Never Can Say Goodbye MJ
Olá querido(a) Fã...
Nosso fórum vai passar por mudanças. Pretendo fazê-lor o mais rápido possível para evitar o menor desconforto.Espero que continue conosco e faça o seu cadastro. Ótimas Novidades vem por ai! Não percam!

God bless you.... Beijacksons <3
Administradora

*+ O Amor não tem fronteiras,
E a saudade nunca será um adeus +*


<3 O Amor vive para sempre <3
 
InícioInício  PortalPortal  CalendárioCalendário  FAQFAQ  BuscarBuscar  MembrosMembros  GruposGrupos  Registrar-seRegistrar-se  Conectar-seConectar-se  

Compartilhe | 
 

 Paul Gongaware, executivo da AEG, sabia da dependência em medicamentos de Michael Jackson

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
Mandynha Jackson

avatar

Mensagens : 1483
Scores : 3033
Data de inscrição : 08/08/2012
Idade : 22
Localização : Neverland;PE

MensagemAssunto: Paul Gongaware, executivo da AEG, sabia da dependência em medicamentos de Michael Jackson   Ter Jul 16, 2013 9:33 am

A mãe de Michael Jackson e seus três filhos afirmam AEG Live é responsável porque eles contrataram e mantinham e supervisionava Dr. Conrad Murray, o médico condenado por homicídio culposo na morte por overdose do ícone pop. Murray admitiu ter dado para Michael Jackson as infusões noturnas do anestésico cirúrgico propofol, que o legista matou o cantor em 25 de junho de 2009.
Os advogados da AEG Live argumentam que seus executivos não tinham como saber se Murray – que dizem que foi Michael Jackson quem escolheu e o controlava – foi dando-lhe as infusões perigosas na privacidade do seu quarto para tratar sua insônia.
“Eles eram uma promotora de shows. Como eles poderiam saber?” disse o advogado da AEG Marvin Putnam.
[b style="color:#ff0000;"]“Não seja um Dr. Nick”[/b]
Os advogados da família Jackson argumentaram que o Co-CEO da AEG Live Paul Gongaware – o maior produtor de Michael Jackson na turnê de retorno “This Is It” – deveria saber dos riscos da contratação de Murray por causa de sua experiência pessoal com Michael Jackson e seu trabalho com outros artistas, incluindo como promotor a última turnê de Elvis Presley. Gongaware negou em seu depoimento que ele já sabia que Michael Jackson tinha problemas de dependência de medicamentos enquanto estava em turnê.
Mas o testemunho mostrado em  vídeo ao júri na semana passada contradiz a afirmação de Gongaware.
A CNN obtive os vídeo  do depoimento do Dr. Stuart Finkelstein, que trabalhou como médico de Michael Jackson durante sua turnê 1993 “Dangerous”, que terminou mais cedo, porque o cantor entrou em um programa de reabilitação de remédios.
“Eu disse que eu acho que nós vamos ter um problema”, declarou Finkelstein ao dizer para Gongaware, que estava então servindo como gerente de turnê na turnê “Dangerous”.
O advogado dos Jackson Kevin Boyle disse: “Você quis dizer ao Sr. Gongaware que você pensou que o Sr. Jackson tinha uma dependência de opiáceos?”
Finkelstein: “Sim”.
Boyle: “E o que o Sr. Gongaware disse para você?”
Finkelstein: “Ele disse: ‘Não seja um Dr. Nick.”
Boyle: “E porque Dr. Nick, ele estava falando de Elvis?”
Finkelstein: “Sim, ele era o médico de Elvis.  E eu acho que Elvis morreu com 14 produtos químicos diferentes em seu organismo e ele queria me avisar que, você sabe, não são todos apaixonados quando você começa a administrar medicamentos um a um… Estrela de rock e tem a estrela da overdose do rock e morre e acaba com você. “
Dr. George Nichopoulos, conhecido como “Dr. Nick”, era “o médico que fez prescrições excessivas de medicamentos para Elvis o que o levou a morte,” de acordo com uma ação judicial apresentado pelos advogados da família Jackson.
Presley caiu no banheiro de Graceland, em sua mansão Memphis, Tennessee, em 16 de agosto de 1977, com 42 anos de idade. Enquanto sua morte foi considerada o resultado de um batimento cardíaco irregular, o relatório da autópsia foi selado em meio as acusações de que o abuso de medicamentos prescritos causou o problema.
Nichopoulos disse mais tarde que ele estava tratando Presley por causa de uma insônia. Ele foi acusado de prescrição excessiva de medicamentos para Elvis Presley, mas ele foi absolvido. Mais tarde, ele perdeu sua licença médica em outro caso.
A morte de Presley veio dias antes de ele começar uma nova turnê organizada pela promotora de shows Shows Ocidente, a empresa que deu Gongaware o seu início na indústria da música. Um de seus trabalhos foi trabalhar com Presley em seus últimos anos na estrada, ele testemunhou.
Michael Jackson “precisava ser desintoxicado”
Finkelstein declarou que ele e Gongaware tiveram discussões sobre o uso Demerol, Morfina e outros opiáceos durante a turnê “Dangerous” por Michael Jackson.
“Nós pensamos que precisávamos fazer uma intervenção, que ele precisava ser desintoxicado”, disse Finkelstein.
A turnê chegou ao fim precoce e abrupta quando a atriz Elizabeth Taylor voou para a Cidade do México para liderar uma intervenção a qual convenceu Michael Jackson de entrar uma clínica de reabilitação em Londres.
Finkelstein disse que chamou novamente Gongaware na primavera de 2009, como preparação para turnê de retorno de Michael Jackson quando estavam começando.
“Hey, Stewie, você pode ter outra chance”, disse o médico a Gongaware. “Michael está fazendo uma turnê para Londres e ele vai querer tomar um médico.”
“Você estava interessado em ir naquela turnê para Londres?” perguntou Boyle.
“Sim, muito”, respondeu Finkelstein.
Finkelstein disse que teve de cinco a 10 conversas com Gongaware sobre o trabalho com Michael Jackson e ele se ofereceu para trabalhar por US $ 40.000 por mês. Mas Finkelstein, que agora é um especialista em dependência, disse que tinha uma exigência – que Michael Jackson estivesse limpo dos medicamentos.
Em vez disso, Gongaware concordou em pagar US $ 150.000 por mês para Murray trabalhar como médico pessoal de Michael Jackson.
Dependente de remédios e não viciado
Um especialista em dependência de medicamentos testemunhou no início deste mês e disse que “não tinha um monte de provas para apoiar” a crença de que Michael Jackson era viciado em drogas, mas “dependente de medicamentos”.
Se ele fosse um viciado, Michael Jackson “estaria tomando medicamentos que não fossem prescritos por um profissional médico, levando grandes quantidades de medicamentos prescritos e teria um comportamento de busca,” testemunhou Dr. Sidney Schnoll.
As evidências mostram que Michael Jackson procurava remédios com um número de médicos, mas que não era inadequado, porque ele precisava deles “para tratar um problema médico legítimo”, incluindo dor nas costas, dor no couro cabeludo e problemas dermatológicos, testemunhou Schnoll.
Os analgésicos que forçaram Michael Jackson acabar com sua turnê “Dangerous” de 1993 mais cedo para que ele pudesse entrar em um programa de reabilitação foram tomadas para aliviar a dor de uma cirurgia no couro cabeludo necessário para reparar as queimaduras sofridas quando filmava um comercial da Pepsi, disse Schnoll.
As queimaduras deixaram cicatrizes em nervos danificados em seu couro cabeludo, o que se torna “tecido excitável” que “pode ​​ser disparando assim como o nervo”, disse ele. O resultado “pode ​​ser muito doloroso, como uma espécie de queima de dor – persistente afiada, tipo, tiro de dor”, disse ele. “É muito desconfortável e é um dos mais difíceis de tratar.”
O alívio da dor é um uso legítimo de medicamentos opioides e uma pessoa pode funcionar normalmente se forem tomadas sob os cuidados de um médico, disse ele.
Michael Jackson passou de 1993 até 2008 sem o uso de Demerol, disse Schnoll. O médico admitiu no interrogatório feito pelos advogados da AEG Live, no entanto, que uma lacuna nos registros médicos disponíveis podem ser enganadoras.
Finkelstein declarou que muitos dos registros de Michael Jackson havia sido perdido.
A utilização de sedativos feitas por Michael Jackson foi um esforço para tratar sua insônia crônica, disse Schnoll.
Se o problema do sono subjacente pudesse ser resolvido, as chances de acabar com o uso de medicamentos por Michael Jackson teria sido bom, disse ele.


Fonte: CNN
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Mandynha Jackson

avatar

Mensagens : 1483
Scores : 3033
Data de inscrição : 08/08/2012
Idade : 22
Localização : Neverland;PE

MensagemAssunto: Re: Paul Gongaware, executivo da AEG, sabia da dependência em medicamentos de Michael Jackson   Ter Jul 16, 2013 9:34 am

O que adiantou Paul Gongaware saber da dependência de Michael Jackson em medicamentos? Nada!!!
Afinal ele representa a empresa AEG que iria faturar uma fortuna sobre os shows e ele iria ganhar uma boa grana também…
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
 
Paul Gongaware, executivo da AEG, sabia da dependência em medicamentos de Michael Jackson
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1
 Tópicos similares
-
» VOO EXECUTIVO PARTE 3
» Avião executivo mais rápido do mundo
» [Internacional] Roll-out do primeiro jato executivo New Citation Sovereign da Cessna
» [Brasil] Jato executivo Lineage 1000, da Embraer, voa nos céus do México
» 7 Coisas Que Você Não Sabia Sobre Os Games

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Never Can Say Goodbye MJ :: News :: Notícias Confirmadas-
Ir para: