seus pais no sangue. Eliott tinha um olhar que dispensava argumentos, sua mãe relutava para não se dobrar diante de uma criança de quatro anos, mas era impossível, o garoto tinha o dom do pai.

Pietra era doce, mas tinha personalidade forte. Se agarrava facilmente as pessoas, mas quando não gostava de alguém, não abria um sorriso. Tamires e Michael ficavam cada dia mais orgulhosos da filha de olhos penetrantes e sorriso fácil, encantava a todos.

Numa tarde de sábado... Na casa dos Grey....



Os casais e seus filhos estão se divertindo Michael e Christian estão na piscina. Poliana e Tamires ficam na beirada tomando sol enquanto as crianças correm ali por perto.

Poliana chama por Eliott e ele vem correndo.

- Não corra filho, você pode cair. - diz preocupada.

Eliott já tinha sete anos e Pietra também.

- Mamãe.... - Ele chega gritando com os braços abertos para perto dela.

Polly sorri e o abraça e beija.

- Você precisa passar mais protetor meu bem, o sol está muto quente. - ela diz.

- Não quero isso mommy... - Eliott reclama e balança a cabeça negação.

- Eliott, é pro seu bem, filho. – Insistiu ela.

- Eu não quero mommy. Vou brincar com a Pietra... Tchau. - Ele sai correndo

- Eliott, venha aqui... Eliott.... - Poliana chama e o filho nem liga. Christian sai da piscina e vai ao encontro dela - Ah baby, Eliott não quer passar o protetor solar. Depois ele vai ficar dolorido. A pele dele é muito clarinha. - Disse derrotada.

- Baby, deixe ele, aqui tem muita sombra e ele passou o protetor a menos de duas horas, depois do almoço passamos mais um pouco, certo? - ele sorri e beija a boca da esposa

- Você sempre dando corda não é? Depois o menino não me obedece, a culpa é sua. - ela fez bico - Quem vai passar protetor nele agora, é você. - Poliana diz ao marido.

- Tá bom, baby, depois do almoço eu passo protetor nele. - ele se senta ao lado dela na espreguiçadeira e olha para Tamires que estava deitada concentrada em um livro. - Mas nem embaixo desse sol você consegue largar isso, hein! - ele diz.

Tamires olha pra ele e lhe dá lingua.

- Para de ser chato! - ela ri e aponta para capa do livro. - É um romance sexual, baby. - ela pisca pra ele.

- Michael, isso é livro pra uma mulher casada com uma filha de sete anos ficar lendo? Um absurdo... - ele balança cabeça.

Michael terminava de se secar e respondeu.

- Concordo! Já tentei tirar isso dela, mas... A danada é persuasiva e me convenceu.

- Ain Tah, qual é o título? - Polly disse se mostrando interessada no livro.

- Ardente Paixão. É maravilhoso, amiga! - Tamires diz. - E vocês, parem de ser preconceituosos! Que horror!

- Polly, por que está interessada, vai ler isso também? Não é preconceito... Mas, o que Pietra vai pensar ao saber que a mãe dela ler algo como esse?

- Baby, o que tem demais? É só um livro! E as crianças não tem que saber de nada. Que eu saiba este livro é de adultos, não é amiga? - Polly falou naturalmente.

- Ela não vai pensar nada de errado. Sexo é um assunto que ela ainda não entende, quando chegar a idade certa ela vai saber o que é. Sexo não é errado. Sim é um livro para adultos, para eles existem outras coisas...

- Claro, concordo plenamente com você amiga. - Polly fala - Depois você me empresta quando acabar, okay? - Pediu ela.

- Ihhh Christian, sua mulher vai ficar vidrada também. Desde que comprou este livro, Tah não tira ele das vistas. - Michael disse.

- Empresto sim, amiga. Ele é ótimo! – Tamires responde a Polly

- Bem... E ajuda na relação, Michael? - Christian pergunta ficando interessado

- Cara, depois desse livro... - Michael sorriu lascivo e sentou ao lado de sua mulher - Digamos que, a babá passa boas horas com Pietra durante o dia. - Ele pisca pra Tamires e a vê sorrir.

- Baby, amanhã estarei na porta da livraria para comprar um exemplar pra você! - Christian diz, olhando para Polly.

- Olha como as coisas mudam rapidamente! - Tamires ri. - Por falar em babá, acho que temos que dá um extra pra ela esse mês, coitada, ela ficou com Pietra o dia todo desde que comprei esse livro.

Poliana cruza os braços e ri.

- Mudam drasticamente. Pelo jeito a pobre Julia não vai ter sossego... - Polly encara o marido - E nem eu também, né?

- Pode abrir o bolso Chris, vale muito a pena cara. Vocês vão se divertir... Vai por mim. - Michael fala e sorri no fim.

- Vão mesmo! - Tamires sorri e mordi os lábios. - Hm... Eu estou com uma vontade enorme de comer pizza de chocolate!

- Pizza de chocolate, Tah? Hummm... Sinto algo semelhante no ar. - Poliana riu.

- Sente o que Polly? - Michael disse sem entendê-la.

- Não sei honey, vocês é quem deveriam saber... - Ela sorriu.

- Eu não sinto nada, só sinto essa vontade enorme! - ela se levantou e colocou a canga amarrada na cintura. - Será que entregam pizzas aos domingos? Eu quero muito comer isso.

- Quando eu digo que você é louca... - Christian ri. - Eu acho que entregam, Tah... Temos que ligar pra saber

- Mike, peça o número pra Marcie, ela saberá informar. - Poliana falou.

- Okay Poll. Hey Tah, me espera... - Michael disse saindo atrás de sua mulher.

Poliana espera ele sair e cutuca Christian.

- Baby, você viu aquilo?

- Vi sim... Posso escutar sua mente trabalhar, branquinha... - ele sorriu. - No que está pensando?

- Minha mente nunca pára, amor. - Ela riu - Você lembra quando fiquei assim... Querendo coisas doces e estranhas? - Polly disse com um sorriso travesso.

- Você acha que a Tah está grávida?

- Baby, o que mais poderia ser? Tah e Michael tem uma relação ótima, são saudáveis e se amam... O que mais poderia acontecer? Só digo uma coisa... Vamos ser titios de novo. - Ela sorriu.

- Isso é ótimo! Mas vamos deixar que eles descubram sozinhos... Se eles forem lerdos demais, nós damos a sugestão que tal? - ele pergunta

- Combinado, baby! - Ela sorriu e piscou pra ele.

Minutos depois Tamires e Michael voltam. Sentam no mesmo lugar. Tamires tinha um sorriso enorme na face.

- E aí amiga, conseguiu sua pizza de chocolate? - Poliana falou

- Meu marido é demais, mana, ele conseguiu pra mim! Merece um beijão, Sr. Jackson! - ela disse sorrindo pra ele

- Então me dá logo esse beijão, está esperando o que minha gatinha?

Tamires abriu um enorme sorriso e agarrou seu marido pelo pescoço, o beijando com ardor na frente de todos.

- Ecaaa! - escutaram as vozes de Eliott e Pietra dizerem em unisono.

Tamires e Michael se separaram e todos riram.

- Mamãe, papai, isso é nojento... - Pietra disse baixinho, fazendo careta.

- Oh, meu amor... - Tamires foi até ela e a pegou no colo indo em direção a Michael.

Michael se dirige a filha e fala.

- O papai beija a mamãe porque a ama muito... E quem ama dá beijos.

Tamires olhou pra ele e sorriu:

- É verdade, meu amor...

- Mas então, eu posso beijar Eliott assim? - ela pergunta com expressão inocente.

Tamires arregala os olhos espantada.

- Por que está perguntando isso, meu amor?

- Porque ele disse que me ama e eu também amo ele...

Poliana olha para Eliott e pergunta.

- Você ama a Pietra, Eliott?

- Amo mamãe... Ela é muito bonita e brinca bastante comigo. - Ele respondeu inocente.

Tamires e Polly sorriram encantadas.

- Eu falei que eles seriam almas-gêmeas... - Christian disse, sorrindo,

Tamires se virou para Michael e o viu de olhos cerrados.

- O que foi, amor?

- Estou pensando só. Esse garotinho está espertinho demais... - Michael falou.

- Michael, Eliott é apenas uma criança, pelo amor de Deus! - Polly falou sorrindo do ciúme dele.

- Pois é, meu amor, isso é coisa de criança, eles são pequenos pra entender sobre essas coisas. - Tamires se vira para Pietra. - Filha, você pode beijar Eliott, mas só no rosto, tá bom?

Ela suspira e põe a mão no coração.

- Ainda bem, mãe, porque beijar na boca é muito nojento... É cuspi com cuspi, eca! - ela faz careta, fazendo todos rirem.

Poliana chama a atenção de todos.

- Hey galerinha... Que tal fazer um lanche, hum?

- Ah vamos mesmo, porque minha pizza já deve ter chegado! - diz Tamires colocando Pietra no chão e vendo-a correr com Eliott para dentro de casa.



Continua...
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://nevercansaygoodbyemj.forumeiros.com
Miss Jackson
Admin
avatar

Mensagens : 1328
Scores : 1883
Data de inscrição : 01/06/2012
Localização : Michael's House

MensagemAssunto: Re: Just Good Friends [+18] [Finalizada]   Dom Ago 11, 2013 9:37 pm

Capítulo 80


Na cozinha......

- Cuspi com cuspi é ótimo... Sua filha é uma graça, Michael! - Christian disse, rindo.

- Credo pai! - Eliott disse fazendo careta - Mãe, o papai cospe na sua boca?

Poliana ri e responde.

- Não nessa ordem meu filho. Papai apenas beija a mamãe e... Ain amor, explica pra ele. - Ela disse ao marido.

Christian se senta na cadeira e pega Eliott em seu colo:



- Não é assim, filho, beijar não é cuspir na boca da outra pessoa. Beijar é... Bom. - ele diz.

- Então a gente pode beijar, mamãe? - Pietra pergunta.

- Só no rosto, meu amor...

- Por quê? - ela pergunta cruzando os braços.

- Michael, você está muito calado. Explique isso a ela. - Tamires diz, olhando pra ele e segurando o riso

Michael limpa a garganta e começa seu discurso paternal.

- Minha princesinha, beijar é algo muito bom e bonito. É uma maneira de mostrar como amamos a outra pessoa. Você disse que ama o Eliott, não é? - A garotinha assente com a cabeça - Okay, você o ama, mas vocês são crianças. Crianças não beijam na boca, só adultos fazem isso. Quando você for grande e casar, aí sim você poderá beijar na boca como o papai e mamãe, tá? Você me entendeu? - Ele disse carinhoso.

- Mas só quando eu casar? Por que não pode ser antes, quando eu fizer treze anos? Minha mãe disse que namorou com treze anos, e quem namora beija na boca...

Michael ergue a sobrancelha e lança um olhar fulminante à Tamires. Ela ri e fica vermelha.

- Minha filha, sua mãe foi muito apressada. Namore apenas quando for a hora certa e de preferência depois dos dezoito anos. - Michael falou.



- Mas tem que ser antes, senão a Paulina vai querer namorar com o Eliott, ela me disse que gosta dele, pai! - ela disse com os braços cruzados e bico.

- Meu filho tem mesmo um charme irresistível! - Christian diz, orgulhoso.

- Paulina, quem é essa garota Pietra? - Polly pergunta curiosa.

- É uma menina lá da nossa escola, ela é nossa amiga e me disse que quer namorar com o Eliott, eu disse a ela que a namorada dele vai ser eu, mas o meu pai quer que eu namore com 18 anos, aí ela vai ficar com ele! - ela falou, bicuda

- Oh meu Deus... Mike, olha pra isso, é amor... - Polly murmurou compadecida pela paixão da afilhada.

- Amor? Isso tá muito cedo pra ser amor Polly, não viaja, eles são crianças. Você sabe do que estou falando.

- Sei sim Mike, mas duvido que você não se apaixonaria pela Tah se estivesse na situação deles. Polly falou o olhando nos olhos.

- Você é terrível, garota! - Michael riu por não ter argumentos para rebatê-la.

- Aha, eu sabia. Está vendo baby, como o Mike é esperto? Com os outros não pode rolar nada, mas com ele, rum! Estou de olho em você M.A.N.I.N.H.O.

- Eu disse a você, Michael, que Pietra se apaixonaria por Eliott. - disse Christian, rindo.

Michael revira os olhos e Tamires completa a fala do melhor amigo.

- Seu bobo, ela está assim porque ele puxou a madrinha. - ela sorri e olha pra Michael que a olhava com cara de poucos amigos.

Polly dá risada.

- Pode apostar nisso amores. Chris e eu temos esse imã de fábrica. - Ela diz.

- Você deveria ser mais adulta, sabia? - Michael fala a Polly.

- Eu adulta? Oh Mike, meu maninho do coração. Você já se olhou espelho hoje, baby? - Ela diz irônica e rindo. Michael estreita mais o olhar e não responde - Bom, já que estamos entendidos. Eliott, meu príncipe, quando você e Pietra estiverem maiores vocês podem namorar, okay? Mas agora vocês devem se divertir como amiguinhos, entendeu a mamãe?

- Entendi mamãe. Eu só posso beijar a Pietra quando estiver grande né pai? - Eliott disse olhando para Christian,

- Sim, filho, quando você estiver adolescente, okay? - ele diz, piscando para o filho.

- Eu também posso, mamãe? Com treze anos? - perguntou Pietra, desistindo de falar com o pai

- Pode, meu amor. - Tamires diz, sorrindo pra ela

- Eba! - Eliott disse erguendo as duas mãos para o alto. Ele foi até Pietra e esticou a mão pra ela - Vamos brincar no balanço? - Disse como um homenzinho galante.

- Vamos! - ela diz dando a mão a ele e saiu correndo.

Christian viu que Michael ainda estava com raiva da amiga, então, resolveu deixá-los sozinhos.

- Baby, vamos comigo até a sala? Tenho algo pra mostrar a você...

- Vamos amor. - Polly disse e seguiu com o marido.

Assim que eles saíram da cozinha, Tamires foi chegou perto de Michael.

- Por que está com essa cara feia? - ela pergunta, carinhosamente

- Nada. Respondeu seco.

- Fala, amor...

- Não é nada Tah, poxa vida! - Cruzou os braços.

- Quem nada é peixe, Michael! Está assim por causa de Pietra? Por causa do que eu disse a ela?

- Pietra é muito nova Tamires, como pode estar apaixonada? Isso não tem lógica! Meu Deus, são duas crianças. DUAS... CRIANÇAS. E pra piorar, você, Polly e Christian dão corda. - Ele responde.

- Michael, pelo amor de Deus, isso é coisa de criança! Se um dia eles ficarem juntos, tudo bem, mas por enquanto é uma coisa inocente, não precisa ficar nervoso desse jeito.

- Eu sei que não é coisa de criança Tamires, você viu o jeito da Pietra? Ela estava com ciúme de Eliott por causa de outra garotinha na idade dela ou mais nova, sei lá. Não quero que minha filha sofra antes da hora. - Ele disse.

- Michael, Pietra sente ciúmes de todo mundo, o tempo todo e você sabe disso. Pietra é ciumenta, é uma coisa dela. Independentemente de está apaixonada ou não, ela é ciumenta. É você que está sofrendo antes da hora, relaxa, vai, Pietra só tem 7 anos, você tem uns anos livres pela frente. Quando ela começar a se apaixonar de verdade, aí você vai vê o que é bom. - ela sorriu, mas ele continuou sério



- Não sei não Tah. Pietra é muito inteligente, conheço minha filha!

- Bem, somente torça pra ela não ser como a mãe, senão você vai sofre mais cedo! - Tamires falou, rindo.

- O que? Não vou sofrer nada! Pietra vai me ouvir, sou o pai e sei o que é bom pra ela. E vamos mudar o assunto, por favor?

No quintal as crianças brincam e conversam.

- Pietra... Eu não quero namorar a Paulina viu? Ela é muito metida. Você é bem mais legal. - Eliott falou olhando pra ela.

- Sério? - ela pergunta, olhando pra ele.

- Hurum... - Ele assente com a cabeça - E você também é muito bonita. Espera aí... - pediu e se afastou até o jardim, pegou uma flor do campo e levou para Pietra - Toma... Pra você! - Eliott entrega com um sorriso largo no rosto.

- Oh, Eliott que lindo! Você é tão romântico, por isso que eu te amo. - ela sorriu e cheirou a flor.

Christian e Polly espiavam as crianças. Polly se contorcia de tanta emoção. Christian era só orgulho do cavalheirismo de seu herdeiro.

- Pietra... Posso te dar um beijo? No rosto.... Igual o papai falou, que podia?

- Pode... - ela fala, sorrindo timidamente. - Mas na boca é só com treze anos e não com dezoito, tá?

- Tá bom.... - Ele responde com um sorriso.

Eliott se aproxima de Pietra e a beija no rosto com carinho. Pietra sorri e o beija no rosto rapidamente.

- Agora vamos entrar? A tia Polly tinha me falado que ia ter bolo de chocolate!

- Vamos... O bolo da mamãe é o melhor do mundo! - Ele disse e seguiram para dentro.

Poliana e Christian correm de volta pra cozinha segurando o riso. Michael e Tamires os vê entrando.

- O que houve? - Michael fala curioso.

Poliana sorri.

- Nada não Mike, só vimos a cena mais linda do mundo. - Ela disse.

Tamires fica curiosa e fala com Christian.

- O que aconteceu de tão lindo? Quero saber... - ela diz.

- Acho que seu marido não vai gostar, Tah... - ele comenta, sorrindo.

- O que não vou gostar? Agora falem... - Michael disse encarando os dois.

- Conta você baby, isso é coisa de boys. - Polly fala segurando o riso.

- Okay, mas foi você quem pediu, Mike. - ele sorri. - Eliott e Pietra se beijaram, lá no jardim...

- Oh meu Deus, jura? - Tamires pergunta, sorrindo.

- COMO É QUE É? - Michael fala alto - Beijou como?

- Com a boca Mike.... Polly murmura e ri.

- Vocês estão tirando uma com a minha cara. Não teve beijo algum. - Michael fala.

- Teve sim e foi perfeito, não é baby? - Poliana falou cutucando o marido.

- Foi lindo. E ainda veio depois de uma declaração de amor... Foi emocionante!

- Oh, eu queria ter visto! - Tamires diz sorrindo.

- Que papo é esse de declaração?

Assim que Michael fecha a boca as crianças entram.

- Mãe, cadê nosso bolo de chocolate? - Eliott diz.

- Está aqui amor. Vem cá que a mamãe corta pra vocês.

Polly disse e foi com as crianças até a mesa. Tamires repara na flor que estava na mão da filha.

- Filha, que flor linda... Quem te deu?

Pietra sorri abertamente.

- Foi o Eliott. - ela diz.

Tamires pega a flor da mão da filha e coloca entre seu cabelo e sua orelha.

- É linda, meu anjo.

- Tio Mike... Eu beijei a Pietra, mas foi no rosto tá bom. - Ele diz inocente.

- Foi no rosto mesmo Eliott? - Michael pergunta.

- Foi sim tio Mike. Só vou beijar ela na boca quando for grande, igual o papai e mamãe falou. - O garoto responde.

Poliana sorri e fala.

- Tá vendo como meu filho é cavalheiro? Vai fazer igual o papai ensinou.

- No way! Como o Chris não. Está louca? - Michael disse com os olhos arregalados.

- Baby, ele não confia nos seus ensinamentos, que abuso! Eu não deixava isso quieto. - Polly fala rindo.

- Meu filho é uma cópia idêntica a mim, Michael. Tanto que Pietra não resistiu ao charme, como a Polly não resistiu...

- Começou a se achar! - Tamires diz. - Hei, minha pizza chocolate ainda não chegou por quê? Eu quero comer...

- Ain não resisti mesmo, baby. Você e teus olhos azuis me prenderam pra sempre. - Polly foi até o marido e de um selinho nos lábios dele. - Vou ver o que houve mana? Já era pra ter chegado. Espere só, volto logo. Ela diz e foi atrás da empregada.

- Você não seria louco de ensinar tudo o que sabe a este menino! Preserve a inocência dele, porque a dá mãe já está perdida. - Michael fala.

Tamires riu.

- Deixa de ser dramático, Michael. - Tamires disse vendo as crianças irem pra sala comer o bolo de chocolate

- Não sou dramático, sei que do Chris é capaz. Esse cara é tarado. Não quero um mini tarado cercando minha princesa. - Ele responde.

- Hei, não fale assim do nosso afilhado, Mike! - Tamires diz, dando um tapinha em seu braço

- Que foi? Só falei a verdade. - Michael disse bicudo.

Poliana entra cozinha com a pizza nas mãos.

- Maninha cheguei bem na hora que entregaram. Está um cheiro delicioso. Sinta...



- Oh meu Deus! - Tamires sai do lado dos meninos e pega a caixa da mão de Polly. Vai até a mesa, se senta e abre a caixa. Ao vê a pizza seus olhos brilham. Ela pega uma faca e corta um enorme pedaço e come sem nem colocar em um prato.

- Hum.... Vocês não querem não, né? Eu quero tudo pra mim. - Tamires diz, saboreando a pizza.

- Que horror, Tah! - Christian diz, rindo dela.

- Minha nossa, pode comer maninha. Eu peço outra pra nós. - Polly ri.

- Gatinha você vai comer uma pizza sozinha? - Michael disse assustado

- Vou! Hum... Isso tá muito bom, vou ficar enorme de gorda, mas não consigo pensar em não comer isso! - ela diz indo pro segundo pedaço.

- Meu Deus amor, vai com calma. Ainda tem muito aí. - Michael sorriu.

Polly sugeriu a compra de mais pizzas. As crianças ajudam na escolha do sabor. Naquele mesmo dia Tamires comeu mais pizza de chocolate. Christian tirava onda com ela. Dizia que ia ficar um balão e sobrevoar Neverland. Ela bate no braço dele e acaba rindo das piadas.



Continua...
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://nevercansaygoodbyemj.forumeiros.com
Michael Eterno

avatar

Mensagens : 99
Scores : 159
Data de inscrição : 01/06/2012

MensagemAssunto: Re: Just Good Friends [+18] [Finalizada]   Seg Ago 12, 2013 11:55 am

Adorei demais os capítulos. Todos estão se saindo muito bem como pais.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Miss Jackson
Admin
avatar

Mensagens : 1328
Scores : 1883
Data de inscrição : 01/06/2012
Localização : Michael's House

MensagemAssunto: Re: Just Good Friends [+18] [Finalizada]   Sab Out 05, 2013 12:41 am

Prestem atenção nos capítulos, são os finais! Esperamos que gostem e aproveitem bem as últimas emoções desta primeira temporada. Beijão a todas I love you 

Capítulo 81

Naquela semana os desejos dela só aumentaram. Houve pouquíssimo enjoo para dizer que não houve nenhum. Michael fica preocupado com a esposa e a leva ao médico. Depois dos exames a surpresa. Tamires estava grávida. A alegria foi total. Michael fica muito muito feliz, pois seria pai novamente. Christian e Poliana ficam sabendo da notícia no mesmo dia. Pietra dava pulos de alegria por causa do novo bebê que viria. Eliott fez várias perguntas e queria saber como Tamires como podia ter um bebê dentro de sua barriga. Deus... Este assunto rendeu. O garoto era muito inteligente e não se conformava com papo de cegonha. Os pais com muito jeito e paciência explicaram da melhor forma como uma criança vem ao mundo. Depois de um dia chegou de emoções, os Grey voltam pra casa. Michael coloca Pietra para dormir e Tamires o esperava no quarto.

- Já está dormindo gatinha? - Michael diz assim que deita ao lado da esposa.

- Não, amor. Estava esperando por você. - ela disse, sorrindo. - Pietra dormiu?

- Dormiu. Também ela brincou hoje pelo resto do ano. - ele ri - Eliott e Pietra se dão bem mesmo não é?

- Se dão mesmo, são um grude! - ela ri. - Acho que foram feitos mesmo um para o outro.

- Hum, você e o casal vinte sempre vão falar isso né? - Michael ri.

- Oh, amor, sabemos que você sente ciúmes, mas... Até quem é cego pode ver o quanto eles são perfeitos um para o outro.

- Não sou e nem quero ser o cego desta história. Reparo neles e como se amam, mas temo que se machuquem. Não quero isso para Pietra e nem para Eliott.  O garoto é meu afilhado. - Ele diz.

- Talvez eles se machuquem, Michael, isso é algo que não podemos evitar... Mas acho também que eles são muito novos, podemos está precipitando as coisas pensando dessa forma, mas se forem pra eles ficarem juntos, só nos resta aceitar. Eu vou adorar! - ela disse sorrindo.

- Eu sei disso, mas se pudesse faria tudo para dar certo entre eles. E... acho que Eliott seria um bom genro... - Michael murmura a segunda frase.

- Oh não! - ela se senta na cama. - Cadê o gravador? Meu Deus, tenho que gravar isso pra mostrar a Polly, ela não vai acreditar se eu contar! - ela sorri. - Está falando sério, amor?

- Pare Tah.. - ele ri - Poll vai me encher o saco quando souber disso.

- Ah, mas vai mesmo, só não ligo pra ela agora porque está muito tarde! - ela ri. - Meu marido está se preparando para virar sogro, isso é lindo...

Michael revira os olhos e ri.

- E senhora vai ser sogra. Olha só, se Eliott puxar mesmo Christian, logo eles casam e a gatinha Jackson vai ser vovó. - Ele gargalha no fim.

- Ain não, sou nova demais pra isso, ainda estou grávida, moço, ser avó só daqui a vinte anos, no mínimo! - ela ri e se deita novamente ao lado dele.

Michael a acolhe em seus braços e sorri.

- Hum agora não quer ser mais velha né, espertinha? Saiba que vai ser a vovó mais gata do mundo.

Ela riu.

- Eu não vou ficar mais velha, somente ganharei mais experiência! - ela diz, fazendo-o rir. - Olha só quem fala, você também vai ser um vovô muito gato, vai ser um cinquentão muito gato, Sr. Jackson.

- Vou sim gatinha e a senhorita se prepare, porque em minha família os homens não perdem as habilidades nem tão cedo. - Ele fala e pisca pra ela.

- Oh meu Deus, que marido tarado! - ela riu. - Então quer dizer que essa sua potência não acabará nem tão cedo? Como sou sortuda!

- No que depender de mim, ela nunca acabará e mais sorte tenho eu por ter você, gata... - ele morde o lábios e acaricia a cintura dela - Uma esposa tão perfeita é um baita incentivo.

-Hm, tome cuidado, Michael Jackson, a libido de uma mulher fica no céu quando ela está grávida... - ela comenta.

Michael ergue uma sobrancelha e sorriu de lado.

- E se eu quiser não tomar cuidado, hein? - Ele fala e coloca o corpo da esposa junto ao seu.

- Aí eu vou ser obrigada a tomar uma medida muito drástica!

- Uh... - ele murmura - Você sabe o que estas tuas palavras me causam, né gatinha?

Ela balança a cabeça.

- Eu não sei, mas você poderia me mostrar, não é?

- É por isso que eu te amo, gata...

Michael diz e ataca os lábios dela com paixão. Suas mãos percorrem a extensão do corpo de Tamires. Deita-a ficando por cima. Dá varias mordidas leves na orelha dela e pressiona seu quadril contra a intimidade da esposa.

- Tá vendo gatinha, é isso que acontece quando você me provoca assim. Fico louco...

Ela sorri e ele volta a beija-la.

Se despiram. As carícias continuam entre o casal. Michael toma a esposa em seu colo para ama-la de maneira que Tamires aproveitasse cada segundo. Depois a virou de costas e manteve a posição inicial. Ela geme. Aquele jeito era o favorito deles se unirem. Michael podia acaricia-la e ainda sim proporcionar o máximo de prazer a sua parceira. Ele morde de leve os ombros dela e movimenta sua cintura mais profundamente. Tamires curva o corpo para trás e arfa alto. Ele a segura firme pela cintura e continua até saciarem seus desejos numa explosão de amor e paixão.

Tomando a respiração de volta, o casal deita na cama e relaxa.

- Você é perfeita, minha gatinha. Nesse ritmo vamos ter muitos filhos. - Ele sorriu.

Ela sorriu e suspirou.

- Vamos mesmo... Coitada de mim! - ela ri

- De nós, meu bem. - Michael deita de lado virando-se para Tamires e toca a barriga dela com carinho - Meu amor, você que vai ser menino ou menina dessa vez?

- Eu acho que é um menino... E você?

- Eu gostaria que fosse menino. Assim teríamos um belo casal.

Michael se aproxima e fala com a barriga da esposa.

- Oi bebê, é o papai! Você é Jackson sabia?

- Hei, e Barcellos também! - Tamires disse. - E nós te amamos muito, meu amor.

- Oh desculpa gatinha... - Michael ri - Amamos muito, muito, meu filho.

- E se for menina, será que ela está se sentindo ofendida, Mike? - Tamires pergunta, temerosa.

- Não amor, se for menina ela vai nos perdoar. Mas sei lá, acho que é um garotão. - Ele diz sorrindo.

- E se for dois? Já pensou, Mike, gêmeos?

- Gêmeos? Oh boy, isso seria demais! Dois garotões para cuidar dela, gostei.

- Que bobagem, Mike, eles serão mais novos! - ela ri. - Apesar de eu achar que sim, eles vão cuidar dele... Será que Pietra sentirá ciúmes? Ela sempre foi muito ciumenta e agarrada conosco, não sei como será quando o bebê nascer...

- Hum... Também estou pensando nisso gatinha, mas saberemos o que fazer quando chegar a hora... E enquanto isso, vamos conversando com ela. Nossa filha é muito inteligente, ela vai entender.

- Eu espero que sim, acho que não saberia lidar com os ciúmes dela... - ela sorri. - Mas ela ficou animada com a ideia de ter um irmão para cuidar...

- Ciúmes de irmão é normal, amor. Talvez Pietra passe mesmo por esta fase. Eu não lembro de ter ciúmes dos meus irmãos. Vou perguntar a minha mãe. Ela com certeza saberá nos dar alguma dica do que fazer.

- Oh, eu não posso falar nada, porque minha mãe não quis me dar um irmão. - ela riu. - Mas eu sempre quis um irmão, acho que não sentiria ciúmes...

- Awn vem cá minha gatinha solitária... - Michael puxa-a pra si e fica abraçado a ela - Você não teve irmãos, mas tem a mim. Olha como você tem sorte!

Ela riu.

- Michael, a humildade te mandou um beijo! - ela falou, olhando pra ele.

Michael arqueia a sobrancelha.

- Mandou é? Então fala pra ela mandar um abraço a minha modéstia também. É que sou muito requisitado, sabe... - Falou com tom superior.

- Você é muito metido, isso sim! Vou mandar sua modéstia e sua humildade fazer uma visita... - ela e balançou a cabeça. - Filho, não puxe esse lado do seu pai, por favor! - ela falou passando a mão pela barriga

- Não perca seu tempo, amor. Nosso ou nossos filhos já vem com essa naturalidade de sangue. Todos os Jackson tem essa marca.

- Michael, acho que você está andando muito com Christian Grey, seu cara de pau! - ela dá um tapinha no braço dele.

Michael segura o riso e responde.

- Não mesmo baby, o mérito de sedução é meu. Foi Christian que aprendeu de mim. Ensinei tudo que ele sabe.

Tamires torceu a boca.

- É, mas a quase nove anos atrás você estava lá, se fazendo de tímido pra mim. Era mentira aquele seu lado, é?

- Não amor, aquilo é o meu jogo... E você caiu direitinho. - Ele pisca e morde o lábio.

- Já disse que você é cara de pau? - ela pergunta e ele assente. - Pois é, você é um cara de pau! E eu cai mesmo na sua conversa fiada, fala sério, e eu pensando que Michael Jackson era tímido e recatado... - ela revirou os olhos

Enfim ele não resiste e dá uma gargalhada alta.

- Pensei que minha fã favorita já conhecesse seu ídolo?

- Eu conhecia o lado tímido... Esse lado metido é novo pra mim. Espero que só eu conheça, porque suas fãs já são apaixonadas por você, se souberem que você se acha desse jeito, vão ficar ainda mais loucas.

- Opa isso seria até divertido nos shows.... - Ele diz pensativo para provoca-la.

- Como? - ela pergunta olhando fixamente pra ele.

- É amor, acho que vou agregar este detalhe nos shows. Você me deu uma ótima ideia. Muito obrigado. - Michael disse e dá um selinho nela.

- Você está falando sério?

- Por que não Tah? Não é uma ótima ideia?

- Oh, não mesmo! - ela diz, ficando emburrada. - Acho que você está enlouquecendo se pensa que eu vou deixar você fazer isso nos seus shows... Ah, ainda tem mais uma coisa: eu quero vê o figurino dessa turnê, a Polly disse que é uma indecência, se for mesmo, você nem sairá desse quarto, Michael Jackson!

Ele ri.

- Polly é uma exagerada! O figurino é muito bom, você vai adorar amorzinho. - ele diz sem tirar o sorriso travesso.

- Pela sua cara, eu estou vendo que não só eu, mas todas as fãs vão amar! - ela fala, bicuda. - Não quero nada apertado, nem com cores chamativa, nem muito sensual... Só não falo pra você não pegar no seu membro na hora da dança porque isso já é algo que você faz antes de me conhecer, senão eu falaria pra você cortar isso!

- Nossa amor, estou vendo Pietra em minha frente. - ele ri - Então nem vou falar que o figurino desta turnê é todo em dourado.

Michael diz para ver como a esposa reage a notícia.

- Como é que é? - ela pergunta se sentando na cama e cruzando os braços. - Você está brincando, não é?

- Gatinha, fica calma. A história da provocação é brincadeira, mas o figurino... O figurino é verdade. Não fique brava não, fiz tudo pensando em você, viu? - Ele diz temendo a resposta dela.

- Pensando em mim? Como assim pensando em mim? Pensando em me deixar sem falar com você até essa turnê acabar, não é mesmo? Já vi tudo, se a cor é dourada, o estilo da roupa deve ser ainda pior!

Michael não sabia o que dizer. Sua esposa estava mesmo brava.

- Você vai ficar de mal comigo? Amor, roupa não diz nada... e a cor é dourada sim. Se você quiser, te mostro os croquis que Bush me deu.

- Ah, mas eu quero vê mesmo, se for indecente você não vai usar, Michael, eu tô falando sério, ouviu? - ela perguntou

- Oh boy, espere um minuto então... - Michael levanta, veste sua box e vai até o closet. Busca a pasta de croquis e volta pra cama onde Tamires o esperava com o rosto sério.



- Pronto amor, aqui está o figurino de HIStory...

Tamires torce a boca e pega a pasta. Ela tira as folhas e começa a olhar tudo com atenção. Primeiro ela pôde vê uma jaqueta preta, depois mudou a folha e viu um casaco preto de renda desenhado no papel, até que o próximo croqui chamou sua atenção. Michael estava desenhado no papel, vestindo uma camisa branca e uma calça dourada, completamente justa, marcando suas coxas e suas partes íntimas. Tamires olhou pra ele, depois olhou para o croqui novamente, e ficou um tempo em silêncio, angustiando Michael.


[ Perspectiva do Figurino em show ]

Ele suspira e diz:

- Fala alguma coisa por favor...

Ela coloca o croqui com a calça dourada em cima da cama e diz:

- Isso aqui - ela aponta para o desenho. - É um absurdo! É uma indecência, você não vai usar isso, mas não vai mesmo!

- Amor... - Michael tenta explicar, mas Tamires o impede

- "Amor" é o caramba, Michael! - ela se levanta da cama e coloca a camisola que estava no chão. - Eu não quero que você use essa calça e ponto final.

- Oh boy Tamires, como não vou usar? Os figurinos já estão praticamente prontos. Não há tempo de fazer outros. Pergunte a Poliana. Ela vai lhe explicar que não temos prazo de construir o figurino de uma turnê. - Michael falou calmo.

- Pensasse nisso antes de aceitar essa indecência como roupa. Eu não quero saber como você vai se virar, mas não vai usar essa calça! - ela diz emburrada e cruza os braços a frente do peito.

- Oh my God... - Michael cobre a cabeça com as mãos - Vou ligar pra Polly. Você precisa falar com ela, Tah...

- Eu não quero falar com ninguém! - ela diz. - Eu só quero que você não use isso e acabou!



Continua...
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://nevercansaygoodbyemj.forumeiros.com
Miss Jackson
Admin
avatar

Mensagens : 1328
Scores : 1883
Data de inscrição : 01/06/2012
Localização : Michael's House

MensagemAssunto: Re: Just Good Friends [+18] [Finalizada]   Sab Out 05, 2013 12:42 am

Capítulo 82

Michael pega o telefone e liga pra casa de Polly. No quarto toque Christian atende com a voz sonolenta.

- Alô? - ele pergunta, limpando a garganta e abrindo os olhos.

- Alô Chris, desculpa por ligar a essa hora cara, - Michael diz sem jeito - Mas preciso falar urgente com a Polly. Tamires está comendo meu fígado por causa do figurino da turnê...

Christian riu.

- Não acredito? Isso é sério? - ele perguntou

- Muito sério cara, ela disse que não vai falar mais comigo se usar as roupas do show. Estou ficando maluco... – Apelou.

- São os hormônios, Michael, não esqueça que ela está grávida... - ele riu. - Vou chamar a Polly, só um minuto.

Christian coloca o telefone em cima da mesa de cabeceira e se vira para chamar Polly.

- Baby... - ele cheira seu pescoço e beija atrás de sua orelha. - Acorda, branquinha, Mike quer falar com você...

- Hum... - Ela resmunga e atenta abrir os olhos - Quem quer falar comigo? - Ela pergunta sonolenta.



- Michael. Parece que a Tah está a ponto de bater nele...  - ele riu.



- Ah não acredito! - Ela choraminga pegando o telefone.

Chris ri baixo e senta na cama junto a Polly

- Oi Mike... – Ela diz.

- Oh minha amiga, desculpa ligar a essa hora, mas preciso de ajuda... – Disse Michael.

- Não tem problema, Mike. O que foi? Chris disse que Tamires te bateu, é verdade? - fala confusa.

- Não, ela ainda não fez isso, mas vai fazer a qualquer minuto. Sabe o figurino da turnê?

- Sei...

- Então, ela acabou de ver os croquis e me proibiu de usá-las. Disse que são indecentes demais e quer me fazer mudar tudo... -Ele diz quase desesperado.

- Mike, calma. Passa pra Tah...

- Okay... - ele estica o telefone e chama Tamires.

- Eu não quero falar com ninguém, já disse! - Tamires fala, quando Michael quis tenta lhe da o telefone.

- Tah... – ele a encara - Polly está esperando...

Tamires revira os olhos e pega o telefone das mãos dele.

- Oi, Polly.

- Oi Tah, o que houve?

- O que houve? O que houve é que a roupa do seu amigo é um absurdo de tão indecente. Polly, como deixou ele aprovar uma roupa dessas?

- Amiga esta roupa foi criação do Bush. Michael apenas pediu a ele criasse algo que fizesse a diferença nas demais turnês. Participei da reunião. Bush disse que iria criar algo fora de série. Seria como uma coroação. - Polly explicou calma.

- Mas isso é um absurdo! Polly essa roupa é toda apertada, aquelas mulheres vão se jogar em cima do palco pra agarrá-lo, eu não quero que ele use essa roupa e ponto! Imagine Chris usando algo como aquilo, como você ficaria?

Esta pergunta da amiga faz Poliana despertar no mesmo instante.

- Como? Não o Chris não usaria isso nunca. Ele não curte essas coisas apertadas não. E.... Eu o trancaria dentro de casa se usasse.

- Pois então pronto, me entende agora? Ele não vai usar essa roupa, se usar, eu não falo com ele até acabar essa turnê! - ela diz olhando para Michael com os olhos serrados.

- Oh amiga, não faça isso. Michael vai ter que usar este figurino de qualquer maneira. Não há tempo de trocar. Quer uma dica? Ao invés de você ficar toda brava, faça a segurança do boy. O acompanhe onde for. Assim você mesma vai cuidar do que é seu.

- Não mesmo, Polly, eu não quero saber se não vai dá tempo, mas ele não vai usar essa roupa, não mesmo!

Michael revira os olhos e suspira.

- Mana, por favor, deixa ele usar essa bendita roupa... São quase três da manhã. Prometo a você que vou dobrar a segurança até quando ele for ao banheiro... - Polly pediu quase implorando.

Tamires bufou.

- Eu não vou deixar e ponto. Agora fala aqui com Michael, acho que ele quer falar com você. - ela diz e dá o telefone pra Michael.

- Graças a Deus, te amo mana. Passa pro cabeça de maçã... - Polly fala sorrindo. - Se acalma hein mana. Beijinhos.

- Eu não vou me acalmar! - ela diz, irritada. - Beijos.

Ela passou o telefone a Michael, que ansioso vi logo perguntando o resultado.

- E ai Poll?

- Você me deve uma hein... Aliás, duas. Uma por me acordar de madrugada e outra por convencer a Tah...

Ele a interrompe.

- Você a convenceu?

- Claro, Mike. Até parece que você não conhece meu poder de persuasão. - Ela diz.

- Não acredito! Já falei que te amo garota? - Michael diz rindo

- Já, seu cabeça de maçã. - ela riu também - Agora vai lá amansar sua fera, pois eu só a deixei mais acessível, não resolvi o problema.

- Não, tudo bem Poll. Você já ajudou pra caramba. Muito obrigado querida. Fico tem devendo mesmo.

- Okay, então boa noite Mike e calma viu..

- Sim senhora.. - Ele diz sabendo que isso irritava a amiga.

- Senhora é a sua vovó.. - ela responde - Boa noite.

Michael ri e se despede dela desligando o telefone.

Com muito jeito ele se aproxima de Tamires.

- E então gatinha, viu só como não dá tempo de trocar o figurino?

- Infelizmente não dá! - ela diz, emburrada.

- Você vai ficar assim... Brava comigo? - ele murmura.

- Vou!

Ele chega perto dela e a abraça por trás.

- Oh minha gatinha... Não fica brava comigo... Não suporto ficar longe de você.. - ele sussurra no ouvido dela

- Mas elas vão ficar olhando pra você, Michael! - ela diz, cruzando os braços.

Michael não pode conter um sorriso. O ciúme dela a deixava mais adorável.

- Meu amor, elas vão olhar, mas eu sou todo seu. Sempre fui e sempre serei. Vamos combinar uma coisa. Assim que a roupa chegar você será primeira a ver. Tudo bem?

- Eu tinha que ser a única a ver, Michael! - ela diz. - Você vai ficar com aquilo o show inteiro?

- Quase todo. Em Billie Jean será a roupa que você conhece.

- Então tem que ser em Billie Jean que a fã tem que subir no palco... Você não vai usar essa calça quando a fã subir no palco!

Ele a vira pra si. Os rostos ficam frente a frente. Michael argumenta mais uma vez.

- Tá, então que roupa eu vou usar em "she's out of my life"? Hein mocinha?

Ele ergue as sobrancelhas e tinha os braços cruzados.

- Michael, a roupa da turnê Dangerous está impecável ali no closet, se eu fosse você, a usava. O pessoal nem vai ligar se você estiver repetindo figurino...

- Ah não Tah! Eu sou Michael Jackson, como vou repetir figurino. Todos esperam por coisas novas. Já não bastou a fama de "O Enluvado" no anos 80, agora ser conheci como o que? O cara que repete roupa? Ai eu também não quero! - ele diz meio birrento e franzindo o cenho.

- Ah, quer saber, vai pelado! Eu não ligo! - ela diz dando de ombros e saindo de perto dele.

Tamires foi pra cama e se deitou de costas para Michael, se cobrindo até a cabeça.

Michael vai atrás dela e senta a seu lado na cama.

- Você tem certeza disso Tah? Olha que... As palavras tem força. Você fica falando pra eu ir pelado... Vai que a roupa rasga e eu fico pelado mesmo. Se isso acontecer a culpa é sua hein...

- Para, a culpa não vai ser minha nada! - ela grita com a cabeça enfiada no edredom, Michael notou que a voz dela estava embargada.

- Hey, você não está chorando né? - Ele diz prestando atenção nela.

- Na... Não... - ela diz, soluçando.

Ele puxa o edredom e vê que ela chorava.

- Hey Tah... Não precisa chorar, eu estava brincando gatinha. - Ele diz compadecido - Vem cá vem... - Ele a pôs em seu colo como se faz com uma criança - Porque você ficou tão abalada meu amor? É só uma roupa, e nada mais.

- Você tá falando que a culpa é minha... - ela diz escondendo o rosto no pescoço dele

- Meu amor eu estava brincando, você me conhece, poxa. - Ele ergue a face dela para olha-la - Não fica assim não viu. Não quero que derrame mais lágrimas por minha causa, hmm... - Michael dá um selinho nela e a abraça - Eu te amo demais, minha gatinha.

- Hum... - ela murmura. - Eu também te amo e você pode usar a calça, mas vou mandar a Polly ficar de olho em você quando eu não estiver por perto!

- Oh boy, Polly é pior que Wayne e Bruce juntos... Tô ferrado. - Ele fala rindo.

- Por isso que é ela quem vai tomar conta de você, senão, o Sr. irá apanhar todas as vezes que vier nos visitar ou quando nós formos ao seu encontro, então, acho melhor você se comportar!

- Aiiii... - ele exclama e ri - você é muito brava morena. Gostei desse seu lado e... ele está me excitando... - Michael diz mordendo o lábio.

- Morena? - ela olha pra ele e sorri. - Esse é novo... - ela comenta.

Michael mostra um sorriso indecente ainda não visto por sua esposa.

- É o começo de uma nova Era, meu amor... Seu querido Michael está em evolução... - Ele murmura ardiloso a abraçando pela cintura.

- Hm... Eu deixo você me mostrar essa evolução... O que acha?

Michael a coloca de volta na cama e deita por cima dela.

- Só se for agora minha morena....



Continua...
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://nevercansaygoodbyemj.forumeiros.com
Miss Jackson
Admin
avatar

Mensagens : 1328
Scores : 1883
Data de inscrição : 01/06/2012
Localização : Michael's House

MensagemAssunto: Re: Just Good Friends [+18] [Finalizada]   Sab Out 05, 2013 12:45 am

Capítulo extra! Wink

Capítulo 83

Na casa dos Grey.

Poliana desliga o telefone rindo e balançando a cabeça.

- Esses dois não tem jeito baby. Ora se amam, ora se matam. Parecem duas crianças menores que Eliott e Pietra. - ela diz.

- Realmente, para ligarem às três horas da manhã... - ele riu. - Tah estava muito brava?

- Estava uma fera baby, você sabe como Tah é. Ela queria que mudássemos o figurino completo do Michael só por ciúmes. Tenho certeza que ela enlouqueceu ao ver a calça que ele usará no show. Eu falei pro Mike que ela ia ficar brava, mas ele disse que não; que ela aceitaria numa boa. Ah ta! Eu conheço minha amiga melhor que o marido dela. - Polly ri.

- E que calça é essa? Transparente? Pra ela fazer esse escândalo todo... - ele disse. - Apesar dela fazer escândalo por qualquer coisa, né...

Polly ri e responde o marido.

- Bom, eu nunca, jamais deixaria você usa-la. Tamires tem lá suas razões. Essa calça dele é dourada, como ouro e justa no corpo. Michael é magro, mas roupa justa marca qualquer um.

- Hm... Entendo... - ele disse. - Talvez eu pudesse usar só pra você, o que acha, amor?

- Omg, você usando um figurino do Mike? E justo o mais indecente? Meu Deus, você quer acabar de vez comigo, amor? Pode falar... Porque é isso que vai acontecer se você a vestir. Eu morro.

- Por que não, amor? Acha que eu ficaria sexy com ela?



Polly olha dentro dos olhos dele e o encara.

- Baby, até a sua sombra é sexy. Com uma roupa dessas você... Você ia me matar, sério. Meu amor todo forte naquela roupa mais apertada que a fantasia de Super Homem. Senhor...  Eu não suportaria tanta gostosura não. - Ela disse sentindo a temperatura do corpo subir e suas bochechas ficam vermelhas e quentes.

- Ia te matar de prazer, amor... - ele diz, se sentando ao lado dela, na cama. - Pode ter certeza que ficaríamos presos nesse quarto por no mínimo uma semana.



- Uma semana, baby? O que você ia aprontar nesse tempo todo? - Diz ingênua.

- O que iríamos aprontar... - ele beija o pescoço dela. - Muitas coisas, baby, muitas coisas... - ele sussurra

- Já não basta me matar com figurinos indecentes... De prazer... O que mais falta? - Ela pergunta curiosa acariciando a nuca do marido.

- Falta mais um bebê... Que iremos praticar muito para acertar durante a semana que ficarmos trancafiados no quarto. - ele beijou o ombro dela, descendo a alça do sutiã

- Awn meu amor, você também quer um bebê? Que fofo! Também quero mais filhos, mas será que não é cedo? Eliott é tão pequeno. E o ciúmes? Oh Deus nem quero pensar nisso, baby. - Polly diz preocupada.

- Hm... Acho podemos pensar nos ciúmes de Eliott mais tarde... Ele vai entender, baby.

- Tem certeza? Bebês exigem atenção. Não quero que ele fique com raiva dos irmãos por achar não o amamos mais.

- Tenho... Eliott vai querer um irmão ao vê o bebê de Mike e Tah, você vai ver.

- Ou irmã, baby. Podemos ter nossa princesa dessa vez. - Ela diz sorrindo

- Podemos mesmo! Mas para isso... - ele sorriu e se deitou por cima dela. - Precisamos começar a trabalhar, você não acha? - sussurrou.





Poliana sorriu.

- Quanto empenho senhor Grey, nem na empresa há tanta dedicação. - ela brinca

- Ah, pode ter certeza que não, baby! - ele sorriu. - Com você o tratamento é especial.

- Hum, é assim que eu gosto baby. Sempre pronto pra mim... - ela diz sedutora sem deixar de fita-lo.

- Eu sei disso, branquinha... - ele beijou o pescoço dela, vendo-a se arrepiar. - Sempre estou pronto pra você, meu amor.

- Ai delicia, e antes de você me deixar nas nuvens... - ela sorriu - Saiba que gostei dessa ideia de você usar algo diferente pra mim. Achei bem excitante quando estava de herói e... mal podia esperar por algo do tipo novamente.

Polly fala e o surpreende.

- Hm... É mesmo, baby? - ele pergunta, surpreso. - Ótimo saber disso, talvez eu faça uma surpresa pra você...

- Ai baby, eu amei mesmo, mas pega leve tá? Sua branquinha já vive em pura adrenalina com o super homem. - ela fala segurando o riso.

- Oh, o super homem te deixa cansada? - ele se aproximou do ouvido dela e sussurrou: - Se prepare para o que ele vai fazer com você, essa noite.

- Baby, não brinca assim, veja como meu coração acelera... - ela pega a mão dele e ponhe sobre o peito. Seu coração batia forte e rápido - Está sentindo?

- Estou... - ele disse, sorrindo. - Acho que ele pode ficar mais rápido quando eu estiver dentro de você.

- Omg baby, não precisava ser tão direto. Ainda me deixa vermelha, seu bobo conquistador.



- Mas eu só disse a verdade, meu amor... - ele sussurrou.

- Eu sei baby, mas sou assim né. Fazer o que. - ela sorriu tímida.

- E eu amo o seu jeito. - ele disse sorrindo. - Na verdade, eu te amo toda e amo amar você.

- Awn também te amo mais meu amor.

Polly tocou o rosto dele com as mãos e o beijou amorosamente. Christian sorriu e mordiscou os lábios dela, descendo até o seu pescoço.

- Estava com saudades de você... - ele sussurrou. - Mesmo que tenhamos nos amado há duas horas atrás.

Polly sorriu.

- Você está ficando mais... Como posso dizer... - ela pensa e logo diz - Você mais descarado com a idade, amor. Imagina daqui uns 10 anos? - Ela ri.

- Oh, baby! Quando chegarmos lá... - ele faz uma pausa e tira a camisola dela, deixando-a somente de calcinha. - Eu estarei muito mais safado... - ele se ajoelha na cama e tira sua camisa e cueca boxer que usava - E você vai amar ainda o seu marido gostoso.

Polly geme baixinho e Christian se deita novamente por cima dela, seus beijos agora indo do seu pescoço até seus seios. Ele agarrou a calcinha da esposa e desamarrou as laterais, sorrindo pra ela ao se lembrar da surpresa que ela havia feito mais cedo, ao aparecer com uma lingerie nova, que o deixou completamente maluco.

Ele joga a peça no chão e a beija, enquanto seus dedos começam a acariciar sua intimidade.

- Molhadinha, baby... - ele sussurra.

Mordi e suga o lábio inferior e entra na esposa rapidamente, fazendo-a gemer alto com a precisão de seu movimento. Ele saiu e entrou novamente, lentamente dessa vez, sentindo as unhas dela em suas costas e seu sussurro, implorando para que ele fosse mais rápido. Ele sorriu e a beijou, começando a se mover rapidamente, saindo e entrando, sentindo o sexo de sua esposa apertá-lo e então, juntos, alcançam o êxtase mais uma vez.

Polly pega o rosto do marido com as mãos acariciando suas bochechas.

- Seu rosto está tão quente, amor... - ela sorri.

- E a culpa é sua, baby... Você me deixa em chamas! - ele diz, beijando a boca da esposa.

- Minha não, baby, sou tão quietinha. - Ela diz fazendo sua melhor cara inocente.

- Oh, é mesmo, baby, muito quietinha... - ele sorriu e se deitou ao lado dela, puxando-a para o peito dele. - Eu te amo, baby.

- Te amo mais meu marido gostosão. - Ela diz e os dois riram.

Minutos depois eles ouvem batidas leves na porta do quarto.



Continua...
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://nevercansaygoodbyemj.forumeiros.com
Miss Jackson
Admin
avatar

Mensagens : 1328
Scores : 1883
Data de inscrição : 01/06/2012
Localização : Michael's House

MensagemAssunto: Re: Just Good Friends [+18] [Finalizada]   Sab Out 05, 2013 1:13 am

Capítulo 84

- Mamãe... - A voz infantil dizia.

- É Eliott. - Poliana disse reconhecendo o filho - Um segundo meu amor...- ela fala alto em resposta.

- Oh meu Deus! - Christian pula da cama e se veste rapidamente. - Foi por pouco, baby! - ele ri

- Foi mesmo. - Ela ri fechando o roupão e indo em direção da porta.

Abriu-a e viu Eliott com seu pijama do Batman. Ele tinha o rosto assustado. Poliana se abaixou na frente do filho.

- O que foi meu bem? Por que não está dormindo?

- Tive um pesadelo mamãe. Não consigo dormir... O monstro está de baixo da minha cama... - Disse choroso.

- Oh meu Deus vem cá baby... - Polly o acolheu nos braços e o beijou na face - Olha vou pedir pro seu pai ir lá, okay?

Com medo Eliott arregala seus lindos olhos azuis.

- Não mamãe, eles vão pegar o papai... - falou desesperado.

Christian se aproxima deles e pega Eliott no colo.

- Não vão me pegar, amor. O papai é o super homem, esqueceu? - ele pergunta.

Eliott o encarou com brilho na face.

- Papai é o super homem... – repetiu abrindo um sorriso – Eba! Então pega eles e dá muita porrada papai. - Diz o menino.

- Briguento como o pai... - ela sorrindo sussurra.

- Eu escutei, baby... - ele diz e pisca para Polly. - Então, vá para o colo da mamãe, porque o papai vai lá bater em todos eles e os monstros nunca mais voltarão!

Poliana pega o filho nos braços e deita com ele na cama. Christian sai.

Minutos depois o “super pai” volta falando glorioso da batalha.

- Pronto, filhão. Expulsei todos os monstros do quarto e falei pra eles não voltarem nunca mais! - ele disse, se deitando ao lado do filho.

Eliott sorriu e pulou em cima dele.

- Obrigado papai, você é o melhor do mundo inteiro! – disse e beijou Christian no rosto.

- De nada, filho. - ele sorriu e beijou sua cabeça. - E então, quer dormir aqui com o papai e a mamãe ou quer voltar pro seu quarto, Batman?

O menino fica pensativo e olha pra mãe.

- Posso dormir aqui hoje mamãe? - ele diz.

- Pode, meu bem. - Ela responde.

- Eba! - ele comemora - Mas eu não estou mais com sono mamãe... - Eliott fala.

- Então, vamos assistir desenhos? - pergunta Christian, pegando o controle da TV que estava em cima da mesinha de cabeceira. - O que você quer ver?

- Quero ver o Batman, papai...

- Oh meu Deus baby, Eliott tem que dormir. Faz mal criança ficar acordada até tarde. - Polly disse com seu jeito materno.

- Só hoje, baby! - Christian diz.

Eliott repete a fala do pai:

- Só hoje mommy...

- Ah não, dois pares de olhos azuis me persuadindo é demais! - ela fala manhosa.

- Acho que nós vencemos, filhão.. - Christian diz, olhando para Eliott.

- Mamãe não resiste ao nosso charme, papai. – O pequeno disse rindo a Christian.

- Mas... Veja se eu posso com isso! Eliott, até você filho? - Polly diz surpresa. - A culpa é sua Chris, você que ensina essas coisas pra ele.

- Mas ele só está falando a verdade, baby, fala pra mamãe, filho, que o nosso charme... Nosso charme é o que mesmo, filhão?

- É irresistível... - Eliott sorri lindo e pisca.

- Ora seu malandrinho. – ela ri - Agora a mamãe vai pegar você e seu pai... Muahahaha.....

Poliana muda de posição e começa a fazer cócegas nos dois. Eles riem e tentam se defender dela. Eliott pula pra fora da cama rindo alto e torcendo pelo pai. Polly ataca o marido, mas ele a segura e a deita no colchão segurando suas mãos.

- Você está roubando Chris... Me solta... - Polly fala ofegante.

- Se estivéssemos sozinhos, você ia ver como iria pagar por isso, baby... - ele sussurra e sorri. - Filho, acho que sua mãe também merece cócegas, não acha?

- Não amorzinho, a mamãe te ama tanto... – Poliana diz suplicante.

Eliott dá um sorriso sapeca e pula de volta na cama.

- A mamãe merece muitas cócegas, papai.

- Pois é, filhão... Ela foi muito má com a gente... - ele sorri e junto com Eliott ataca Polly com cócegas.

Ela ria e se contorcia na cama, e os dois continuavam até que depois de implorar muito, eles param.

- Eu... Vou pegar... Vocês. Isso vai ter troco... Estou avisando. - Polly diz sentando na cama.

- Eu não tenho medo... - Eliott dá os ombros.

- Ah é? Então acho que agora o mocinho está pronto pra ir cama. – Ela diz.

- Ah não mamãe, eu vou dormir aqui, lembra? Quero ver desenho.

Poliana não resiste a súplica de seu pequeno. O garoto herdou a persuasão do pai.

- Tá bom Eliott, vem cá entre a mamãe e o papai. - Polly o acolhe entre ela e Christian.

Eles abraçam o pequeno... E os três dormem tranquilos.



***************************************************************************************************************************************

Após saber a notícia da segunda gravidez de Tamires, Drake se sentiu desolado. Havia acabado de recusar uma bela proposta de trabalho, da filial da editora em Nova York e recusará porque ainda nutria esperanças de um futuro entre ele e Tamires, mas parecia que isso estava cada vez mais distante.

- Eu sou um idiota mesmo, é claro que ela nunca deixaria aquele metido a mauricinho, Infelizmente. Não sei por que ainda fui tão bobo de acreditar que... Ela não me ama. Droga! - praguejou - Não posso mais ficar nesse lugar. Não quando vendo aquele sorriso tão lindo se dirigir pro outro. Preciso me afastar dela... Vou embora daqui.

Ele disse de pensamento convicto. Drake pega o telefone do responsável pela filial e marca um encontro. Eles se reúnem e depois de expor sua situação o rapaz, consegue uma nova chance. Ele se mudaria definitivamente para Nova York. Não ter Tamires era doloroso demais.

Drake chega cedo na editora e começa a arrumar suas coisas. Tamires chega uma hora depois, ainda dentro do horário e estranha não ser recebida por seu amigo e colega de trabalho. Ela deixa a bolsa em sua sala e vai até a sala de Drake.

Ela bate na porta e escuta o mandando entrar.

- Hei, o que houve que meu fiel escudeiro não estava em minha sala hoje, hm? - ela pergunta, se sentando na cadeira em frente a mesa dele.

Ele força um sorriso.

- Pois é, eu tinha que arrumar umas coisas aqui. Mas não seja por isso... Bom dia Senhora Barcellos Jackson!. - ele diz no mesmo tom.

Tamires estranha o tom de voz dele.

- Hm... Aconteceu alguma coisa, Drey?

- Não. Sabe aquela promoção de Nova York? - Tamires assente - Eu consegui falar com o gerente e eles me deram uma nova chance. Vou pra lá essa noite.

- Como assim "vai pra lá essa noite"? - ela perguntou, sorrindo, mas ao ver que ele continuava sério o sorriso dela se fez. - Você não está falando sério, né, Drey?

Ele respira e responde.

- Estou sim e... Não se preocupe, Sabine cuidará de tudo. Ela é uma ótima profissional. - Ele disse indo pegar mais uma caixa média encima da cadeira ao lado de Tamires.


- Drake, para de graça, você não... - ela faz uma pausa e continua. - Não pode simplesmente ir embora, como vou ficar aqui sem você? Você é meu amigo, meu braço direito, se a editora é tão boa assim é por culpa sua também, não pode ir embora. Não faça isso.

- Não, Tah. Essa empresa é grande graças a você. Eu só fiz minha obrigação. Você é incrível e vai conseguir continuar sem mim. Agradeço por me incluir como parte da sua vida... Nunca esquecerei disso. Mas a vida é assim, cheia de surpresas. Temos que nos acostumar com o que ela nos reserva... - ele inspira forte - Olha eu preciso ir... Vai ser melhor pra nós dois.

- Melhor pra nós dois? - ela pergunta. - Não, Drake, pra mim não tem nada de melhor nisso. Poxa, eu gosto muito de você, estou acostumada a chegar aqui todas as manhãs e vê o seu sorriso, meu dia começa bem melhor depois disso, pode acreditar. - ela respira fundo. - Eu sei que eu não posso obrigá-lo a ficar, também sei o real motivo de você está querendo ir embora e sou muito egoísta ao pedir pra você ficar aqui, mas, você é muito importante pra mim. Não vá embora.

Drake sente o coração falhar.

- Você também é muito importante pra mim Tah. O sorriso que você via era a esperança de um dia... - ele hesita - Não me peça pra ficar, por favor, seria doloroso demais. - Drake engole o nó na garganta - Em Nova York poderei recomeçar, será bom.

- Eu sei... - ela diz olhando para suas mãos. - Eu sinto muito por não poder retribuir a grandeza do que você sente por mim, Drey, mas... Mesmo assim, não vá embora, por favor.

- Por favor Tah.... - ele pede e se afasta dela indo pra janela.

- Não vá, Drey, por favor...

Ele volta pra perto dela e olha dentro dos olhos dela.

- Eu preciso ir. Nunca vou te esquecer Tah, nunca!

Drake respira fundo e tomando uma última dose de coragem dá um beijo de despedida nos lábios de Tamires.

Eles se afastam.

- Agora vou indo. Quero que se cuide muito bem, ouviu? Mandarei notícias assim que puder. Até um dia... Rainha das Letras....

Tamires ainda estava surpresa pelo beijo, mas decidiu não repreendê-lo por aquilo.

- Tudo bem... Não se esquece de mim, ouviu? - ela chegou perto dele e o abraçou. - Quero que se cuide em Nova York, lá, bem longe de mim, e que me mande notícias sempre. Se eles não te tratarem bem lá, é só me falar que eu dou uma bela bronca neles! - ela se afasta e o beija no rosto. - Obrigada por tudo, Drey.

- Eu que agradeço querida. Cuide bem dos pequenos e desta duplinha aqui... - ele toca a barriga dela - Também quero notícias suas, e caso o seu marido mauricinho pisar na bola, só basta um telefone e estarei aqui. - Ele a abraça mais uma vez. - Tchau Tah.

Tamires sorri.

- Ah eu vou ligar mesmo, pensa que vai se livrar de mim? - ela pergunta. -

- Sei que não. Agora vou indo. Até um dia, rainha.

Ele se afasta dela com um sorriso forçado e o choro preso. Pegou sua caixa de pertences e saiu sem olhar para trás.



Continua...
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://nevercansaygoodbyemj.forumeiros.com
Miss Jackson
Admin
avatar

Mensagens : 1328
Scores : 1883
Data de inscrição : 01/06/2012
Localização : Michael's House

MensagemAssunto: Re: Just Good Friends [+18] [Finalizada]   Sab Out 05, 2013 1:13 am

Último Capítulo


[Música de fundo  ]


Depois de passar dois meses em Miami, aproveitando as férias, Susie volta para Califórnia. Chega em seu apartamento e o porteiro logo lhe entrega suas correspondências, ela se joga no sofá e começa a ver uma por uma.

- Contas, contas, contas... - ela jogava os envelopes em cima do sofá, ao seu lado, até que um lhe chamou atenção. O remetente era a MJJ Productions. Ela franziu o cenho e abriu a carta. - Carta de demissão? Como assim? - ela grita, prestando atenção no que estava escrito.

Ela havia sido demitida por justa causa. O ódio lhe sobe a cabeça.



- Merda! - ela grita e amassa o papel em bola jogando com força no chão - Como ele fez isso comigo? Michael, filho da puta. Ah, mas ele me paga! Ah, se paga. Isso é coisa daquela péla saco da Poliana. Ela sempre está por trás de tudo. Aquele tapa vai ter volta, maldita.

Susie bufa e se para o banho. Susie fica revoltada e jura vingança.



James recebeu o jornal em sua porta e deu umas olhadas nas últimas notícias. "A empresa 'Grey Interprices' ganha três prêmios em uma noite de premiações em L.A. O dono da empresa, Christian Grey sobe ao palco ao lado de sua esposa, Poliana Grey, e orgulhosos, posam para fotos. Em nota, sua esposa disse que ama e se orgulha muito de seu marido, que além de trazer inovações de energia sem causar danos a natureza com sua empresa, é um homem dedicado a acabar com a fome mundial e um marido e um pai muito amoroso."

James cerrou o maxilar e tacou o jornal no chão. Sentia um ódio sobrenatural de Christian Grey, que além de acabar com sua carreira, ainda roubara Polly. Olhou mais uma vez para a foto amassada dos dois no jornal e pegou as chaves do carro, indo direto para um bar que frequentava diariamente, precisava beber e se esquecer daquele infeliz.

Dias depois....

"Mais uma vez o casal de benfeitores Christian e Poliana entregam mais uma ajuda humanitária. Sorridentes estão acompanhados pelo pequeno Eliott, que mais parece a cópia de seu pai. Hoje o fundação Salve o Planeta ganha 250 mil dólares para projetos ambientais. Vamos falar com nosso correspondente Tom... Dizia o apresentador de tv.

- Olá, Bruce. Bom tarde pessoal. Estamos aqui com os Grey. - Christian e Poliana sorriam junto ao filho - Christian, diga-nos, como se sente ao entregar este bem ao valor a um projeto tão futurista? - pergunta o repórter

- Me sinto maravilhado. Creio que se cada um doasse um pouco do que tem, o mundo estaria bem melhor hoje, por isso me sinto bem ao ajudar. Minha esposa e eu estamos muito felizes em contribuir mais e mais. - ele diz

- Certo. – sorriu o repórter - E você Poliana, soube que vai encabeçar um projeto também, é verdade?

- Sim é verdade. - Ela sorri - Quero restaurar o hospital infantil de Santa Bárbara. Soube de fontes seguras que seu estado é precário.

- Projeto ousado não? - disse Tom.

- Sim Tom, é ousado, mas muito necessário. Christian e eu visitamos o lugar e... Ele precisa mesmo de ajuda. Daqui a dois meses faremos uma festa beneficente em prol deste projeto. Muitos amigos já foram contatados e outros ainda serão convidados. Espero contar com vocês no dia, okay? - Ela diz sorrindo.

Poliana sabia lidar com a mídia como ninguém.

- Com certeza estaremos lá, Poliana! - disse convicto o repórter.

A entrevista segue. O repórter fala com Eliott. O garoto é bem desenvolvido e solto. Jane chega na sala há tempo de ver a entrevista deles. A família de Christian estava tão feliz que nutre em Jane a inveja e o desejo de tê-la pra si.

Ela tinha que ter Christian de volta. A noite se aproxima e como sempre ela se arruma pra sair.



O bar estava lotado e a música era alta. Ela caminha entre as pessoas e senta no balcão. Pede uma bebida, em seguida olha em volta. Avista um homem loiro de rosto bonito. Alguém tão bem cuidado só poderia ser rico. Sorriu em mente, pegou sua bebida e foi até ele.

- Olá... Posso me sentar aqui? - ela disse sedutora apontando pra cadeira. - Estava esperando alguém? - ela diz e senta - Me parece nervoso.

- Já sentou... - ele diz, olhando pra ela. - Não estou esperando ninguém, muito menos uma puta. - ele diz, raivoso.

- Ei, não sou puta! - reclamou irritada - Acho que deveria ser mais cordial, sou uma dama, ouviu bem? E você está cheio de marra pra quem bebe sozinho. Me chamo Jane e você? - Ela diz dá um gole na bebida.

- James. – respondeu somente.

- James e Jane... Gostei. - ela sorri - O que te trouxe aqui hoje?

- Aquele filho da puta do Grey! Além de me tirar meu emprego, ainda roubou a porra da minha mulher! - ele bateu o punho na mesa.

- Grey? - Jane se espanta e franze o cenho - O mesmo Christian Grey, o empresário super bem sucedido?

- É. Você por acaso o conhece? – Ele pergunta.



- Conheço muito bem Christian Grey. Fui noiva dele há anos atrás. Ele era louco por mim, mas aí aquelazinha... Ah como eu odeio aquela mulher dele! - bufou raivosa - Fui até ser burra o suficiente para perdê-lo. – ela pausa e raciociona direito o que James falou - Peraí, Poliana era sua mulher? Christian sem vergonha! - Ela diz com pesar e ódio.

- Era, e eu odeio ele, aquela amiga dele que é irritante! É tudo culpa dela, se eles conheceram, se a minha Polly está com ele, é por culpa dela!

- Eu sabia! Aquela víbora manipula tudo. Christian é um babaca na mão dela. Puta merda, foi por causa dela que nos separamos. Até hoje não chego perto do meu ex porque a vadiazinha fica em cima como um cão de guarda. Odeio ela! Se eu pudesse... Daria um fim nisso!

- Porra, essa garota é uma praga! No carnaval, eu me encontrei com Polly no meio de um bloco lá no Rio de Janeiro, acredita que a vadiazinha não me deixou nem conversar com ela? Quando eu me vingar de Christian, vou fazer de tudo pra me vingar dela também.

- Se vingar do cão de guarda eu estou dentro, mas de Christian? O que você vai fazer? - Jane fala interessa no plano, pois adoraria se vingar de Poliana e Tamires também estava no pacote.



- Claro. Ele acabou com a minha carreira, ainda sou rico, porque sou esperto, mas fui demitido de uma empresa muito boa por culpa dele. Sem contar que ele está casado com a minha mulher. Não posso deixar isso passar batido, eles já estão vivendo um momento de completa felicidade há sete anos, preciso fazer algo pra acabar com essa alegria deles.

- Sete anos com uma songa-monga e o filho bastardinho. Te entendo, James. Preciso e vou fazer algo com Poliana. Ela não merece essa felicidade. Christian é meu! O que tens em mente?

- Algo bastante interessante, que afetará tanto Polly e Christian, como Tamires também. E ainda tem Michael, que me demitiu depois que me separei de Polly, ainda não engoli o que ele fez, mas o que planejo afetará a ele também. - ele sorriu.

- Conte-me os detalhes, baby... - Ela sorri curiosa.

- Eliott e Pietra, filha de Tamires com Michael. Esses pirralhos... - ele balançou a cabeça e riu. - Vão nos render uma bela vingança, o que acha?

- Claro, os piralhos! Poderiamos dar um belo susto neles...

- Com certeza! - ele ri. - Temos que aprimorar o nosso plano...

- Hurum. Conheço alguém que pode fazer isso, sem nos entregar. Já aviso que ele cobra caro pelo serviço, mas o resultado é de primeira. - Jane falou - Você estaria disposto a pagar?"



- Pago qualquer coisa... - ele diz. - Quem é o cara?

- Ele se chama Diego e tem um apartamento perto daqui. Podemos ir até lá qualquer dia. - ela sugere mostrando muito interesse no plano dele.

- Sim... Podemos ir até lá amanhã e acertamos o nosso plano... - James sorriu e bateu sua lata de cerveja no drink de Jane - Nosso plano vai dar certo, gata, principalmente... - ele riu de lado. - Se você for pra minha cama hoje.

Jane passa a língua nos lábios e sorri com malícia pra ele.

- Você leu meus pensamentos, gato! Meu apartamento é duas quadras daqui... Que tal?

- Perfeito... - ele sorri e chama o garçom.



James sorri enquanto paga a conta, eles saem do bar e vão direto pro apartamento de Jane. A noite para eles é longa e prazerosa e logo pela manhã eles lapidam seu plano:

Acabar com a plena felicidade do casal Grey e Jackson.



- FIM -
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://nevercansaygoodbyemj.forumeiros.com
Conteúdo patrocinado




MensagemAssunto: Re: Just Good Friends [+18] [Finalizada]   

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
Just Good Friends [+18] [Finalizada]
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 7 de 7Ir à página : Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6, 7
 Tópicos similares
-
» Ainars - Good Memory Escape 3
» [NEWS] Novos Personagens confirmados para Playstation All-Stars Battle Royale!
» A vida de um Co-piloto na ANA retratada em drama...
» Pirataria do bem em seu Playstation 3
» Tópico Geral de Dúvidas e Decisões

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Never Can Say Goodbye MJ :: Fanfictions :: Fics Finalizadas-
Ir para: